Academia de Samba Praiana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Praiana
Fundação 10 de março de 1960 (57 anos)[1]
Cores Verde e Rosa[1]
Símbolo Uma coroa real sobre a letra P, entre dois cavalo-marinhos[1]
Bairro Praia de Belas
Presidente Ilza Angonese[2]
Presidente de honra Miro Leal[3]
Carnavalesco Chico Espuma[2]
Intérprete oficial Robinho Sorriso[2]
Diretor de carnaval Helvio Dias[2]
Diretor de bateria Mestre Guto[2]
Rainha da bateria Priscila Rubira[2]
Madrinha da bateria Rochele Duarte[2]
Mestre-sala e porta-bandeira Chula e Priscila Abreu[2]
Desfile de 2017
Enredo As rosas não falam, mas exalam o perfume que roubaram de ti: Praiana canta Cartola em verso e prosa.
academiadesambapraiana.com/

Sociedade Recreativa Beneficente Cultural Academia de Samba Praiana é uma escola de samba de Porto Alegre.

História[editar | editar código-fonte]

A Academia de Samba Praiana foi fundada em 10 de março de 1960.[4] A escola revolucionou o carnaval de Porto Alegre na década de 1960, sendo a primeira a desfilar com alas, fantasias, alegorias, ao estilo do carnaval do Rio de Janeiro. Sua sede localiza-se no bairro Praia de Belas, próxima ao Estádio Beira-Rio. A escola foi fundada por Altair Fogo, as cores originais eram azul celeste e amarelo ouro. Pelo seu desfile em 1961, foi colocada como Hours Concours em 1962. O nome da escola foi inspirado em uma cafeteria onde aconteceram os encontros dos fundadores, que era localizado na Rua da Praia.

Em 2016 a escola foi alvo de polêmica depois ter homenageado com samba enredo no carnaval ao ex-tesoureiro do PT e ex-deputado federal Paulo Ferreira, posteriormente preso em junho do mesmo ano durante a Operação Custo Brasil, parte de um esquema acusado de fraudar um serviço de gestão de crédito consignado a funcionários públicos.[5][6][7]

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Lídia Maria : Primeira rainha da Praiana
  • Mario Varella : Primeiro mestre-sala de Porto Alegre
  • Angelina Fogo: Primeira passista da Praiana
  • Giba Giba: Músico e percussionista pelotense, grande defensor da cultura negra. Um dos fundadores da Praiana;
  • Caloca: Fundador da escola e diretor de bateria durante vários anos, até 1999;
  • Altair Fogo, Doca, Garoto e Osvaldo Abesserage (Godô): Fundadores;
  • Humberto Silva - Presidente da escola durante muitos anos, até 1999. É pai do ex-presidente de carnaval, Humberto Reis da Silva.
  • Célia Louruz (Nenê da Praiana): Personagem da escola, onde desfila todos os anos.
  • Altair Fogo: Fundadora e integrante da Praiana até seus ultimos dias de vida.
  • Orimes Ferraz: Músico da noite porto-alegrense, já falecido, e pai do intérprete de samba Sandro Ferraz, hoje no Império da Zona Norte. Foi também presidente da Praiana no último título, em 1976.
  • Miguel de Souza Filho (Miguelzinho): Intérprete da escola nos anos 1970.
  • Zé Gomes: Compositor de sambas importantes da Praiana, como Janaína e a Festa de Reis, de 1976.
  • Zé Grande: Um dos fundadores da escola, tendo sido compositor de sambas e diretor de harmonia.
  • Waldemar Moura Lima (Pernambuco): Diretor de bateria da escola.
  • Michelle Lima: Filha de Pernambuco, porta-bandeira do carnaval porto-alegrense, com passagens por Estado Maior da Restinga e Bambas da Orgia, tendo estreado na Praiana em 1986, com 16 anos.
  • Nara Mattos: Porta-estandarte histórica da escola.
  • Cláudio Macedo (Claudinho): Mestre-sala da Praiana durante 18 anos e compositor de sambas-enredo em diversas escolas de Porto Alegre
  • Julio Lemos (Julião): Diretor de carnaval da Praiana nos anos de 2000 à 2003.
  • Veronice de Abreu: Rainha de bateria, com passagens no Carnaval de São Paulo e no Carnaval Carioca [8]
  • Marco Aurélio Abenserrage, ex-presidente, filho do também ex-presidente e fundador, Osvaldo Valnir Abenserrage (Godô) e Terezinha Conceição Abenserrage, costureira das fantasias que ficaram na história do carnaval de Porto Alegre como o único prêmio hors concurso da história, em 1962.
  • Gabriel Camilo Barbosa: Fundador da escola, sendo premiado por anos de contribuição e dedicação com a Academia de Samba Praiana, fez parte da Diretoria e foi uma figura ímpar na ala da "Velha Guarda", considerado por muitos "Amigo da Praiana", por sempre ajudar de todas as formas a escola à desfilar no carnaval de Porto Alegre.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Miro Leal 2012 [9]
Ilza Angonese 2012-atualidade [2]

