SP-98

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro
País
Nome popular Mogi-Bertioga
Identificador  SP-98 
Inauguração 1982
Extensão 49,98 km
Extremos
 • sul:
 • norte:

Rua Valdemar Costa Filho, em Bertioga
Avenida Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, em Mogi das Cruzes
Interseções SP-102,

BR-101/SP-55

Concessionária DER-SP
Prefeituras locais
Trecho de serra da Rodovia Mogi-Bertioga

SP-98 é uma rodovia do estado de São Paulo. Seu nome oficial é Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro, em homenagem ao primeiro bispo da Diocese de Mogi das Cruzes. Também conhecida como Rodovia Mogi-Bertioga, faz a ligação entre os municípios de Mogi das Cruzes, na grande São Paulo e Bertioga, na baixada santista.

Histórico[editar | editar código-fonte]

A SP-98, mais conhecida como Rodovia Mogi-Bertioga, foi concluída em 1982, durante a gestão do governador Paulo Maluf, ligando o município de Mogi das Cruzes, localizado no planalto, até Bertioga, então distrito de Santos, na Região Metropolitana da Baixada Santista. Seu traçado passa por três diferentes relevos: os morros do planalto; as escarpas da Serra do Mar; e o terreno plano da planície do litoral. Isso influi no percurso da estrada: uma sucessão de retas, curvas, aclives e declives no planalto; uma longa descida com repetitivas curvas na serra; e longas retas na planície do litoral.

A rodovia inicia-se no bairro da Vila da Prata, em Mogi das Cruzes, cidade da Região Metropolitana de São Paulo, encerrando-se no entroncamento com a Rodovia Rio-Santos (nome oficial: Rodovia Manoel Hipólito do Rego) (BR-101/SP-55), no bairro do Indaiá, em Bertioga, município da Região Metropolitana da Baixada Santista.

Sua construção foi iniciada na década de 1970, quando o município de Mogi das Cruzes começou a modernizar a antiga estrada que ligava o centro do município ao distrito de Biritiba-Ussú, que é cortado por esta rodovia. Coube ao governo estadual sob o comando de Paulo Salim Maluf, em 1982, a conclusão do complexo trecho que corta da Serra do Mar, vencendo um desnível de quase 1000 metros de altura e do trecho de planície no litoral, construído sobre uma área de mangues. A rodovia atravessa o Parque Estadual da Serra do Mar e ainda parte do território do município de Biritiba Mirim, passando pela área rural deste.Na época a imprensa e a oposição disseram que as obras foram feitas às pressas e que os serviços executados durariam pouco tempo. Isso foi dito em 1982. A inauguração da Rodovia Mogi-Bertioga proporcionou um acesso mais rápido da população de Mogi das Cruzes e dos municípios do Alto Tietê ao litoral paulista, não necessitando mais que se utilizassem das distantes Rodovia dos Tamoios e do Sistema Anchieta-Imigrantes.

O município de Bertioga, que à época da inauguração da rodovia ainda era um pequeno distrito de pescadores pertencente à Santos (sua emancipação ocorreu em 1991), teve sua vida completamente alterada. A proximidade com Mogi das Cruzes e suas cidades vizinhas transformou seu território à beira-mar num imenso canteiro de obras, com bairros e condomínios surgindo por toda a sua orla.

Hoje, a rodovia é um dos principais acessos a quem se dirige à Bertioga, o bairro de Riviera de São Lourenço no mesmo município. Além disso, é um importante acesso a parte do o Litoral Norte Paulista, principalmente Ilhabela e as praias da costa sul de São Sebastião, como Juqueí, Camburi, Boiçucanga e Maresias.

Traçado[editar | editar código-fonte]

Trecho de planalto da Rodovia Mogi-Bertioga

Possui uma extensão total de cerca de 50 quilômetros (49.980 metros), que podem ser percorridos em 40 minutos. No trecho entre Mogi das Cruzes e o entroncamento com a SP-102 (acesso ao distrito de Taiaçupeba) a via é duplicada, com duas faixas em cada sentido de tráfego. Entre o entroncamento com a SP-102 e ao alto da serra a pista é simples com uma faixa de tráfego em cada sentido. O trecho de serra possui pista simples com três faixas de tráfego: duas ascendentes e uma descendente. Em 2013 foram concluídas obras de modernização, que acrescentaram novas paradas de emergência no trecho de serra. Foi implantada terceira-faixa em toda a extensão da planície no litoral no sentido Mogi das Cruzes, fazendo com que a rodovia tenha 22 quilômetros ininterruptos com duas faixas em direção à Mogi das Cruzes, aliviando o tráfego na subida da serra e na Rodovia Rio-Santos. Em 2013 foi implantada a iluminação total do trecho de planície, com luminárias de LED.

No trecho urbano entre Mogi das Cruzes e o bairro da Vila Moraes há 5 lombadas eletrônicas. Costumam haver radares móveis nas retas da planície litorânea. Há dois postos da Polícia Rodoviária Estadual: um na Vila Moraes e outro no entrançamento com a Rodovia Rio-Santos.

O grande movimento de veículos que a rodovia recebe todos os fins de semana e os enormes congestionamentos durante o verão e os feriados prolongados, quando a duração viagem pode aumentar de 40 minutos para 4 horas, fez com que o governo estadual começasse a fazer estudos para a sua duplicação.

Denominações[editar | editar código-fonte]

Recebe as seguintes denominações em seu trajeto:

  • Nome: Paulo Rolim Loureiro, Dom, Rodovia De - até: Mogi das Cruzes (na Grande São Paulo) - Bertioga (na Baixada Santista)


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências