S.T.A.R.S.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de S.T.A.R.S)
Ir para: navegação, pesquisa

Serviço de Táticas, Armamento e Especialidades em Resgate Seguros (Special Tatics And Rescue Squad – S.T.A.R.S.), também conhecido não oficialmente como "Esquadrão de Táticas Especiais e Resgate" nos livros e filmes. É uma unidade especial da série Resident Evil. Este grupamento serve como um equivalente à SWAT (que também existe no universo de RE, tendo Barry Burton com um ex-integrante). Os cinco personagens principais de Resident Evil 1 (Chris Redfield, Jill Valentine, Barry Burton, Rebecca Chambers, e Albert Wesker) eram todos membros dos S.T.A.R.S. Apenas onze dos doze integrantes apareceram no jogo original. Edward Dewey, piloto do Bravo Team (Equipe Bravo), foi mencionado no manual do jogo, mas não apareceu no jogo em questão. Por um longo tempo acreditou-se que a mão decepada achada por Joseph na cena inicial de RE1 pertencia a Edward, mas algumas mudanças retroativas foram feitas para incluir o personagem em uma pequena participação em Resident Evil 0 (no Remake de RE o piloto morto é agora identificado como Kevin Dooley). Em Resident Evil 2 (estrelando a irmã de Chris Redfield, Claire, e o policial novato Leon S. Kennedy), todos os integrantes dos S.T.A.R.S, menos Rebecca, podem ser vistos em uma fotografia no escritório deles no segundo andar da delegacia. Eles estão junto a mais dois membros ainda desconhecidos. É aceito que esses dois membros sejam apenas versões de Kevin Dooley e Edward Dewey (RE0).

História[editar | editar código-fonte]

A unidade S.T.A.R.S. foi fundada em 1996, com o objetivo de combater a crescente taxa de crimes onde a "polícia convencional" não seria o suficientemente efetiva. A equipe foi formada como parte da campanha do Prefeito Michael Warrens "Um novo século 21 para Raccoon City", campanha patrocinada pela Umbrella Corporation. A equipe consistia de membros do Judiciário e Militar que se especializaram em vários campos. Ela englobava 12 integrantes divididos em 2 equipes: Alpha (Oficial Comandante: Albert Wesker) e Bravo (Oficial Comandante: Enrico Marini). Dois anos após sua criação, os S.T.A.R.S. foram encarregados de investigar uma série homicídios canibais, ocorridos nas Montanhas Arklay nos arredores da cidade. O Bravo foi enviado no dia 23 de julho de 1998. Porém, o contato com o Bravo foi perdido e, no dia seguinte, a Alpha foi enviado para prosseguir com a operação e encontrar o Bravo. Sua ronda no local os enviou à uma mansão isolada (que escondia um laboratório clandestino), onde várias criaturas (incluindo os "moradores" da mansão) foram transformadas em mortos-vivos como resultado de uma epidemia viral. Os membros do Alpha também acharam os restos de seus companheiros do Bravo, além de outros agonizando (com exceção de Rebecca Chambers, que sobreviveu e escapou junto com o Alpha). Foi revelado que os experimentos na mansão foram conduzidos pela Corporação Umbrella e que o líder do S.T.A.R.S., Albert Wesker, era um agente duplo trabalhando para a empresa. Wesker orquestrou a morte de seus subordinados para coletar dados para a pesquisa de Armas Bio-Orgânicas (Bio-Organic Weapons - B.O.W.) da Umbrella. A equipe conseguiu frustrar os planos de Wesker (e da Umbrella) destruindo o protótipo T-002 Tyrant. Apenas os integrantes do Alpha, Jill Vallentine, Chris Redfield, Barry Burton e Brad Vickers (piloto do Alpha, que inicialmente abandonou a equipe, mas depois voltou), junto com a sobrevivente do Bravo Rebecca Chambers, conseguiram escapar vivos (Wesker também não morreu). Após retornarem para a cidade, os S.T.A.R.S. requisitaram uma investigação completa de todas as atividades da Umbrella. Porém, muitos, até os seus outros companheiros policiais (os "convencionais"), acharam sua história muito fantasiosa e o delegado, Brian Irons (que estava secretamente trabalhando para a Umbrella) afastou a equipe, substituindo a unidade pela recém formada Select Police Force (S.P.F.). Kevin Ryman e o recruta Leon S. Kennedy eram membros dessa equipe. Os S.T.A.R.S. se uniram e participaram de operações Anti-Umbrella pelo globo, com exceção de Brad Vickers, que se recusou a participar e foi morto quando a epidemia alcançou Raccoon City.

