SEMAT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

SEMAT (Software Engineering Method and Theory) é uma iniciativa para remodelar a engenharia de software de tal forma a qualificá-la como uma disciplina rigorosa. A iniciativa foi lançada em Dezembro de 2009 por Ivar Jacobson, Bertrand Meyer e Richard Soley[1] .

Os patrocinadores e apoiadores da iniciativa SEMAT concordaram e assinaram uma Chamada a Ação[2] :

A Engenharia de software é gravemente prejudicada hoje por práticas imaturas. Os problemas específicos incluem:

  • A prevalência de modas do que de uma disciplina de engenharia.
  • A falta de voz a amplamente aceitas bases teóricas.
  • O número enorme de métodos e variantes do método, com diferenças pouco compreendidas e artificialmente ampliadas.
  • A falta de avaliação experimental e validação em que se possa acreditar.
  • A divisão entre as práticas da indústria e pesquisa acadêmica.

A inicitaiva apoia um processo para refundar a engenharia de software baseada em uma teoria sólida, princípios comprovados e melhores práticas que:

  • Inclui um kernel de elementos amplamente definidos, extensível para usos específicos
  • Aborde tanto questões de tecnologia quanto de pessoas
  • São suportados pela indústria, academia, pesquisadores e usuários
  • Suporta extensão em face da evolução dos requisitos e da tecnologia

O grande números de métodos não é em si um problema. Deveria haver muitos métodos focados em problemas e culturas diferentes, no entanto, esses métodos devem ser concebidos de tal maneira que eles possam ser comparados, avaliados e melhorados[3] .

Um número significativo de especialistas de renome internacional no campo da engenharia de software endossa a Chamada a Ação da iniciativa[4] . Os signatários incluem Scott Ambler, Barry Boehm, Erich Gamma, Watts Humphrey, Ken Schwaber etc. A iniciativa é suportada também por corporações como IBM, Microsoft, Ericsson, ABB e Samsung. Alguns dos signatários são conhecidos no campo por modelos ou métodos de engenharia de software bem estabelecidos, os quais nem sempre são compatíveis. No entanto, o consenso sobre a iniciativa mostra que eles concordam com a importância da refundação da engenharia de software.

As críticas da SEMAT argumentam que a Engenharia de Software é heterogênea por natureza, e que "moda" é uma palavra imprecisa porque a orientação a objetos já foi considerada moda[5] .

Referências[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

  • Site SEMAT [1]
  • A iniciativa SEMAT: Uma chamada a Ação [2]
  • Porque nós necessitamos de uma teoria para Engenharia de Software (em inglês: Why We Need a Theory for Software Engineering) [3]
  • Métodos precisam de teoria (em inglês: Methods Need Theory) [4]
  • SEMAT - Software Engineering Method and Theory [5]
  • Visão do SEMAT [6]