Salmanaser III

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O rei Jeú de Israel curva-se perante Salmanaser III da Assíria.

Salmanaser ou Shalmeneser III (em acadiano Šulmānu-ašarēdu) foi rei de Assíria de 859 a.C. a 824 a.C. Era filho de Assurnasirpal II. O seu longo reinado foi marcado por uma série constante de campanhas militares contra as tribos dos povos orientais seus vizinhos. Combateu contra a Babilónia, a Mesopotâmia[necessário esclarecer], a Síria[necessário esclarecer], Kizzuwadna e Urartu.

Os seus exércitos penetraram até ao lago Vã e aos montes Tauro. Os Povos Hititas de Carquemis foram obrigados a pagar tributos ao novo soberano. Os reinos de Hamate e de Aram foram submetidos ao seu poder. Tiro Foi cercada durante cinco anos por Salmanaser III, que contou com o auxílio dos Fenícios do continente. Em 853 a.C. formou-se uma coligação dos reinos do Egito, Hamate, Arvad, as Amonites, "Acabe de Israel" e outros estados das vizinhanças, sob o comando rei Hadadezer de Damasco.

Este exército conjunto conseguiu infligir algum atraso nas conquistas do rei assírio na Batalha de Qarqar.

Entretanto, Salmanaser III, persistente nas suas tentativas de submeter Israel e a Síria, continuou com a guerra que seguiu pelos anos de 849 e em 846 a.C. Em 842 a.C., Salmanaser III, promoveu mais um combate, desta vez contra Hazael e Hadadezer, forçando a que as paredes da sua capital fossem o seu refúgio. Salmanaser III foi incapaz de capturar Damasco; no entanto, devastou todo o seu território. Jeú de Israel (cujos embaixadores são representados no Obelisco Preto existente no museu britânico), junto com as cidades fenícias, enviou-lhe por cautela um tributo em 841 a.C. A Babilônia acabou por ser conquistada e também os terrenos úmidos dos caldeus mais ao sul.

No ano de 836 a.C. Salmanaser III enviou uma expedição contra os Tibarenos (Tabal) que foi seguida por outra contra a Capadócia, e em 832 a.C. mandou ainda outra campanha militar contra Urartu. Depois destes combates, e já sentindo o peso da idade, o rei entregou o comando de seus exércitos ao Tartan (comandante-chefe) do turtānu Daiam-Assur. Seis anos mais tarde, Nínive e outras cidades revoltaram-se contra ele sob o comando do seu filho, Assurdaninpal. Esta guerra civil durou dois anos, até que a rebelião foi por fim parada por Samsiadade V, outro filho de Salmanaser III. Pouco tempo depois desta última vitória, Salmanaser III morreu.

Para a posterioridade ficou um palácio em Calá, e diversas edições dos anais reais que contam as suas campanhas militares.

Segundo a lista dos reis da Assíria, ele reinou por quinze anos, sendo precedido por seu pai Assurnasirpal II e sucedido por seu filho Samsiadade V.[1]

Precedido por
Assurnasirpal II
Reis da Assíria
por 15 anos
Sucedido por
Samsiadade V

Referências

  1. Assyrian King List, site www.livius.org