Membros[editar | editar código-fonte]

A S.T.A.R.S. é formada por duas equipes diferentes, Alpha e Bravo, num total de 12 membros. Cada equipe é organizada baseando-se na formação de um esquadrão tático, com cinco agentes de campo e um piloto. Os agentes são designados para as seguintes posições: Mission Leader(Comandante de Campo), Pointman (Reconhecimento), Backup Man (Assistente do Pointman), Omni Man (Manutenção de Veículos e/ou Armas) e Rear Security (Comunicação e/ou Primeiros Socorros). Cada membro é designado para uma dessas posições, com um Rear Security adicional responsável por pilotar o helicóptero de transporte. Com o fato de que apenas um membro do Bravo sobreviveu, enquanto que apenas um membro do Alpha morreu, pode-se dizer que a maioria dos integrantes mais experientes da S.T.A.R.S. pertenciam ao Alpha, a unidade S.T.A.R.S. primária, e que o Bravo era composto dos membros menos experientes. Porém, é aceito por algumas fontes que Chris e Forest eram habilmente iguais, por isso pode ter sido o cansaço que vulnerabilizou o Bravo. As únicas baixas do Alpha foram Brad Vickers (morto após a operação na mansão) e Joseph Frost (que fora recém promovido do Bravo, semanas antes da operação na mansão). É interessante notar que a S.T.A.R.S., mesmo sendo uma unidade tática, não requer que seus recrutas tenham experiência em combate. Muitas outras agências iriam exigir que candidatos os servissem à corporação a pelo menos dois anos e passassem por rigorosos testes de aptidão. Chris Redfield e Jill Valentine foram recrutados com apenas treinamento militar (Força Aerea e Delta Force, respectivamente), ambos possuem um ótimo desempenho em combate e desarmamento, enquanto que Rebecca Chambers não tinha nenhuma experiência em combate ou defesa pessoal.

Alpha Team[editar | editar código-fonte]

Bravo Team[editar | editar código-fonte]

  • Rebecca Chambers é Retratada no livro "Resident Evil Archives" por Bradly Games, é declarado que ela está morta. Mas essa idéia ainda não foi apresentada no jogo. Sem levar em consideração as muitas informações presentes no livro, ele foi escrito pelas palavras dos desenvolvedores atuais de Resident Evil.
  • Mesmo não sendo um integrante oficial dos S.T.A.R.S., o policial Kevin Dooley ocupou a cadeira de piloto principal do Bravo no incidente nas montanhas Arklay. Nessa operação ele foi morto.

Equipamento[editar | editar código-fonte]

  • Armamento: A pistola padrão é uma versão exclusiva da Beretta 92F conhecida como M92FS S.T.A.R.S. Special ou Samurai Edge. Elas foram construidas por Joe Kendo, irmão do dono da Kend's Gunshop, Robert Kendo (amigo íntimo de Barry Burton). Um modelo da "nova" Beretta foi distribuído entre os membros da S.T.A.R.S., incluindo também versões personalizadas para Chris, Jill e Wesker. A de Barry foi modificada para disparar munição .40 S&W com capacidade de explosão, em vez da munição 9mm. Outras armas usadas pelos S.T.A.R.S. incluiam a Magnum .44 de Barry, o lança-granadas Mk.11 de Forest, o rifle de Edward, e duas calibre doze Remington M870 personalizadas empunhadas por Richard Aiken e Joseph Frost. Chris e Jill também carregavam suas facas durante as operações. Uma foto dos S.T.A.R.S. também mostra seus membros com várias armas de assalto incluindo MP5 e Steyr AUG. Essas armas não foram usadas durante o jogo, possivelmente pelo fato de que operações de busca e resgate raramente necessitam do uso de armas de alto calibre. Além disso, a inclusão de fuzis de assalto e submetralhadoras iria diminuir a dificuldade e a atmosfera ameaçadora do jogo.
  • Uniforme: Cada membro da unidade veste uma camisa com o símbolo dos S.T.A.R.S. na manga esquerda e um colete Kevlar de acordo com as especialidades de cada um. Por exemplo, o colete de Chris possuia, na altura do peito esquerdo, um estojo para facas de combate, enquanto que o de Rebecca destacava uma cruz vermelha nas costas (símbolo internacional de assistência médica). A cada membro é permitido escolher a cor de seu uniforme. Um protótipo mais prático também foi criado, consistindo de uma camisa oliva e um colete preto com o logo S.T.A.R.S. nas costas, mas esta roupa nunca foi adotada em uma operação devido a morte das equipes de Raccoon City. Mesmo assim, Chris vestiu o único protótipo conhecido quando foi resgatar sua irmã, Claire, durante o incidente nas Ilhas Rockfort (RE: Code Verônica).
  • Transporte - Tinham dois helicópteros modelo UH-1 Iroquois disponíveis aos S.T.A.R.S., um para cada equipe. Brad Vickers foi nomeado piloto do Alpha, e Kevin Dooley e Edward Dewey, nomeados pilotos do Bravo. Dooley, foi chamado diversas vezes para ajudar tanto o Alpha quanto o Bravo em determinadas situações. A foto dos S.T.A.R.S. (com um helicóptero policial AS350B ao fundo) também sugere que o helicóptero de patrulha da delegacia também fosse usado pelos S.T.A.R.S., ou ainda que a foto tenha sido tirada antes dos helicópteros oficiais serem dados a eles.
  • Filmadoras - Kenneth e Joseph tinham, cada um, uma filmadora em seus ombros para gravar dados de combate. Tecnicamente, esses dispositivos eram usados por exploradores para gravar e transmitir informações estratégicas para o Comando, embora ambos agentes de campo estavam também envolvidos na situação por hora, e Wesker certamente não desejava que as informações ligando ele à Umbrella fossem levadas a público.

