Salinon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A salinon (vermelho) e o círculo (azul) tem a mesma área. Em roxo a área comum às duas figuras

Salinon (significando "saleiro" em grego) é uma figura geométrica que consiste em quatro semicírculos. Foi introduzida a primeira vez no livro dos lemas, uma obra atribuída a Arquimedes.[1]

Construção[editar | editar código-fonte]

Seja O a origem de um sistema de coordenadas cartesiano bidimensional. Sejam A, D, E e B quatro pontos em uma linha, com O dividindo a linha AB no meio. Seja AD = EB. Semicírculos são desenhados acima da linha AB com diâmetros AB, AD e EB, e outros semicírculo é desenhado abaixo com diâmetro DE. Uma salinon é a figura delimitada por estes quatro semicírculos.[2]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Área[editar | editar código-fonte]

Arquimedes introduziu a salinon em seu livro dos lemas aplicando o Livro II, Proposição 10 de Os Elementos de Euclides. Arquimedes notou que "a área da figura delimitada pelos quatro semicírculos é igual à área do círculo com diâmetro CF."[3]

A área da salinon é

[1]

Prova[editar | editar código-fonte]

Seja os pontos médios de AD e EB denotados por G e H, respectivamente. Portanto, AG = GD = EH = HB = r1. Como DO, OF e OE são todos raios do mesmo semicírculo, DO = OF = OE = r2. Por adição de segmentos, AG + GD + DO = OE + EH + HB = 2r1 + r2. Como AB é o diâmetro da salinon, CF é a linha de simetria. Como são todos raios do mesmo semicírculo, AO = BO = CO = 2r1 + r2.

Seja P o centro do círculo. Como CO = 2r1 + r2 e OF = r2, CF = 2r1 + 2r2. Portanto, o raio do círculo é r1 + r2. A área do círculo é portanto π(r1 + r2)2.

Seja x = r1 e y = r2. A área do semicírculo com diâmetro AB é

.

A área do semicírculo com diâmetro DE é

.

A área de cada um dos semicírculos com diâmetros AD e EB é

.

Assim, a área da salinon é

Q.E.D.[4]

Arbelos[editar | editar código-fonte]

Quando os pontos D e E coincidem com O, é formada uma arbelos, outra criação de Arquimedes, com simetria no eixo vertical.[3]

Referências

  1. a b Weisstein, Eric W. «"Salinon." From MathWorld--A Wolfram Web Resource». Consultado em 12 de janeiro de 2014. 
  2. Nelsen, Roger B. (2002). «Proof Without Words: The Area of a Salinon». Mathematics Magazine (PDF) [S.l.: s.n.] p. 130. 
  3. a b Bogomolny, Alexander. «Salinon: From Archimedes' Book of Lemmas from Interactive Mathematics Miscellany and Puzzles». Consultado em 12 de janeiro de 2014. 
  4. Umberger, Shannon. «Essay # 4 - The Arbelos and the Salinon». Consultado em 12 de janeiro de 2014.