Presidentes de honra[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Miro Leal 2012 - atualidade [10]


Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Comissão de Carnaval Robinho Sorriso Estevão [11]
2016 Helvio Dias Mestre Guto [2]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 João Carlos e Laís
2015 Marcelinho e Hélida
2016 Chula e Priscila Abreu [2]

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Ano Rainha Madrinha Ref.
2014 Veronice de Abreu Maria Balbina (Bia)
2016 Priscila Rubira Rochele Duarte [2]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Academia de Samba Praiana
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1961 Campeã I A coroação de D. Pedro II.[12] Dyrson Cattani [12][13]
1962 Hors Concours I O Descobrimento do Brasil. [12]
1963 Vice-campeã I A origem do samba. Miguelzinho da Praiana [12]
1964 Campeã I May Fair Lady. [12]
1965 Campeã I Oferenda a Iemanjá. [12]
1966 Desclassificada I Porto Alegre à noite. [12]
1967 Hors Concours [12]
1968 5º lugar I África. Miguelzinho da Praiana [12]
1969 Vice-campeã I História e tradições do Rio de Janeiro. [12]
1970 Campeã I Conceição da Praia. Miguelzinho da Praiana [12][14]
1971 5º lugar I União, amor e paz. [12]
1972 4º lugar I Vida e glória de João da Golmeia. [12]
1973 5º lugar I Porto Alegre bicentenária. Miguelzinho da Praiana [12]
1974 5º lugar I No tempo da vovó. Miguelzinho da Praiana [12]
1975 4º lugar I Recife, seus vultos, folclore e assombrações. [12]
1976 Campeã I Janaína e a festa de Reis. Ademar Silva [12][15]
1977 4º lugar I Viagem fantástica de um narrador de sonhos. [12]
1978 5º lugar I Histórias que vovó contava. Queixinho [12]
1979 6º lugar I Açúcar, a rainha das bonecas. Beto Oliveira [12][16]
1980 3º lugar I As alegrias da vida. Carlos Medina [12][17]
1981 4º lugar I No Mundo do faz de conta. [12]
1982 3º lugar I Raízes e crenças de uma nação. Miguelzinho da Praiana [12][18]
1983 5º lugar I O primeiro baile de máscaras do Brasil. Paulo Dias (Jajá) [12][19]
1984 Vice-campeã I Sonhos e esmeraldas na grande ilusão do carnaval. Paulo Dias (Jajá) [12][20]
1985 3º lugar I Um poema em verde e rosa para Quintana. Paulo Dias (Jajá) [12][21]
1986 5º lugar I O Brasil que a censura encobriu- É proibido proibir. [12]
1987 6º lugar I É meia-noite, tem coruja dourada no telhado. Nego Izolino [12][22]
1988 5º lugar I Coisas da Bahia, sim senhor. Cláudião da Vila [12][23]
1989 3º lugar I Verde que te quero Rosa, a Praiana te canta Mangueira. Cláudio Barulho [12][24]
1990 6º lugar 1A Nos sonhos do universo, que Rei sou eu? Adoniram Ferreira [12][1]
1991 8º lugar 1A Arte, cultura e beleza no carnaval de uma princesa. Garri de Jesus Paulo Dias (Jajá) [12][1][25]
1992 7º lugar 1A Quem é do mar não enjoa. Comissão de Carnaval Paulo Dias (Jajá) [12][1]
1993 8º lugar 1A Lua e Sol - Cenário inspirador de um poeta (Túlio Piva). Guaraci Feijó Chulepe [12][1]