Em outras mídias[editar | editar código-fonte]

As adaptações de Resident Evil para os livros, escritos por S.D. Perry mostraram uma pequena diferença histórica em relação a criação dessa unidade. A S.T.A.R.S. é retratada como sendo uma organização muito maior e mais antiga treinada para combater terrorismo relatado a seitas (tendo sido fundada em 1968 em New York), ao contrário da unidade criada em 1996 pela liderança política de Raccoon City, Major Michael Warren, na história original. A história criada dos S.T.A.R.S. criada por S. D. Perry mantêm que a unidade de Raccoon City (na Pennsylvania) é apenas uma das muitas unidades S.T.A.R.S.estabelecidas dentro dos EUA, com outra unidade estabelecida na cidede de Exeter,no Maine, como vista nos livros originais de Resident Evil; Caliban Cove e Underworld.

O filme Resident Evil: Apocalypse também mostrou um oficial da S.T.A.R.S., Jill Valentine, e muitos outros membros criados especificamente para o filme, entre os mais proeminentes está Peyton Wells. A unidade S.T.A.R.S. era também muito maior no filme, com pelo menos 30 oficiais armados com várias armas de assalto, indo da típica submetralhadora Heckler & Koch MP5 e o rifle de assalto M4, até outras armas raramente vistas em agências americanas como o rifle de assalto SIG 550, o rifle sniper Accuracy International Arctic Warfare e a metralhadora M60.

A Tokyo Marui, uma popular desenvolvedora do Japão, criou uma réplica da pistola “Samurai Edge” da S.T.A.R.S. baseada no seu modelo original, a Beretta 92FS.

Personagens originais das adaptações de S. D.Perry[editar | editar código-fonte]

  • John Andrews - Anteriormente um perito em comunicações e agente de campo da unidade S.T.A.R.S. de Exeter branch. Sobreviveu ao incidente em Caliban Cove junto com Rebecca Chambers e David Trapp. Une-se à operação Utah com Rebecca, David, Leon S. Kennedy, e Claire Redfield.
  • Karen Driver - Ela é infectada pelo T-Vírus após tocar uma possa de sangue seco e coçar os olhos depois. Ela morre em Caliban Cove.
  • Steve Lopez
  • David Trapp - 30 anos de idade, membro da unidade S.T.A.R.S. Exeter no Maine. Ele se esforça para conseguir informações requisitadas por sua equipe. David é articulado, porém acha dificuldades em lidar com pessoas novas. Ele viajou para Caliban Cove com a sobrevivente do Bravo, Rebecca Chambers, e uma pequena equipe. Após escapar do incidente vivo, ele é subseqüentemente conduzido a uma missão em Utah onde ele, John Andrews e Rebecca se juntam com Leon S. Kennedy e Claire Redfield.
  • Jay Shannon - O jovem capitão da unidade S.T.A.R.S. de Oklahoma City. Ele foi treinado tanto por Barry Burton quanto por David Trapp. Shannon foi enviado à Raccoon junto com outros oficiais para eliminar os sobreviventes da epidemia nas montanhas Arklay. Ele foi baleado e morto por David Trapp durante a invasão à casa de Barry.