Safet Sušić

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Safet Sušić
Safet Sušić
Informações pessoais
Nome completo Safet Sušić
Data de nasc. 13 de abril de 1955 (62 anos)
Local de nasc. Zavidovići, Iugoslávia
Nacionalidade Bósnio
Altura 1,74 m
Apelido Pape
Informações profissionais
Equipa atual Sem clube
Posição Treinador
Meia-atacante
Clubes de juventude
1971–1972
1972–1973
Jugoslávia FK Krivaja
Jugoslávia FK Sarajevo
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1973–1982
1982–1991
1991–1992
Jugoslávia FK Sarajevo
França Paris Saint-Germain
França Red Star
221 (86)
344 (86)
17 (3)
Seleção nacional
1977–1990 Flag of SFR Yugoslavia.svg Iugoslávia 54 (21)
Times/Equipas que treinou
1994–1995
1996–1998
2001
2004–2005
2005–2006
2006–2008
2008–2009
2009–2014
2015–2016
França Cannes
Turquia İstanbulspor
Arábia Saudita Al-Hilal
Turquia Konyaspor
Turquia Ankaragücü
Turquia Çaykur Rizespor
Turquia Ankaraspor
Flag of Bosnia and Herzegovina.svg Bósnia e Herzegovina
França Évian Thonon Gaillard
42
62
3
1
2
17
10
50
20

Safet Sušić (Zavidovići, 13 de abril de 1955) é um ex-futebolista e atualmente técnico de futebol bósnio. É considerado o maior nome do futebol de seu país e o maior ídolo da história do Paris Saint-Germain.[1] É o terceiro jogador que mais atuou com a camisa do PSG com 344 partidas, empatado com o francês Paul Le Guen.

É tio do meia-atacante Tino-Sven Sušić, cuja convocação foi criticada pela imprensa, acreditando em um favorecimento a ele, por ser seu sobrinho.

Carreira de jogador[editar | editar código-fonte]

Começou nos juvenis do Krivaja, clube de sua cidade, iniciando a carreira profissional em 1974, no Sarajevo, da capital homônima da Bósnia e Herzegovina (então parte da Iugoslávia), por onde jogaria até 1982, marcando 400 gols em 600 jogos. Na edição do campeonato iugoslavo de 1979/80, foi artilheiro da competição com 21 gols. Ainda em 1979, seria eleito o melhor jogador da Iugoslávia e o melhor atleta bósnio. Neste mesmo ano, chegou a marcar três gols na vitória por 4-2 sobre a Argentina, então campeã mundial.[1]

Estreou pela antiga Iugoslávia em 1977, mas a equipe falhou em obter a classificação para a Copa do Mundo da Argentina, no ano seguinte. Mas Sušić continuou na equipe a tempo de disputar a Copa de 1982 e a Eurocopa de 1984 (em que o país caiu em ambos na primeira fase), e, já veterano, o mundial de 1990. Neste, a equipe, reforçada por promessas que conquistaram pelo país o título do Campeonato Mundial de Futebol Sub-20, três anos antes, chegou às quartas-de-final, sendo eliminada nos pênaltis pela Argentina.[1] Sušić marcou um gol, na primeira fase, contra os Emirados Árabes. Despediu-se de seleções após a Copa, não chegando a jogar pela Bósnia, quando o país ficou independente.

Àquela altura, era jogador do Paris Saint-Germain, clube que se transferira após a Copa de 82. Lá conquistou o campeonato francês de 1985/86 e foi eleito o melhor jogador estrangeiro da temporada 82/83. O título de 1986 foi o único expressivo do PSG antes de receber investimentos multimilionários. Sušić acabaria eleito em 2012 o maior ídolo do clube parisiense.[1] Em 1991, foi para o Red Star de Saint-Ouen, disputando sua última temporada como jogador, aos 37 anos.

Carreira de técnico[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira de técnico em 1994, no Cannes. Comandou também İstanbulspor, Al-Hilal, Konyaspor, Ankaragücü, Çaykur Rizespor e Ankaraspor. Foi eleito, nos Prêmios do Jubileu da UEFA, o melhor jogador bósnio dos 50 anos da entidade.

Em dezembro de 2009, foi confirmado como novo treinador da Seleção da Bósnia.[2] Sob seu comando, a equipe enfim conseguiu classificar-se pela primeira vez a uma Copa do Mundo FIFA, a de 2014, no Brasil, em uma celebração considerada como ocasião de integração em um país ainda marcado pelas diferenças entre as etnias internas.[3]

Após um mau início nas eliminatórias para a Eurocopa de 2016, Susić foi afastado do cargo em novembro de 2014, dando lugar a Mehmed Baždarević, com quem atuara na Eurocopa de 1984. Seu último trabalho foi no Évian Thonon Gaillard, da segunda divisão francesa, onde trabalhou entre julho de 2015 e janeiro de 2016, quando perdeu o emprego em decorrência dos maus resultados da equipe. Para seu lugar, foi contratado Romain Revelli.

Referências

  1. a b c d BRANDÃO, Caio. «Sušić, técnico da Bósnia, já marcou um hat-trick na Argentina». Consultado em 15 de junho de 2014 
  2. GloboEsporte.com. «Ex-jogador da Iugoslávia nas Copas de 82 e 90 é o novo técnico da Bósnia». Consultado em 29 de dezembro de 2009 
  3. STEIN, Leandro. «Como a Copa está transformando a Bósnia em um país só». Consultado em 15 de outubro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Safet Sušić