SPTV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: "SP1" e "SP2" redirecionam aqui. Se procura pela série de automóveis, veja Volkswagen SP2.
SPTV
SP1 / SP2
Informação geral
Formato telejornal
Gênero jornalismo
Duração Cerca de 60 minutos (SP1)
Cerca de 25 minutos (SP2)
Estado em exibição
Criador(es) Rodrigo Ayala
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es)
Câmera multicâmera
Apresentador(es) César Tralli (SP1)
Alan Severiano (SP2)
Elenco
Composto por Leonardo Matsumoto
Exibição
Emissora original TV Globo São Paulo
Formato de exibição 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Transmissão original 3 de janeiro de 1983–presente
Temporadas 37
Cronologia
São Paulo Já (1990-1996)
Programas relacionados Praça TV
Bom Dia São Paulo

SPTV[1], conhecido por SP1 e SP2, é um telejornal local brasileiro produzido e exibido pela TV Globo São Paulo para a sua área de cobertura. Entrepõe a programação da Rede Globo em suas duas edições destinadas ao padrão chamado Praça TV, horário dedicado ao jornalismo local gerado por emissoras próprias e afiliadas veiculado de segunda a sábado, ao meio-dia e às 19h10min. Sua pauta é composta por notícias, prestação de serviços, campanhas comunitárias e informativos cotidianos como trânsito e previsão do tempo na Região Metropolitana de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira edição do SPTV estreou em 3 de janeiro de 1983, substituindo o Jornal das Sete, e a segunda edição em 2 de julho do mesmo ano, no lugar do bloco local do Jornal Hoje. Na época, tinha apenas dez minutos de duração, divididos em três blocos.[2] Durante curto período, entre 1987 e 1989, ele chegou a ter três edições. O slogan do telejornal nos anos 80 era: "SPTV, a notícia de São Paulo".

Entre 1990 e 1996, um outro jornal local foi transmitido no lugar do SPTV: São Paulo Já, que introduziu várias novidades: a figura do âncora Carlos Nascimento, três apresentadores e também o primeiro jornal regional a transmitir notícias nacionais e internacionais, uma vez que ele ocupou o horário do Jornal Hoje na faixa da tarde. Em 1994, o Jornal Hoje voltou a ocupar espaço na Globo SP.

Em 1 de abril de 1996, o SPTV voltou ao ar e retornou completamente reformulado e repaginado em duas edições de maior duração e com focos diferentes: a primeira voltada a prestação de serviços na comunidade e a segunda com informações sobre os principais acontecimentos do dia. Em 12 de maio de 2008, o SPTV adotou, junto de outros telejornais locais paulistas, como Bom Dia São Paulo e Antena Paulista, um estúdio panorâmico. Localizado no último andar do Edifício Jornalista Roberto Marinho, no bairro de Vila Cordeiro, próximo ao Brooklin, é possível visualizar ao fundo, de vidro, do telejornal a ponte estaiada Octavio Frias de Oliveira, a Marginal Pinheiros e o Centro Empresarial Nações Unidas.

No dia 8 de maio de 2017, as respectivas duas edições do SPTV passaram a se chamar SP1 e SP2, mantendo o nome SPTV durante um processo de transição, além de ganhar uma reformulação que também foi aplicada no Bom Dia São Paulo.[3][4][5] Nessas mudanças, foram incluídas modificações nos GCs e nas vinhetas e a inserção de um relógio, da temperatura de todas as cidades da região metropolitana da cidade de São Paulo, além de manchetes na tela.[3][4][5] A remoção de "TV" da nomenclatura do noticiário foi porque, na avaliação da direção de jornalismo da emissora, o telejornal seria um produto multiplataforma, por também estar em outros dispositivos como smartphones, tablets e computadores.[3][4][5]

Em 30 de dezembro de 2019, Anne Lottermann, que fazia a previsão do tempo no RJTV e Jornal GloboNews, estreava como titular na previsão do tempo do SP2, na vaga deixada por Maju Coutinho.[6]

Em março de 2020, Christiane Pelajo assumiu o SP2 interinamente, substituindo Carlos Tramontina, afastado por estar no grupo de risco de contaminação pelo SARS-CoV-2.[7][8] Christiane seria substituída pouco mais de um mês depois por Alan Severiano.

Alan também seria substituído, em 25 de maio, desta vez por Márcio Gomes, que até então, apresentava o programa Combate ao Coronavírus, que deixou de ser apresentado.[9] Márcio fechou contrato com a CNN Brasil e Alan Severiano volta para o substituir até a volta do titular, Carlos Tramontina.

Edições[editar | editar código-fonte]

1.ª edição[editar | editar código-fonte]

Chico Pinheiro foi o maior apresentador da primeira edição, onde começou em 1998, inicialmente com a companhia de Mariana Godoy até o ano de 2001, e depois na companhia de Patrícia Poeta.[10] No ano seguinte, Chico teve como parceira Sandra Annenberg, que retornava ao Brasil, após ser correspondente em Londres. Em 6 de janeiro de 2003, a então mulher do jornalista, Carla Vilhena, assumiu o lugar de Sandra. Em 2008, o casal se divorciou, mas Carla continuou a apresentar o telejornal junto com Chico até 2010, quando Mariana Godoy, que comandava o Bom Dia São Paulo, reassumiu no seu lugar.[11] Em setembro do ano seguinte, Chico e Mariana se despediram do comando do telejornal. Chico seguiu para o Bom Dia Brasil e Mariana, para a Globo News,[12] com César Tralli assumindo a 1.ª Edição.[13]

Em 3 de janeiro de 2013 o SPTV, assim como o RJTV (Rio de Janeiro), completariam trinta anos no ar. No dia 7, os dois telejornais comemoraram com edições especiais. A primeira edição de cada um deles veiculou matérias especiais mostrando as suas trajetórias e os antigos apresentadores.[14] No dia 11 de novembro, o SPTV passou a ser exibido em HD (alta definição) e em 3 de março de 2015, mudou sua trilha sonora, assim como os demais locais do Praça TV.[carece de fontes?]

