SACI-2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SACI-2
Missão
Operação Brasil INPE
Contratantes principais Brasil INPE
Tipo de missão Observação da Terra
Planeta orbitado Terra
Lançamento 11 de dezembro de 1999 às 19:40:00 UTC
Veículo de Lançamento Brasil VLS-1 V2
Local do Lançamento Brasil Centro de Lançamento de Alcântara, Maranhão
Massa 80 0 kg
Resultado Falha (destruição do veículo lançador)
Elementos Orbitais
Tipo Órbita heliossíncrona
Inclinação 98,6º
Apogeu 745 km
Perigeu 733 km
Período orbital 99,6 minutos
Excentricidade 0,00084

O Satélite de Aplicações Científicas 2 ou SACI-2 foi um microssatélite de aplicações científicas, projetado, desenvolvido, construído e testado por técnicos, engenheiros e cientistas brasileiros trabalhando no INPE.[1]

O SACI-2 foi lançado em 11 de dezembro de 1999, a partir do Centro de Lançamento de Alcântara por intermédio de um foguete VLS.

Características[editar | editar código-fonte]

Os satélites "SACI" são compostos por uma plataforma multimissão e por um conjunto de experimentos que constitui a carga útil. Esses satélites contaram com a cooperação de diversas instituições brasileiras e estrangeiras.[2]

Instrumentos[editar | editar código-fonte]

O satélite científico SACI-2 carregava quatro instrumentos científicos: [3]

  • PLASMEX
  • MAGNEX
  • OCRAS
  • PHOTO

Suprimento de energia[editar | editar código-fonte]

  • Células solares: Arseneto de Gálio (AsGa)
  • Dimensões: 3 painéis de 57 x 44 cm
  • Eficiência: 19%
  • Potência gerada: 150W
  • Células da Bateria de Níquel Cádmio (NiCd)
  • Tensão elétrica: 1,4V
  • Capacidade: 4,5 Ah

Suprimento de energia[editar | editar código-fonte]

  • Taxa de telecomando: 19,2 kbps
  • Taxa de transmissão: 500 kbps
  • Antenas de bordo: 2 de transmissão e 2 de recepção, tipo Microstrip
  • Frequência de operação telemetria/telecomando: 2,250 GHz/2,028 GHz
  • Antena de recepção em Solo: 3,4 m de diâmetro

Missão[editar | editar código-fonte]

Devido a uma falha no segundo estágio do veículo lançador, o foguete precisou ser destruído por rádio comando 200 segundos depois do lançamento, com a consequente perda da carga útil. [2][4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Sousa, Fabiano (Setembro de 2007). «Desenvolvimento de satélites e plataformas espaciais no INPE no período 1961-2007» (PDF). INPE. Consultado em 26 de julho de 2013 
  2. a b Moreira, Mauricio. «Complemento do LIVRO "Fundamentos do Sensoriamento Remoto e Metodologia de Aplicação"» (PDF). CEFETES. Consultado em 26 de julho de 2013 
  3. Krebs, Gunter. «SACI 2». Gunters's Space Page. Consultado em 26 de julho de 2013 
  4. «Brazilian Rocket Destroyed In Flight». OnIslam.net. 15 de dezembro de 1999. Consultado em 26 de julho de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]