1994 8º lugar 1A Uma paixão em Verde e Rosa. Dirson Catani Alexandre Belo [12][1]
1995 8º lugar 1A Arrobobói - O arco-íris transforma as cores da magia. Sérgio Di Tânger Cláudio Barulho [12][1]
1996 9º lugar Especial A história de uma história - Um ato de amor. Sérgio Di Tânger Carlinhos de Pilares [12][1][26]
1997 Campeã Intermediário-A A melhor do dia "tá" na Gazeta da Praiana. Evandro Barbosa Dodô [12][1]
1998 Vice-campeã Especial O bom filho à casa torna. Cássio Carvalho Dodô [12][1][27]
1999 7º lugar Especial De 1000 passou, a 2000 não chegará. Será? Cássio Carvalho Dodô [12][1][28]
2000 Campeã Intermediário-A www.praiana.com.br Severo Luzardo Sandrinho Gessé [29][30][31]
2001 Vice-campeã Especial Eu quero é mais. Severo Luzardo Carlos Medina [32][33]
2002 4º lugar Especial Quero ficar com você. Severo Luzardo Carlos Medina [34][35]
2003 6º lugar Especial Uma viagem intergaláctica em Verde e Rosa. Jureci e Julião Carlos Medina [36][37]
2004 5º lugar Especial Como um peixe vivo pode viver fora da água fria? Severo Luzardo Carlos Medina [38][39]
2005 5º lugar Especial Obirici, lágrimas da dor. Uirapuru, um canto de amor. Renan Delavega Marcio Medina [40]
2006 7º lugar Especial O fabuloso vôo do Beija-Flor no carnaval do encantamento. Paulinho Durão [41][42]
2007 9º lugar Especial Vida nova nas terras santas das Cachoeiras do Sul Severo Luzardo Gilson Dornelles [43][44]
2008 5º lugar Especial Cabaré e Moulin Rouge: A Verde e Rosa conta uma história de fantasia, sedução, amor e paixão. Gugu Lacerda Maurício Azevedo [45][46][47]
2009 12º lugar Especial A Praiana é a bola da vez. (Bola De Pé Em Pé, Tô Na Área, Se Derrubar É Penalti. Escuto A Narração: É Goool! no Apito Final, O Grito Da Galera: É Campeão É Campeão) Marcos Pires (Quinho) Sandrinho Gessé [48][49]
2010 11º lugar Especial O velho teatro São Pedro novo ilumina a ribalta… No palco a Praiana engalanada é show do nosso carnaval. Guaracy Feijó Vander Salles e Ciganerey [50][51]
2011 10º lugar Especial Pelos caminhos da vida fiz minha pátria. Sou cigano, sou do mundo, sou feliz. Sérgio Ávila Alexandre Belo [52][53][54]
2012 Campeã A Do Paraíso os Pecados Capitais, Praiana mostra sua Ira. Sérgio Ávila Bruno Martins [55][56][57]
2013 10º lugar Especial Os Escudeiros da Luz e a Busca Pelas Alegrias da Vida. Márcio Puluker Tinga [11][58][59][60]
2014 3º lugar A O Pequeno Príncipe da Praiana Márcio Juarez Robinho Sorriso [61][62][63]
2015 3º lugar A Da cor a tinta, da tinta a arte em um mundo multicolorido a Praiana da tonalidade. Em uma noite multicolorida a Praiana pinta a passarela, exalando emoção, retrata o estudo das cores e importância das mesmas para humanidade Robinho Sorriso [64][65][66]
2016 5º lugar Grupão Uma declaração de amor em verde e rosa: Paulo Ferreira o homem do carnaval. Chico Espuma Robinho Sorriso [2][67][68][69]
As escolas da Série Prata não desfilaram em 2017.[70]

