Diferenças entre edições de "San-São"

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Linha 1 012: Linha 1 012:
 
* O Santos leva vantagem em finais contra o São Paulo: já ganhou quatro finais diretas contra o tricolor (Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1956|1956]], [[Campeonato Paulista de Futebol de 1967|1967]], [[Campeonato Paulista de Futebol de 1969|1969]] e [[Campeonato Paulista de Futebol de 1978|1978]]. O São Paulo ganhou duas finais diretas (Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1980|1980]] e [[Campeonato Paulista de Futebol de 2000|2000]]).
 
* O Santos leva vantagem em finais contra o São Paulo: já ganhou quatro finais diretas contra o tricolor (Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1956|1956]], [[Campeonato Paulista de Futebol de 1967|1967]], [[Campeonato Paulista de Futebol de 1969|1969]] e [[Campeonato Paulista de Futebol de 1978|1978]]. O São Paulo ganhou duas finais diretas (Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1980|1980]] e [[Campeonato Paulista de Futebol de 2000|2000]]).
 
* Em todas as edições da [[Torneio Roberto Gomes Pedrosa|Taça de Prata]] (1967, 1968, 1969 e 1970), o Santos terminou na frente do São Paulo.
 
* Em todas as edições da [[Torneio Roberto Gomes Pedrosa|Taça de Prata]] (1967, 1968, 1969 e 1970), o Santos terminou na frente do São Paulo.
* O São Paulo já eliminou o Santos de um torneio em confronto direto por quatro vezes: nos Brasileirões de [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 1981|1981]] (oitavas-de-final) e [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 1990|1990]] (quartas-de-final), na [[Supercopa Libertadores 1992|Supercopa Libertadores de 1992]] (oitavas-de-final) e no [[Campeonato Paulista de Futebol de 1983|Paulistão de 1983]] (semifinais). O Santos eliminou o São Paulo em confronto direto por seis vezes, no Brasileirão de [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 2002|2002]] (quartas-de-final), na Copa Sul-Americana de 2004 (oitavas-de-final) e nos Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1978|1978]] (quartas-de-final do primeiro turno), [[Campeonato Paulista de Futebol de 2010|2010]] (semifinais), [[Campeonato Paulista de Futebol de 2011|2011]] (semifinais) e [[Campeonato Paulista de Futebol 2012|2012]] (semifinais).
+
* O São Paulo já eliminou o Santos de um torneio em confronto direto por quatro vezes: nos Brasileirões de [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 1981|1981]] (oitavas de final) e [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 1990|1990]] (quartas de final), na [[Supercopa Libertadores 1992|Supercopa Libertadores de 1992]] (oitavas de final) e no [[Campeonato Paulista de Futebol de 1983|Paulistão de 1983]] (semifinais). O Santos eliminou o São Paulo em confronto direto por seis vezes, no Brasileirão de [[Campeonato Brasileiro de Futebol de 2002|2002]] (quartas de final), na Copa Sul-Americana de 2004 (oitavas de final) e nos Paulistões de [[Campeonato Paulista de Futebol de 1978|1978]] (quartas de final do primeiro turno), [[Campeonato Paulista de Futebol de 2010|2010]] (semifinais), [[Campeonato Paulista de Futebol de 2011|2011]] (semifinais) e [[Campeonato Paulista de Futebol de 2012|2012]] (semifinais).
 
* Santos e São Paulo são os maiores campeões de títulos internacionais do Brasil.
 
* Santos e São Paulo são os maiores campeões de títulos internacionais do Brasil.
 
* Há uma longa tradição de jogadores que foram ídolos em ambos os clubes: [[Araken Patusca]], [[Mauro Ramos de Oliveira]], [[Toninho Guerreiro]], [[Pita]], [[Pagão]],[[Paulo Henrique Ganso]] e [[Serginho Chulapa]], por exemplo.
 
* Há uma longa tradição de jogadores que foram ídolos em ambos os clubes: [[Araken Patusca]], [[Mauro Ramos de Oliveira]], [[Toninho Guerreiro]], [[Pita]], [[Pagão]],[[Paulo Henrique Ganso]] e [[Serginho Chulapa]], por exemplo.
Linha 1 018: Linha 1 018:
 
* Serginho Chulapa é o jogador com a história mais misturada aos dois times: fez o gol do título são-paulino na final do Paulistão de 1980 justamente diante do Santos, mas também fez o gol do título do Santos em [[Campeonato Paulista de Futebol de 1984|1984]], diante do Corinthians. Além disso, Serginho é o maior artilheiro da história do São Paulo, apesar de ser torcedor santista.
 
