SMS Scharnhorst

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
SMS Scharnhorst
SMS Scharnhorst
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda 1904
Construção Blohm & Voss
Batimento de quilha janeiro de 1905
Lançamento 22 de março de 1906
Patrono Gerhard von Scharnhorst
Período de serviço 1907-1914
Fatalidade Afundado durante a Batalha das Ilhas Malvinas em 1914
Características gerais
Tipo de navio Cruzador blindado
Classe Scharnhorst
Deslocamento 12.985 t
Comprimento 144,6 m
Boca 21,6 m
Calado 8,37 m
Propulsão 18 caldeiras
3 eixos com motores à expansão tripla
Velocidade 22,7 nós (42 km/h)
Armamento 8 canhões (21 cm)
6 canhões (15 cm)
18 canhões (8,8 cm)
4 lança-torpedos (45 cm)
Tripulação 52 oficiais e 788 praças

O SMS Scharnhorst foi um cruzador blindado alemão construído em Hamburgo em 1906 e comissionado em 1907, tinha como navio-irmão o SMS Gneisenau. Foi batizado em homenagem ao General prussiano Gerhard von Scharnhorst. Integrou o Esquadrão Alemão da Ásia Oriental, baseado em Tsingtao, comandado pelo Vice-Almirante Maximilian von Spee.

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Quando a Primeira Guerra Mundial começou, o Vice-Almirante von Spee chamou todos os navios do Esquadrão Asiático constituído, além do Scharnhorst, pelo SMS Gneisenau, e os cruzadores leves SMS Emden, SMS Leipzig, SMS Dresden, SMS Nürnberg. A frota partiu para as Ilhas Marianas. Em seguida, a frota partiu para o Pacífico central, mas em 13 de agosto, o capitão Karl von Müller, aconselhou von Spee, que o SMS Emden deveria ir para o Índico para cortar as linhas de suprimento inimigas. Spee concordou e von Müller, comandando o SMS Emden, partiu para o Índico, separando-se da frota.

Em 8 de setembro, o Nürnberg, após retornar de Honolulu, trouxe a notícia da conquista britânica da colônia alemã de Samoa. Spee, então decidiu atacar a Polinésia Francesa, que estava praticamente indefesa, o ataque foi bem-sucedido, de lá partiu para a Ilha de Páscoa.

Batalha de Coronel[editar | editar código-fonte]

Os britânicos reuniram sua frota para destruir a frota de Spee. o Almirante Cradock assumiu o comando, entretanto Cradock sabia que não teria chances contra a frota de Spee, pois os seus navios eram velhos, lentos e sua tripulação era inexperiente, totalmente o oposto da poderosa frota alemã. O HMS Glasgow estava reabastecendo em Coronel, quando interceptou mensagens de rádio de um navio alemão, que também estava reabastecendo em Coronel, o Glasgow soube que o navio alemão havia avisado à frota de Spee, então o Glasgow enviou uma mensagem à frota de Cradock sobre a chegada dos alemães em Coronel. Quando Spee chegou em Coronel percebeu que os britânicos já o esperava, ele preferiu não atacar ainda, já o Almirante Cradock tentou atacá-lo enquanto o Sol ainda brilhava. Ao anoitecer, Spee contra-atacou, o Scharnhorst bombardeou o navio de Cradock, o HMS Good Hope, junto com o Gneisenau. Às 19hs57mins, o Good Hope afundou matando todos os tripulantes, inclusive Cradock. Às 21hs18mins, o HMS Monmouth também afundou, já o Scharnhorst recebeu apenas 2 balas que nem explodiram, a vitória alemã foi comemorada intensamente.

Batalha das Ilhas Malvinas[editar | editar código-fonte]

O SMS Scharnhorst afundando enquanto o SMS Gneisenau continua a luta ao fundo

Os britânicos decidiram enviar uma poderosa frota para as Malvinas e esperar a frota de Spee chegar para afundá-la. Em 7 de dezembro de 1914, a frota de Spee chegou nas Malvinas com o propósito de destruiu o transmissor sem fio da ilha, mas os britânicos iniciaram a perseguição à frota de Spee que tentou fugir rumando para o Sudeste, o Gneisenau estava na frente, seguido pelo Nürnberg, depois o Scharnhorst e atrás estava o Dresden e o Leipzig. Às 13hs20mins a frota britânico alcançou o Scharnhorst iniciando o bombardeio ao navio alemão. Spee sabia que não conseguiria escapar dos britânicos, então ordenou que os cruzadores leves tentassem fugir, enquanto o Scharnhorst e o Gneisenau davam cobertura. O Almirante Sturdee, enviou seus cruzadores rápidos para perseguirem os cruzadores leves, o HMS Invincible atacou o Scharnhorst enquanto o HMS Inflexible atacou o Gneisenau. Spee desviou para o Sul, quando os britânicos se aproximaram os tiros do Scharnhorst e do Gneisenau obrigaram os britânicos à recuarem. ÀS 15hs30mins, o Scharnhorst estava seriamente danificado, muita água entrava, sua terceira chaminé havia sido destruída, enquanto o incêndio consumia o navio. Às 16hs17mins, o Scharnhorst afundou, todos os tripulantes faleceram, inclusive o Vice-Almirante von Spee, os outros navios também foram afundados, ao todo 2.200 marinheiros alemães faleceram, incluindo 2 filhos de von Spee

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bennett, Geoffrey (2005). Naval Battles of the First World War. London: Pen & Sword Military Classics. ISBN 1-84415-300-2 
  • Gardiner, Robert; Gray, Randal, eds. (1984). Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1922. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-907-3 
  • Gröner, Erich (1990). German Warships: 1815–1945. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-790-9. OCLC 22101769 
  • Halpern, Paul G. (1995). A Naval History of World War I. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 1-55750-352-4 
  • Hawkins, Nigel (2002). Starvation Blockade: The Naval Blockades of WWI. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-85052-908-5 
  • Herwig, Holger (1980). "Luxury" Fleet: The Imperial German Navy 1888–1918. Amherst, New York: Humanity Books. ISBN 978-1-57392-286-9 
  • Hough, Richard (1980). Falklands 1914: The Pursuit of Admiral Von Spee. [S.l.]: Periscope Publishing Ltd. ISBN 978-1-904381-12-9 
  • Strachan, Hew (2001). The First World War: Volume 1: To Arms. Oxford: Oxford University Press. ISBN 0-19-926191-1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Areamilitar.net - Cruzador blindado classe Scharnhorst