STEREO

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outras acepções, veja Stereo.
STEREO Panels Deploy Vision.jpg
Operação Estados UnidosNASA
Destino Sol
Tipo de missão Orbitador
Lançamento 26 de Outubro de 2006
Local do Lançamento Estados UnidosCabo Canaveral, Flórida, EUA
Veículo de Lançamento Delta II
Designação COSPAR STEREO A STEREO B
Massa 620.0 kg

STEREO (Solar TErrestrial RElations Observatory) é uma missão de observação solar lançada em 25 de Outubro de 2006 às 8:52 p.m (EDT). Esta é a terceira missão do Solar Terrestrial Probes Program (STP). Foi lançada para fornecer uma visão única e revolucionária do sistema Sol-Terra. As duas sondas gêmeas viajam na órbita terrestre, uma antes (STEREO Ahead ou "STEREO A") e outra atrás do planeta (STEREO Behind ou "STEREO B") mapeando os fluxos de energia e matéria originadas no Sol.

A sonda tem revelado a estrutura 3D e como ocorrem as Ejeções de Massa Coronal (CMEs): violentas erupções solares que danificam satélites e linhas de transmissão terrestres.[1]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre STEREO

Objetivos da missão:[editar | editar código-fonte]

  • Entender as causas e mecanismos de iniciação das Ejeções de Massa Coronal (CME).
  • Caracterizar a propagação das CMEs através da heliosfera.
  • Descobrir os mecanismos e locais de aceleração de partículas energéticas sob a coroa solar e no meio interplanetário.
  • Auxiliar na determinação da estrutura e do ambiente dos ventos solares.

A missão:[editar | editar código-fonte]

A forma mais eficiente e barato de enviar os observatórios gêmeos seria lança-las a bordo de um único foguete e introduzi-las em suas respectivas órbitas utilizando o que é conhecido como "Lunar Swingbys". Esta foi a primeira vez que a técnica seria utilizada para manipular órbitas de mais de uma nave espacial ao mesmo tempo. Os responsáveis pela missão usaram a gravidade da Lua para direcionar os observatórios para suas órbitas apropriadas - apenas o lançamento do foguete não poderia faze-lo.

Por três meses após o lançamento, os observatórios voaram em órbitas estendidas altamente elípticas e próximas da Terra para apenas depois entrar na órbita lunar. A missão STEREO foi concebida para que cada uma das sondas utilizasse a gravidade lunar em momentos e formas diferentes, de forma que uma fosse direcionada à posição "A" (Ahead, ou à frente) e outra à posição "B" (Behind, ou atrás). A sonda STEREO B foi direcionada diretamente à posição "behind". Aproximadamente um mês depois o observatório STEREO A encontrou novamente com a Lua e foi redirecionado à posição "ahead".

As duas sondas STEREO possuem visão estereoscópica do Sol e de sua atmosfera. Quando estas informações são combinadas com outras de observatórios terrestres e de observatórios abaixo da órbita terrestres, as informações obtidas pelas sondas STEREO permitem aos cientistas rastrear o acúmulo e lançamento de energia magnética do Sol em trajetória à Terra.[2]

Perda e restabelecimento de contato com a STEREO Behind[editar | editar código-fonte]

Em 01 de outubro de 2014 as comunicações com a sonda STEREO Behind foram perdidas imediatamente após um reset planejado para as aeronaves. O reset era parte de um procedimento para testes.

O sistema de telemetria da sonda indicou uma anomalia no sistema de controle e orientação. Em 21 de agosto de 2016 o contato foi restabelecido com a sonda STEREO Behind pela primeira vez após 22 meses de tentativas.[3]

Ícone de esboço Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «STEREO Overview». 2015-03-25. Consultado em 2016-09-27. 
  2. «STEREO». stereo.gsfc.nasa.gov. Consultado em 2016-09-28. 
  3. «STEREO». stereo.gsfc.nasa.gov. Consultado em 2016-09-28.