* Serginho Chulapa é o jogador com a história mais misturada aos dois times: fez o gol do título são-paulino na final do Paulistão de 1980 justamente diante do Santos, mas também fez o gol do título do Santos em [[Campeonato Paulista de Futebol de 1984|1984]], diante do Corinthians. Além disso, Serginho é o maior artilheiro da história do São Paulo, apesar de ser torcedor santista.
 
* [[Pelé]] também teve seu ídolo no futebol: foi [[Tomás Soares da Silva|Zizinho]], que disputou o Paulistão de 1957 pelo São Paulo — sagrando-se campeão e tendo o Santos como vice.
 
* [[Pelé]] também teve seu ídolo no futebol: foi [[Tomás Soares da Silva|Zizinho]], que disputou o Paulistão de 1957 pelo São Paulo — sagrando-se campeão e tendo o Santos como vice.
* A tarde de 14 de agosto de 1963, uma quinta-feira, acabou entrando para a eternidade, principalmente pela façanha dos 11 heróis tricolores diante da máquina de jogar bola, chamada Santos, de Pelé e cia. Talvez o melhor de todos os tempos. E esse Santos, atual campeão mundial de clubes (que viria a ser bi naquele mesmo ano), dava como favas contadas o clássico diante do fraco São Paulo. A equipe santista era notável. Contava com craques do nível do goleiro Gilmar (bicampeão do mundo pela Seleção), do zagueiro Mauro Ramos (ex-São Paulo e também bi pelo Brasil), do volante Zito (outro bi-mundial) e dos atacantes Coutinho, Pelé e Pepe, que dispensam maiores comentários. Já o São Paulo era um time modesto,mas contava, porém, com atletas de um quilate de Pagão, Bellini (capitão do primeiro mundial brasileiro em 58) e Roberto Dias, um dos maiores zagueiros da história do futebol. O show no Pacaembu começou logo aos cinco minutos de jogo. O volante Faustino fez o primeiro, deixando o Santos atordoado com o gol repentino. Ferido, o Santos foi para cima e Pelé, referência absoluta dos praianos, era incansavelmente marcado pelo pequenino Dias. O Rei não aguentava tamanha "perseguição". Aos 21, Pelé, sempre ele, empatou. Aos 37, o atacante Benê marcou o segundo tento tricolor. Antes do final da primeira etapa, delírio no Pacaembu: Sabino fez o terceiro. Aliás, o próprio era apelidado de Pelé II, pela grande semelhança (física) com o Rei. Pelé, possesso, peitou o árbitro Armando Marques com o apoio de [[Coutinho]], sendo ambos expulsos. O clima no vestiário praiano não era dos melhores. O Santos voltou para o gramado sem Aparecido. Na sequência, [[Pepe]] caiu no gramado aparentando uma contusão. O Tricolor não se importou com o desespero santista e, aos sete, Pagão marcou o quarto. Logo após o quarto tento tricolor, Dorval tambem disse estar sentindo contusão. Com seis homens em campo, o Santos ficou impossibilitado de prosseguir, e o árbitro Armando Marques encerrou a partida, conhecida como o [[Jogo dos 54 minutos]]. A manchete do jornal ''[[A Gazeta Esportiva]]'' do dia seguinte foi "Santos fugiu do campo!".
+
* A tarde de 14 de agosto de 1963, uma quinta-feira, acabou entrando para a eternidade, principalmente pela façanha dos 11 heróis tricolores diante da máquina de jogar bola, chamada Santos, de Pelé e cia. Talvez o melhor de todos os tempos. E esse Santos, atual campeão mundial de clubes (que viria a ser bi naquele mesmo ano), dava como favas contadas o clássico diante do fraco São Paulo. A equipe santista era notável. Contava com craques do nível do goleiro Gilmar (bicampeão do mundo pela Seleção), do zagueiro Mauro Ramos (ex-São Paulo e também bi pelo Brasil), do volante Zito (outro bi-mundial) e dos atacantes Coutinho, Pelé e Pepe, que dispensam maiores comentários. Já o São Paulo era um time modesto,mas contava, porém, com atletas de um quilate de Pagão, Bellini (capitão do primeiro mundial brasileiro em 58) e Roberto Dias, um dos maiores zagueiros da história do futebol. O show no Pacaembu começou logo aos cinco minutos de jogo. O volante Faustino fez o primeiro, deixando o Santos atordoado com o gol repentino. Ferido, o Santos foi para cima e Pelé, referência absoluta dos praianos, era incansavelmente marcado pelo pequenino Dias. O Rei não aguentava tamanha "perseguição". Aos 21, Pelé, sempre ele, empatou. Aos 37, o atacante Benê marcou o segundo tento tricolor. Antes do final da primeira etapa, delírio no Pacaembu: Sabino fez o terceiro. Aliás, o próprio era apelidado de Pelé II, pela grande semelhança (física) com o Rei. Pelé, possesso, peitou o árbitro Armando Marques com o apoio de [[Coutinho]], sendo ambos expulsos. O clima no vestiário praiano não era dos melhores. O Santos voltou para o gramado sem Aparecido. Na sequência, [[Pepe]] caiu no gramado aparentando uma contusão. O Tricolor não se importou com o desespero santista e, aos sete, Pagão marcou o quarto. Logo após o quarto tento tricolor, Dorval também disse estar sentindo contusão. Com seis homens em campo, o Santos ficou impossibilitado de prosseguir, e o árbitro Armando Marques encerrou a partida, conhecida como o [[Jogo dos 54 minutos]]. A manchete do jornal ''[[A Gazeta Esportiva]]'' do dia seguinte foi "Santos fugiu do campo!".
 