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • Campeã do Grupo Especial: 1961, 1964, 1965, 1970, 1976,[50]
  • Campeã do Grupo-Intermediário-A: 1997, 2000, 2012.[50]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Estandarte de Ouro
Grupo A
  • 2012: Alegorias, mestre-sala e porta-bandeira, evolução, fantasia, enredo, ala de passo marcado, ala de baianas, madrinha de bateria, passista masculino, comissão de frente, diretor de carnaval e presidente.[71]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m Sandra Maia (2001). Escolas de Samba e Tribos do Carnaval de Porto Alegre (PDF). [S.l.]: Prefeitura de Porto Alegre. p. 59 a 65. 156 páginas. Consultado em 20 de setembro de 2008 
  2. a b c d e f g h i j k l m «Diretoria e Departamentos». Academia de Samba Praiana. Consultado em 17 de agosto de 2015 
  3. «Miro Leal é aclamado presidente de honra da Praiana». Praiana. Consultado em 9 de março de 2012 
  4. «Academia de Samba Praiana». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 20 de Setembro de 2008 
  5. «Justiça aceita denúncia e ex-ministro Paulo Bernardo vira réu». G1 São Paulo. globo.com. 4 de agosto de 2016. Consultado em 14 de maio de 2017 
  6. Reinaldo Azevedo (4 de julho de 2016). «Madrinha de bateria, cantor e filhos de ex-tesoureiro do PT receberam propina». Blog Reinaldo Azevedo. veja.com. Consultado em 14 de maio de 2017 
  7. Cleide Carvalho e Ricardo Onofre (4 de julho de 2016). «Propina a ex-tesoureiro do PT teve até pagamento a blog e escola de samba, afirma Lava-Jato». O Globo. globo.com. Consultado em 14 de maio de 2017 
  8. Galeria do Samba. «Alegria da Zona Sul tem nova rainha de bateria». Consultado em 4 de outubro de 2013 
  9. «Miro Leal é aclamado presidente de honra da Praiana». Praiana. Consultado em 9 de março de 2012 
  10. «Miro Leal é aclamado presidente de honra da Praiana». Praiana. Consultado em 9 de março de 2012 
  11. a b Schuler, Roberta (15 de janeiro de 2013). «Praiana dá o recado». Diário Gaúcho. 4 páginas. Consultado em 15 de janeiro de 2013 
  12. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an «Os Carnavais». Site da Praiana. Consultado em 1 de abril de 2011. Cópia arquivada em 9 de março de 2001 
  13. «Uma inserção no universo espetacular de Dyrson Cattani» (PDF). Senacsp. Consultado em 16 de março de 2017 
  14. «PUXADORES DE SAMBA - VOZES QUE MARCARAM ÉPOCA». Camarote Cultural. Consultado em 23 de janeiro de 2016 
  15. «PUXADORES DE SAMBA - VOZES QUE MARCARAM ÉPOCA». Camarote Cultural. Consultado em 23 de janeiro de 2016 
  16. «LP 1979». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  17. «PUXADORES DE SAMBA - VOZES QUE MARCARAM ÉPOCA». Camarote Cultural. Consultado em 23 de janeiro de 2016 
  18. «LP 1982». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  19. «LP 1983». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  20. «LP 1984». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  21. «LP 1985». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  22. «LP 1987». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  23. «LP 1988». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  24. «LP 1989». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  25. «LP 1991». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  26. «Carlinhos de Pilares». Sambario. Consultado em 12 de janeiro de 2016 
  27. «CARNAVAL 98». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 14 de janeiro de 2016 
  28. «CD 1999». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  29. «Disputa acirrada por vaga no Especial». Correio do Povo. 8 de março de 2000. Consultado em 15 de março de 2009 
  30. «CARNAVAL 2000». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 13 de janeiro de 2016 
  31. «CARNAVAL 2000». praiana.com. Consultado em 12 de novembro de 2016 
  32. «Tinga e Imperadores na disputa». Correio do Povo. 1 de março de 2001. Consultado em 15 de março de 2009 
  33. «CD 2001». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  34. «Chegou a vez das melhores na avenida». Correio do Povo. 12 de fevereiro de 2002. Consultado em 15 de março de 2009 
  35. «CARNAVAL 2002». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 14 de janeiro de 2016 
  36. «Grupo Especial escolhe samba-enredo». Correio do Povo. 16 de novembro de 2002. Consultado em 15 de março de 2009 
