Salomão Ribas Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Salomão Ribas Junior
Nascimento 24 de abril de 1945 (74 anos)
Caçador
Nacionalidade Brasileiro
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Federal Fluminense
Ocupação Radialista, advogado, escritor e político

Salomão Antônio Ribas Junior (Caçador, 24 de abril de 1945) é um radialista, advogado, escritor e político brasileiro.

Foi deputado à Assembleia Legislativa de Santa Catarina na 10ª legislatura (1983 — 1987) e na 11ª legislatura (1987 — 1991), como suplente convocado, eleito pelo Partido Democrático Social (PDS).

Vida[editar | editar código-fonte]

Filho de Salomão Antônio Ribas e de Olinda Ribas, morou em Curitiba e no Rio de Janeiro, onde bacharelou-se em direito pela Universidade Federal Fluminense, em 1972. É radialista e jornalista provisionado, tendo atuado na imprensa como profissional e como colaborador de jornais, revistas, rádios e TVs.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Salomão Ribas Junior fez parte do primeiro escalão de vários governos catarinenses. Entre 1975 e 1986, ocupou os seguintes cargos:

  • Secretário da Educação (1975 a 1977)
  • Secretário da Casa Civil (1977 a 1979)
  • Consultor Geral do Estado (1979 a 1980)
  • Secretário da Saúde e Promoção Social (interino)
  • Secretário de Imprensa (interino)
  • Secretário da Cultura, Esporte e Turismo (1985 a 1986).

Foi membro do primeiro conselho consultivo da Fundação Catarinense de Cultura e membro do Conselho Estadual de Cultura (1978 a 1982), do Conselho Estadual de Educação (1977 a 1982), e do Conselho de Tecnologia e Meio Ambiente (1977 a 1979).

Foi deputado à Assembleia Legislativa de Santa Catarina na 10ª legislatura (1983 — 1987) e na 11ª legislatura (1987 — 1991), como suplente convocado, eleito pelo Partido Democrático Social (PDS).

Em 1990 renunciou ao mandato de deputado estadual para tomar posse como conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina.

Entre 1991 e 1992 foi professor colaborador da ESAG (Escola Superior de Administração e Gerência), parte integrante da UDESC (Universidade para o Desenvolvimento de Santa Catarina).

É membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. Desde 1992 é o titular da cadeira 38 da Academia Catarinense de Letras.

Como escritor, além de colaborar com diversos jornais e revistas e participar em antologias e coletâneas, publicou várias obras e trabalhos, destacando-se: A Educação em Debate (1976), O Povo no Poder (1977), Considerações sobre a Reforma Tributária (1983), O Velho da Praia Vermelha e Outros Contos (1993), obra que serviu de base para o curta-metragem “Perto do Mar”, do cineasta Zeca Pires, lançado em fins de 2002, Uma Viagem a Hessen (1996), Retratos de Santa Catarina (1998), Corrupção Endêmica – Os Tribunais de Contas e o Combate à Corrupção (2000) e Ética, Governo e Sociedade (2003)

Foi conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina, tendo se aposentado em junho de 2014. Foi presidente da Academia Catarinense de Letras, de 2014 a 2018.[1]

Publicações[editar | editar código-fonte]

  • A Educação em Debate, 1976
  • O Povo no Poder 1977
  • Considerações sobre a Reforma Tributária,1983
  • O Velho da Praia Vermelha e Outros Contos, 1993
  • Uma Viagem a Hessen, 1996
  • Retratos de Santa Catarina, 1998
  • Corrupção Endêmica – Os Tribunais de Contas e o Combate à Corrupção, 2000
  • Ética, Governo e Sociedade, 2003.

Referências

  1. Salomão Ribas Júnior, Memória Política de Santa Catarina, em memoriapolitica.alesc.sc.gov.br

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Piazza, Walter: Dicionário Político Catarinense. Florianópolis: Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Maura de Senna Pereira
Logo academia.gif ACL - cadeira 38
? — atualidade
Sucedido por


Ícone de esboço Este artigo sobre políticos ou política de Santa Catarina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.