SS Sirius (1837)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
SS Sirius
 Reino Unido
Operador Saint George Steam Packet Company
Fabricante Robert Menzies & Sons of Leith
Estado Desmontado
Características gerais
Comprimento 56 m
Velocidade 12 nós (22 km/h)
Tripulação 42
Passageiros 36

O SS Sirius foi um navio a vapor com casco de madeira, construído em 1837 pela Robert Menzies & Sons of Leith, na Escócia, para a rota Londres-Cork operada pela Saint George Steam Packet Company.[1] No ano seguinte, ele foi fretado para duas viagens pela British and American Steam Navigation Company.[2]

O Sirius também foi muito importante no desenvolvimento das viagens transatlânticas.[3] Sua viagem de Liverpool para Nova Iorque em 4 de abril inaugurou as viagens transatlânticas e da competição pela viagem, mais rápida.[3]

O Sirius naufragou no dia 16 de Janeiro de 1847 após colidir com rochas subaquáticas. O acidente levou a medidas mais rígidas de segurança como, por exemplo, a construção de faróis para orientar os navios.

Características gerais[editar | editar código-fonte]

O Sirius tinha 56 metros de comprimento da proa até a popa e uma profundidade de retenção de 5,6 metros.[4] Sirius tinha também uma boca de 7,5 metros e um calado de 4,6 metros.[4] O navio podia carregar cerca de quatrocentas toneladas e possuía um peso de setecentas toneladas.[4]

O Sirius foi um dos primeiros navios a vapor construídos com um condensador que permitia que ele usasse água doce, evitando a necessidade de fechar periodicamente suas caldeiras no mar para limpeza.[1] Infelizmente, isso também resultou em alto consumo de carvão.[1]

Naufrágio[editar | editar código-fonte]

O Sirius naufragou em 16 de janeiro de 1847. Ele bateu em rochas em meio a uma densa névoa na Baía de Ballycotton, Irlanda. O único barco salva-vidas lançado estava muito sobrecarregado; inundado por mar agitado, os doze passageiros e dois tripulantes morreram afogados. A maioria dos 91 a bordo foram resgatados por corda passada até a costa, embora vinte vidas ao todo tenham sido perdidas.[5] Em resposta à perda do Sirius, a necessidade de um farol entre Old Head Kinsale e Hook Head na costa sul da Irlanda foi reconhecida.[5] O farol de Ballycotton, na ilha de Ballycotton, foi construído nos anos seguintes e iluminado em 1851.[5] O Sirius foi posteriormente reerguido e desmontado.

Referências

  1. a b c Gibbs, Charles Robert Vernon (1957). Passenger Liners of the Western Ocean: A Record of the North Atlantic Steam and Motor Passenger Vessels from 1838 to the Present Day (em inglês). [S.l.]: J. De Graff 
  2. «9780905617763: The St. George Steam Packet Company - AbeBooks - Greenwood, R.H.; Hawks, F.W.: 0905617762». www.abebooks.co.uk (em inglês). Consultado em 24 de abril de 2021 
  3. a b Goff, Olivier Le (1998). Les plus beaux paquebots du monde (em francês). [S.l.]: Solar 
  4. a b c T. Sheppard M.Sc., F.G.S., F.Z.S. (1 de janeiro de 1937). «The Sirius: The First Steamer to Cross the Atlantic». The Mariner's Mirror (1): 84–94. ISSN 0025-3359. doi:10.1080/00253359.1937.10657222. Consultado em 27 de abril de 2021 
  5. a b c Lights, Commissioners of Irish. «Ballycotton Lighthouse». www.irishlights.ie (em inglês). Consultado em 24 de abril de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.