* São Paulo e Santos já montaram um combinado, unindo jogadores, dirigentes e torcedores sobre a mesma camisa: em 30 de dezembro de 1934, um combinado São Paulo/Santos perdeu por 2 a 1 para um combinado [[Clube de Regatas do Flamengo|Flamengo]]/[[Fluminense Football Club|Fluminense]], jogando no [[Estádio Antônio Alonso]] em São Paulo.
 
* São Paulo e Santos já montaram um combinado, unindo jogadores, dirigentes e torcedores sobre a mesma camisa: em 30 de dezembro de 1934, um combinado São Paulo/Santos perdeu por 2 a 1 para um combinado [[Clube de Regatas do Flamengo|Flamengo]]/[[Fluminense Football Club|Fluminense]], jogando no [[Estádio Antônio Alonso]] em São Paulo.
   

Revisão das 22h27min de 2 de setembro de 2014

San-São
Santos 95 vitória(s), 416 gol(s)
São Paulo 127 vitória(s), 493 gol(s)
Empates 69
Total de jogos 291
Total de gols 909
editar

San-São é, no futebol paulista, o confronto entre Santos e São Paulo. Este apelido foi dado pelo jornalista Tomás Mazzoni, do jornal A Gazeta Esportiva, em 1956.[1]

O clássico sempre teve fama de costumeiramente ter como vencedor o time que vive pior momento[2], embora quando se enfrentaram na disputa de títulos o time com as melhores condições sempre tenha vencido[3].

Estatísticas

Estatísticas geral

  • Partidas: 291 (de 11 de maio de 1930 a 23 de fevereiro de 2014)
  • Vitórias do São Paulo: 127
  • Vitórias do Santos: 95
  • Empates: 69
  • Gols do São Paulo: 493
  • Gols do Santos: 416
  • Total de gols no clássico: 909

Estatísticas no Morumbi

  • Jogos: 99
  • Vitórias do São Paulo: 48
  • Vitórias do Santos: 24
  • Empates: 27
  • Gols do São Paulo: 153
  • Gols do Santos: 121

Estatísticas na Vila Belmiro

  • Jogos: 98
  • Vitórias do Santos: 43
  • Vitórias do São Paulo: 32
  • Empates: 23
  • Gols do Santos: 166
  • Gols do São Paulo: 146

Último jogo

  • 24 de agosto de 2014: São Paulo 2×1 Santos, no Morumbi (Brasileirão 2014)

Primeiro jogo

Campeonatos Brasileiros

  • Jogos: 54
    • Vitórias do São Paulo: 24
    • Vitórias do Santos: 20
    • Empates: 10
    • Gols do São Paulo: 70
    • Gols do Santos: 67

Campeonatos Paulistas

  • Jogos: 169
    • Vitórias do São Paulo: 73
    • Vitórias do Santos: 50
    • Empates: 46
    • Gols do São Paulo: 301
    • Gols do Santos: 241

Maior vitória do São Paulo

  • São Paulo: 9 a 1 (18 de junho de 1944, Campeonato Paulista, no Pacaembu)

Maior vitória do Santos

  • Santos: 6 a 2 (7 de março de 1963, Rio-SP, no Pacaembu)