  37. «CD 2003». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  38. «Quatro escolas entram na disputa pelo título». Correio do Povo. 26 de fevereiro de 2004. Consultado em 15 de março de 2009 
  39. «CD 2004». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  40. «Presidente da Praiana mostra confiança». Prefeitura de Porto Alegre. 8 de fevereiro de 2005. Consultado em 26 de março de 2011. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2005 
  41. «Escolas do Especial testam novo dia na avenida». Correio do Povo. 25 de fevereiro de 2006. Consultado em 15 de março de 2009 
  42. «CD 2006». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  43. «Escolas do Grupo Especial entram na disputa». Correio do Povo. 12 de fevereiro de 2007. Consultado em 15 de março de 2009 
  44. «CD 2007». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  45. «Verde e Rosa levanta a arquibancada». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 1 de outubro de 2008 
  46. «CD 2008». Porto na Folia. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  47. «Vila Mapa troca de porta-bandeira». Clicrbs. Consultado em 7 de abril de 2017 
  48. «Horários do desfiles de Porto Alegre». Rota do Samba. Consultado em 15 de março de 2009 
  49. «Gessé leva a Praiana». ClicRBS. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  50. a b c «Theatro São Pedro é o tema da Academia Praiana». Prefeitura de Porto Alegre. 9 de fevereiro de 2010. Consultado em 9 de fevereiro de 2010 
  51. «Vander Salles e Ciganerey na Praiana». ClicRBS. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  52. «Para acabar com longo jejum». Porto Alegre: Grupo RBS. Diário Gaúcho (em Língua portuguesa). 11 (3366). 7 páginas. 8 de fevereiro de 2011. Consultado em 7 de fevereiro de 2011 
  53. «O que balançará o Porto Seco». Diário Gaúcho. 26 de novembro de 2010. Consultado em 27 de novembro de 2010 
  54. «Carnavaleando com Marco Bica». CarnafoliaRS. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  55. «Academia de Samba Praiana». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 10 de fevereiro de 2012 
  56. Renato Dornelles (7 de outubro de 2011). «Chora Cavaco». Porto Alegre: Grupo RBS. Diário Gaúcho (em Língua portuguesa). 12 (3573). 3 páginas 
  57. «Carnavaleando com Marco Bica». CarnafoliaRS. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  58. Freitas, Caetanno (17 de janeiro de 2013). «De volta à elite em Porto Alegre, Praiana fala de superação de vícios». G1. Consultado em 17 de janeiro de 2013 
  59. «Tinga». Sambario. Consultado em 12 de janeiro de 2016 
  60. «Márcio Puluker é contratado pela Inocentes de Belford Roxo». Carnavalesco. Consultado em 30 de janeiro de 2016 
  61. «Os enredos do Carnaval 2014 de Porto Alegre». AECPARS. Consultado em 30 de novembro de 2013 
  62. «Copacabana é campeã do Intermediário A e está na elite do Carnaval». Correio do Povo. 4 de março de 2014. Consultado em 4 de março de 2014 
  63. «Praiana encerra desfile como favorita ao título». Baticumbum. Consultado em 1 de Fevereiro de 2016 
  64. «Cores: o enredo da Praiana para 2015». sidneyrezende. 25 de setembro de 2014. Consultado em 6 de janeiro de 2015 
  65. Cleber Saydelles e Vanessa Oppelt Conte (15 de fevereiro de 2015). «Grupo Intermediário A desfila neste domingo no Porto Seco». Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Consultado em 15 de fevereiro de 2015 
  66. Bibiana Barros e Andrea Brasil (17 de fevereiro de 2015). «Imperadores do Samba conquista o bicampeonato». Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Consultado em 17 de fevereiro de 2015 
  67. «Escolha do samba enredo». Academia de Samba Praiana. Consultado em 17 de agosto de 2015 
  68. Tamiris Souza (6 de fevereiro de 2016). «Grupão reuniu quatro escolas no primeiro dia». Prefeitura de Porto Alegre. Consultado em 6 de fevereiro de 2016 
  69. «A grande campeã do carnaval 2016 é Imperatriz Dona Leopoldina». LIESPA. 8 de fevereiro de 2016. Consultado em 8 de fevereiro de 2016 
  70. «Desfiles da Série Prata do Carnaval de Porto Alegre são cancelados». Correio do Povo. Consultado em 8 de abril de 2017 
  71. «Estandarte de Ouro é entregue aos melhores do Carnaval de Porto Alegre». G1. 1 de maio de 2012. Consultado em 1 de maio de 2012 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Academia de Samba Praiana
Ícone de esboço Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.