Sacro Império de Reunião

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Sacro Império de Reunião
Reunião
Bandeira de Reunião
Brasão do Império
Lema: Fiat Justitia, Pereat Mundus
Hino nacional: Deus Salve o Imperador
Gentílico: reunião / reuniã

Localização

Capital Saint-Denis
21° 06′ 52″ S 55° 31′ 57″ E
Língua oficial Português, Inglês
Governo Monarquia potencialmente absolutista
• Imperador Cláudio de Castro
• Premier João Santana
• Presidente do Egrégio Luiz Azambuja
Área  
 • Total 2 510 km² 
• Água (%) 0,15%
População  
 • Estimativa para 2015[1] 1011 hab. 
IDH (2014) 0,915  – muito elevado
Moeda Cifra (X$)
Cód. ISO REU
Website governamental www.reuniao.org

O Sacro Império de Reunião (em inglês Holy Empire of Reunion) é uma micronação fundada em 28 de Agosto de 1997, como uma simulação política e constitucional e é um dos ícones do micronacionalismo lusófono.

Modelista, a micronação reivindica, como território de referência, a Ilha de Reunião. O império não tem soberania efetiva sobre nenhum destes territórios e jamais foi reconhecido por nenhum outro estado soberano. Seus criadores foram estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e, até hoje, a maioria dos seus "cidadãos" são brasileiros e portugueses.

O império cunha suas próprias moedas, imprime passaportes e notas de dinheiro, e produz bandeiras e estandartes para seus cidadãos desde o ano 2000. Segundo seus fundadores, o principal objetivo da micronação é promover uma profunda interação política entre seus participantes, com o intuito de fortalecer a formação e o interesse nessa área. No mesmo ano, o 'New York Times, numa reportagem sobre o micronacionalismo, citou o império como um de seus maiores expoentes e mencionou a política de bastidores da micronação, como dando lugar a "intrigas que não são vistas desde os anos de Luis XIV, que se dão na corte e listas virtuais" de Reunião.[2] Os "reuniãos" participam da política de seu país através de suas listas de discussão, fan page do Facebook e se encontram, com frequência anual, em sua convenção anual.

O interessante caso de Reunião foi também tratado no mais importante livro sobre o hobby que é o micronacionalismo, o francês Ils ne siégent pas a l'ONU, tendo merecido duas páginas inteiras.[3] de autoria do Professor Fabrice O'Driscoll, da Universidade de Aix-Marseille. Neste mesmo livro, são contados detalhes do singular sistema de governo da micronação, a monarquia potencialmente absoluta.

Muito ativa até os dias de hoje, mesmo com o enfraquecimento das listas de email, a micronação já foi tema de dezenas de matérias e artigos em mais de 20 meios de comunicação, tendo sido estrela de uma publicação de primeira página do maior jornal da verdadeira Ilha de Reunião Le Quotidien [4], que utilizou da micronação para traçar um paralelo entre sua independência fictícia e a vontade dos verdadeiros habitantes da ilha em serem independentes da França. Também foi tema de reportagens da Folha de S.Paulo.[5] Além de jornais e revistas, o império também deu base a algumas teses acadêmicas, em vários lugares do mundo.[6][7][8]

Em 2006, o "governo" do país ajudou a organizar a Equipe Intermicronacional Kiva, tendo emprestado, junto com outras micronações, mais de 1000 dólares americanos para pessoas passando necessidades em vários lugares do mundo.[9]

De acordo com a BBC de Londres, Reunião é uma das mais bem-relacionadas nações do micronacionalismo, tendo relações e contactos com mais de 175 outras.[10]

Referências

  1. Guia dos Curiosos
  2. The New York Times: "Utopian Rulers, and Spoofs, Stake Out Territory Online", 25 May 2000.
  3. "Ils ne siegent pas a l'ONU": Ils ne siègent pas à l'ONU. Webcitation.org. Visitado em 15/07/2012. ISBN 2-87867-251-8
  4. Capa do Jornal Le Quotidien
  5. (em português)(1998-08-05). Micronação sai do quarto para a Internet. Folha de S.Paulo.
  6. Taglioni, François. «INSULARITY, POLITICAL STATUS AND SMALL INSULAR SPACES» (PDF). Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  7. (em polonês)«Człowiek-wódka patrzy na lepszy świat». Kurier. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  8. (em italiano)Iolis, Andrea. «Teoria delle Micronazioni». Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  9. «Kiva». Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  10. Birth of a cybernation. BBC News.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]