Lista de jogos

Lista de Jogos
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 24/8/2014 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 23/2/2014 Campeonato Paulista
Santos 3×0 São Paulo Vila Belmiro 2/10/2013 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×2 Santos Morumbi 7/7/2013 Campeonato Brasileiro
Santos 3×1 São Paulo Vila Belmiro 3/2/2013 Campeonato Paulista
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 9/9/2012 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 10/6/2012 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×3 Santos Morumbi 29/4/2012 Campeonato Paulista
São Paulo 3×2 Santos Morumbi 18/3/2012 Campeonato Paulista
São Paulo 4×1 Santos Romildo Ferreira 4/12/2011 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 28/8/2011 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×2 Santos Morumbi 30/4/2011 Campeonato Paulista
Santos 2×0 São Paulo Arena Barueri 30/1/2011 Campeonato Paulista
São Paulo 4×3 Santos Morumbi 17/10/2010 Campeonato Brasileiro
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 25/7/2010 Campeonato Brasileiro
Santos 3×0 São Paulo Vila Belmiro 18/4/2010 Campeonato Paulista
São Paulo 2×3 Santos Morumbi 11/4/2010 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Arena Barueri 7/2/2010 Campeonato Paulista
Santos 3×4 São Paulo Vila Belmiro 25/10/2009 Campeonato Brasileiro
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 19/7/2009 Campeonato Brasileiro
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 1/3/2009 Campeonato Paulista
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 31/8/2008 Campeonato Brasileiro
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 1/6/2008 Campeonato Brasileiro
São Paulo 3×2 Santos Morumbi 10/2/2008 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 15/9/2007 Campeonato Brasileiro
Santos 0×2 São Paulo Vila Belmiro 24/6/2007 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 11/3/2007 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 5/11/2006 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×4 Santos Morumbi 30/7/2006 Campeonato Brasileiro
São Paulo 3×1 Santos Morumbi 2/4/2006 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 22/10/2005 Campeonato Brasileiro
Santos 2×1 São Paulo Vila Belmiro 17/7/2005 Campeonato Brasileiro
Santos 0×0 São Paulo Wilson de Barros 3/4/2005 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 24/10/2004 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×1 Santos Morumbi 20/10/2004 Copa Sul-Americana
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 10/10/2004 Copa Sul-Americana
Santos 2×1 São Paulo Vila Belmiro 10/7/2004 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 4/10/2003 Campeonato Brasileiro
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 1/6/2003 Campeonato Brasileiro
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 15/2/2003 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 28/11/2002 Campeonato Brasileiro
Santos 3×1 São Paulo Vila Belmiro 24/11/2002 Campeonato Brasileiro
São Paulo 3×2 Santos Morumbi 16/10/2002 Campeonato Brasileiro
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 7/4/2002 Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 3/10/2001 Campeonato Brasileiro
São Paulo 4×2 Santos Morumbi 4/2/2001 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 9/8/2000 Copa João Havelange
São Paulo 2×2 Santos Morumbi 18/6/2000 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Morumbi 10/6/2000 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 13/5/2000 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 10/5/2000 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 2/2/2000 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 5×2 Santos Morumbi 26/1/2000 Torneio Rio-São Paulo
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 28/7/1999 Campeonato Brasileiro
Santos 1×2 São Paulo Pacaembu 24/3/1999 Campeonato Paulista
São Paulo 1×3 Santos Morumbi 23/8/1998 Campeonato Brasileiro
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 28/3/1998 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Vila Belmiro 7/3/1998 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Prudentão 14/2/1998 Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×1 São Paulo Santa Cruz 31/1/1998 Torneio Rio-São Paulo
Santos 2×1 São Paulo Vila Belmiro 17/9/1997 Campeonato Brasileiro
São Paulo 3×0 Santos Morenão 17/6/1997 Torneio Amistoso
São Paulo 1×0 Santos Pacaembu 31/5/1997 Campeonato Paulista
Santos 2×2 São Paulo Morumbi 23/4/1997 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Morumbi 16/3/1997 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 24/8/1996 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Verdão 28/6/1996 Torneio Amistoso
São Paulo 2×1 Santos Pacaembu 14/4/1996 Campeonato Paulista
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 3/2/1996 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 19/9/1995 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×0 Santos Parque do Sabiá 28/7/1995 Torneio Amistoso
Santos 2×1 São Paulo Parque do Sabiá 5/7/1995 Torneio Amistoso
São Paulo 0×0 Santos Pacaembu 4/6/1995 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 9/4/1995 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Vila Belmiro 8/10/1994 Campeonato Brasileiro
Santos 0×0 São Paulo Morumbi 10/4/1994 Campeonato Paulista
