Salmanaser IV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Salmanaser IV
Nascimento Século IX a.C.
Morte 772 a.C.
Cidadania Assíria
Progenitores Pai:Adad-nirari III
Irmão(s) Assurnirari V, Ashur-dan III
Ocupação monarca, soberano

Salmanaser/Shalmaneser IV, rei da Assíria de 781 a 772 a.C., foi filho e sucessor de Adadenirari III, e foi sucedido por Assurdã III.[1][Nota 1]

Durante seu reinado a Assíria entrou em conflito com Urartu, um reino ao norte da Assíria, e sobre o qual há uma inscrição de Adadenirari III, se gabando de que havia submetido o reino; Donald A. Mackenzie, porém, acredita que Adadenirari havia apenas impedido a expansão ao sul deste reino. Urartu era, como Mitani, uma aristocracia militar, unida pela conquista de tribos ao norte da Assíria que estes incluíam como parte de seu império. Eles incorporaram elementos da cultura assíria, e usavam as letras assírias em suas inscrições. O nome do seu deus era Caldis, e se chamavam a sua nação de Caldia.[1]

Durante o reinado de Adadenirari, Argistis sucedeu a seu pai Menuas como rei de Urartu, e atacou o norte da Assíria. Por três anos (781 - 778 a.C.), o general de Salmanaser lutou contra Urartu, e mais duas campanhas, em 776 a.C. e 774 a.C., foram feitas para tentar conter a expansão ao sul de Urartu, porém em várias ocasiões os assírios foram derrotados e forçados a recuar.[1] A lista dos magistrados epônimos da Assíria menciona os conflitos contra Urartu, nos quatro anos (781/780 a 778/777) nomeados, respectivamente, a Salmanaser, Samsilu, o comandante-em-chefe, Marduque-Remani, o copeiro e Beleser, o porta-voz, no ano 776/775, nomeado a Panassurlamur, governador de Assur e no ano 774/773, nomeado a Ištar-duri, governador de Nísibis.[2]

A perda de prestígio da Assíria levou a revolta em Damasco e a grandes distúrbios no norte da Síria.[1] A campanha contra Damasco ocorreu no ano 773/772, nomeado a Manuquiadade, governador de Racmate.[2] Foi neste cenário de dificuldades que o sucessor de Salmanaser, Assurdã III, assumiu o trono.[1]

Notas e referências

Notas

  1. A numeração de reis é uma convenção moderna, e varia de autor para autor. Donald A. Mackenzie numera estes três reis, do avô para o neto, Adadenirari IV, Salmanaser IV e Assurdã III.

Referências

  1. a b c d e Donald A. Mackenzie, Myths of Babilonia and Assyria (1915), Chapter XVIII, The Age of Semiramis [em linha]
  2. a b Jona Lendering, Assyrian Eponym List (1/3), texto originalmente publicado por Jean-Jacques Glassner, Chroniques Mésopotamiennes (1993), traduzido como Mesopotamian Chronicles (2004) [em linha]