SMS Königsberg (1905)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SMS Königsberg
Bundesarchiv Bild 105-DOA3002, Deutsch-Ostafrika, Kreuzer Königsberg.jpg
Carreira  Alemanha
Operador Marinha Imperial Alemã
Fabricante Estaleiro Imperial de Kiel
Homônimo Königsberg
Batimento de quilha 12 de janeiro de 1905
Lançamento 12 de dezembro de 1905
Comissionamento 6 de abril de 1907
Fatalidade Deliberadamente afundado
em 11 de julho de 1915
Estado Parcialmente desmontado;
resto naufragado
Características gerais
Tipo de navio Cruzador rápido
Classe Königsberg
Deslocamento 3 814 t
Maquinário 11 caldeiras
2 motores de tripla expansão
com três cilindros
Comprimento 115,3 m
Boca 13,2 m
Calado 5,29 m
Propulsão 2 hélices
- 13 020 hp (9 710 kW)
Velocidade 24,1 nós (44,6 km/h)
Autonomia 5 750 milhas náuticas a 12 nós
(10 650 km a 22 km/h)
Blindagem Convés: 80 mm
Torre de comando: 100 mm
Armamento 10 canhões SK L/40 de 105 mm
10 canhões SK L/55 de 52 mm
2 tubos de torpedos de 450 mm
Tripulação 322

SMS Königsberg foi um cruzador rápido da Marinha Imperial Alemã, sendo a principal embarcação de sua classe. Seu nome, Königsberg, vem da antiga capital da Prússia Oriental. Foi lançado ao mar no começo de 1905, sendo completado em 1906. Foi comissionado no ano seguinte. O SMS Königsberg era armado com canhões de 10,5 cm e chegava a velocidades de mais de 44 km/h. Tinha uma tripulação de 320 homens.[1]

Após ser comissionado no serviço ativo, em 1907, o Königsberg serviu na Frota de Alto-Mar como parte da força de reconhecimento. Neste período, a embarcação era frequentemente chamada para escoltar o iate do imperador alemão Guilherme II em viagens ao exterior. Em abril de 1914, o navio foi enviado para a África Oriental, período que coincidiu com a eclosão da Primeira Guerra Mundial. O SMS Königsberg inicialmente tentou atacar linhas comerciais francesas e inglesas no seu caminho, mas durante sua carreira afundou apenas um navio inimigo (em 20 de setembro de 2014 na batalha de Zanzibar). A falta de combustível (carvão) foi um dos principais motivos que levaram a embarcação a não ser tão eficiente em combate.[2]

O Königsberg fugiu então para as margens do rio Rufiji, perto da Tanzânia, para reparar os danos que recebeu em Zanzibar. No meio dos reparos, um navio britânico o localizou. O Königsberg fugiu rio a dentro mas teve sua rota de fuga bloqueada. Várias tentativas foram feitas pelos ingleses a fim de afunda-lo mas não foram bem sucedidas. Contudo, em 11 de julho de 1915, o SMS Königsberg foi seriamente danificado. A tripulação abandonou a embarcação e pôs o navio parcialmente a pique. Os sobreviventes se juntaram então ao coronel Paul von Lettow-Vorbeck e lutaram com ele durante a Campanha da África Oriental.[3]

O Königsberg foi recuperado entre 1963 e 1965 e desmembrado, com suas peças sendo vendidas como sucata. Uma boa parte do navio que não foi destruída continua no fundo do rio Rufiji.[4]

Referências

  1. "SMS Konigsberg (1905) Light Cruiser (1906)". Página acessada em 22 de setembro de 2015.
  2. Gröner, Erich (1990). German Warships: 1815–1945. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-790-9 
  3. Bennett, Geoffrey (2005). Naval Battles of the First World War. London: Pen & Sword Military Classics. ISBN 1-84415-300-2 
  4. Willmott, H. P. (2009). The Last Century of Sea Power (Volume 1, From Port Arthur to Chanak, 1894–1922). Bloomington: Indiana University Press. ISBN 978-0-253-35214-9