Salvator Mundi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Salvator Mundi por Antonello da Messina (1430-1479).

Salvator Mundi, ou Salvador do Mundo, é um tema da iconografia de Jesus Cristo, representando-O, em menino ou idade adulta, com a Sua mão direita fazendo uma bênção e a mão esquerda segurando um globo de soberano encimado por uma cruz, conhecido como globus cruciger. Este último simboliza a Terra, e a composição tem fortes ligações escatológicas.

Pintura[editar | editar código-fonte]

O tema foi tornado popular por pintores do norte da Europa, como Jan van Eyck, Hans Memling, e Albrecht Dürer. Existem diversas versões do tema atribuídas a Ticiano, em especial a exposta no Museu Hermitage.

Em França, Leonardo da Vinci pintou este tema para Luís XII entre 1506 e 1513[1]. Aceita-se em geral que tal obra se perdeu, embora o Marquês de Ganay tenha afirmado que a versão em sua posse (em 1911) era a original.

El Salvador (1610-14) por El Greco no Museu El Greco. 
Salvator Mundi (ca. 1505) por Dürer no Metropolitan Museum of Art. 
Cristo com esfera (cópia) no Museu Nacional de Belas Artes 
O Menino Jesus Salvador do Mundo por Josefa de Óbidos na Igreja de Cascais 

Salvator Mundi por Leonardo da Vinci[editar | editar código-fonte]

Salvator Mundi (ca. 1500), atribuído a Leonardo da Vinci.

O quadro (65,6 x 45,5 cm) Salvator Mundi de Leonardo da Vinci fora vendido em 1958 em Inglaterra por 45 libras (perto de 55 euros).

Em 3 de março de 2014 a obra pertencia a dois historiadores e negociantes de arte de Nova Iorque, que o tinham adquirido na década de 2000, por um valor desconhecido. Quando compraram o quadro, os historiadores viram que a tela, apesar de estar muito deteriorada e com várias camadas de tinta, era de Leonardo da Vinci. A obra foi submetida a uma morosa investigação, feita por dezena e meia de especialistas, dos Estados Unidos, Inglaterra, Itália e de instituições como a National Gallery de Londres e de Washington, o Metropolitan Museum de Nova Iorque.

A descoberta da obra de arte, intitulada “Salvator Mundi”, datada de meados de 1500, representa a figura de Cristo. A última vez que um quadro foi atribuído a Leonardo da Vinci foi em 1909 com a obra de arte “Benois Madonna”, exposta, actualmente, no Museu Hermitage em São Petersburgo, na Rússia.

A obra foi vendida num leilão da Sotheby's de Nova Iorque, em maio de 2013 por uma verba entre 54,6 a 58,2 milhões de euros. O comprador é privado e não identificado. O valor da venda da obra só agora foi noticiado em março de 2014[2].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Joanne Snow-Smith, The Salvator Mundi of Leonardo da Vinci, Seattle : Henry Art Gallery, University of Washington, 1982. OCLC 8986183
  2. «Salvator Mundi de Da Vinci leiloado por mais de 50M»