2.ª edição[editar | editar código-fonte]

Em 1998, Carlos Tramontina, vindo da edição vespertina, assumiu a edição noturna, inicialmente com Débora Menezes. Tornou-se um dos apresentadores com maior tempo em um telejornal da Globo. Devido a uma cirurgia de urgência em 2016, foi substituído por César Tralli, que por acumular as duas edições, foi substituído previamente por Izabella Camargo.[15][16]

3.ª edição[editar | editar código-fonte]

Entre 19 de setembro de 1983 e 24 de março de 1989, existiu assim como em outras praças, uma edição do SPTV exibida nas madrugadas, logo após o Jornal da Globo. O SPTV 3.ª Edição era dividido em dois blocos: o primeiro trazia notícias sobre fatos ocorridos após o SPTV 2.ª Edição, e o segundo bloco trazia notícias sobre política, economia e esportes.[carece de fontes?]

O atual apresentador do SPTV 1.ª Edição, César Tralli.

Jornais locais das afiliadas no estado de São Paulo[editar | editar código-fonte]

As emissoras afiliadas da Rede Globo no litoral e interior do estado, e também na região metropolitana da cidade de São Paulo, transmitem um programa semelhante, adotando os seguintes nomes:

Cidade Emissora Programa
Santos TV Tribuna Jornal da Tribuna (JT1 e JT2)
Presidente Prudente TV Fronteira Paulista Fronteira Notícias (FN1 e FN2)
Mogi das Cruzes TV Diário Diário TV (Diário 1 e Diário 2)
Campinas
Ribeirão Preto
São Carlos
EPTV Jornal da EPTV (EPTV1 e EPTV2)
Sorocaba
Itapetininga
Bauru
São José do Rio Preto
TV TEM TEM Notícias
São José dos Campos
Taubaté
Rede Vanguarda Link Vanguarda
Jornal Vanguarda

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2003: Prêmio Qualidade Brasil (como melhor telejornal local da Região Metropolitana de São Paulo)
  • 2003: Prêmio Fundação FEAC de Jornalismo (com o quadro SPTV Comunidade)
  • 2004: Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito (com a série O Pior Motorista de São Paulo)
  • 2013: Prêmio Especial Programa Casa Segura (matéria de Bruna Vieira, sobre a manutenção da rede elétrica)

Referências

  1. Memória Globo. «SPTV» 
  2. «Histórico do SPTV». sptv.globo.com. Arquivado do original em 22 de dezembro de 2008 
  3. a b c Gabriel Vaquer (3 de maio de 2017). «Reformulação total: saiba quais serão as novidades do jornalismo da Globo São Paulo a partir da próxima segunda». TV História. Consultado em 4 de maio de 2017 
  4. a b c Daniel Castro (4 de maio de 2017). «Após 34 anos, Globo muda nome de telejornais e adota tarja com manchetes». Notícias da TV. UOL. Consultado em 4 de maio de 2017 
  5. a b c «Globo confirma novidades nos telejornais de São Paulo». iG Gente. iG. 4 de maio de 2017. Consultado em 4 de maio de 2017 
  6. Extra (30 de dezembro de 2019). «Anne Lottermann estreia na previsão do tempo do 'Jornal nacional' e é recebida por colegas». Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  7. «Globo coloca Tramontina em quarentena e escala Christiane Pelajo para o SP2 - Televisão» 
  8. TV, Notícias da (23 de março de 2020). «Desfalcada por coronavírus, Globo chama Christiane Pelajo de volta após 5 anos» 
  9. Márcio Gomes assume o SP2 após Globo cancelar Combate ao Coronavírus
  10. Memória Globo. «As bancadas nos anos 2000». Consultado em 18 de abril de 2016 
  11. Portal IMPRENSA (1 de abril de 2010). «Carla Vilhena, da TV Globo, deixa "SPTV" para comandar "Bom Dia São Paulo"». Consultado em 18 de abril de 2016 
  12. Folha de S.Paulo (23 de setembro de 2011). «Globo gasta mais tempo com despedidas que com tragédia». Consultado em 18 de abril de 2016 
  13. G1 (23 de setembro de 2011). «SPTV 1ª edição estreia apresentador e cenário na segunda-feira». Consultado em 18 de abril de 2016 
  14. Comunique-se (7 de janeiro de 2013). «'RJTV' e 'SPTV' fazem 30 anos e relembram antigos apresentadores». Consultado em 18 de abril de 2016. Arquivado do original em 18 de abril de 2016 
  15. Notíciasaominuto (2 de abril de 2016). «Carlos Tramontina é afastado de jornal para cirurgia de urgência». Consultado em 18 de abril de 2016 
  16. Vinícius Carvalho, para o TV FOCO (11 de abril de 2016). «Globo tira Cesár Tralli e aposta em garota do tempo no "SPTV 2° edição"». Consultado em 18 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]