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 30/1/1994 Campeonato Paulista
São Paulo 6×1 Santos Morumbi 3/6/1993 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Pacaembu 21/5/1993 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 25/4/1993 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 7/3/1993 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Pacaembu 18/11/1992 Campeonato Paulista
Santos 0×3 São Paulo Pacaembu 11/11/1992 Campeonato Paulista
São Paulo 4×1 Santos Pacaembu 13/10/1992 Supercopa Libertadores
Santos 1×1 São Paulo Parque Antártica 29/9/1992 Supercopa Libertadores
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 20/9/1992 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 5/9/1992 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 1/7/1992 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Pacaembu 27/6/1992 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 29/1/1992 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 17/2/1991 Campeonato Brasileiro
São Paulo 1×1 Santos Morumbi 1/12/1990 Campeonato Brasileiro
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 24/11/1990 Campeonato Brasileiro
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 29/8/1990 Campeonato Brasileiro
Santos 0×1 São Paulo Pacaembu 25/3/1990 Campeonato Paulista
São Paulo 3×0 Santos Morumbi 11/11/1989 Campeonato Brasileiro
Santos 2×1 São Paulo Pacaembu 18/5/1989 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 2/10/1988 Campeonato Brasileiro
Santos 1×1 São Paulo Pacaembu 13/7/1988 Campeonato Paulista
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 29/6/1988 Campeonato Paulista
São Paulo 0×3 Santos Morumbi 22/5/1988 Campeonato Paulista
São Paulo 3×1 Santos Morumbi 24/10/1987 Copa União
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 2/8/1987 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 19/4/1987 Campeonato Paulista
Santos 0×0 São Paulo Morumbi 23/11/1986 Campeonato Brasileiro
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 19/10/1986 Campeonato Brasileiro
Santos 1×0 São Paulo Municipal de Riazor 9/8/1986 Torneio Amistoso
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 13/7/1986 Campeonato Paulista
Santos 1×3 São Paulo Morumbi 30/3/1986 Campeonato Paulista
São Paulo 3×0 Santos Morumbi 27/10/1985 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 7/7/1985 Campeonato Paulista
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 11/11/1984 Campeonato Paulista
Santos 1×4 São Paulo Morumbi 2/9/1984 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 7/12/1983 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 2/12/1983 Campeonato Paulista
Santos 2×1 São Paulo Morumbi 1/11/1983 Campeonato Paulista
São Paulo 3×0 Santos Morumbi 19/6/1983 Campeonato Paulista
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 3/10/1982 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 9/9/1982 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 25/05/1982 Torneio dos Campeões
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 2/5/1982 Torneio dos Campeões
Santos 0×2 São Paulo Vila Belmiro 17/4/1982 Amistoso
Santos 2×3 São Paulo Morumbi 18/10/1981 Campeonato Paulista
São Paulo 3×0 Santos Morumbi 14/6/1981 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 12/4/1981 Campeonato Brasileiro
Santos 0×2 São Paulo Pacaembu 8/4/1981 Campeonato Brasileiro
Santos 0×1 São Paulo Morumbi 19/11/1980 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 16/11/1980 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 19/10/1980 Campeonato Paulista
São Paulo 2×2 Santos Morumbi 19/7/1980 Campeonato Paulista
São Paulo 0×3 Santos Morumbi 28/10/1979 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Pacaembu 29/7/1979 Campeonato Paulista
Santos 0×2 São Paulo Morumbi 28/6/1979 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 24/6/1979 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Morumbi 20/6/1979 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 12/5/1979 Campeonato Paulista
Santos 4×1 São Paulo Morumbi 28/1/1979 Campeonato Paulista
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 11/11/1978 Campeonato Paulista
São Paulo 1×3 Santos Morumbi 1/10/1978 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Pacaembu 14/9/1977 Campeonato Paulista
Santos 0×3 São Paulo Pacaembu 3/7/1977 Campeonato Paulista
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 1/5/1977 Campeonato Paulista
Santos 2×1 São Paulo Nhozinho Santos 12/12/1976 Toneio Amistoso
Santos 0×1 São Paulo Barão de Serra Negra 7/11/1976 Toneio Amistoso
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 30/10/1976 Amistoso
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 27/6/1976 Campeonato Paulista
Santos 3×3 São Paulo Morumbi 12/2/1976 Toneio Amistoso
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 28/9/1975 Campeonato Brasileiro
Santos 2×1 São Paulo Morumbi 7/8/1975 Campeonato Paulista
São Paulo 1×0 Santos Morumbi 29/6/1975 Campeonato Paulista
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 4/5/1975 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Pacaembu 27/10/1974 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Pacaembu 15/9/1974 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 2/6/1974 Campeonato Brasileiro
Santos 1×2 São Paulo Morumbi 29/1/1974 Campeonato Brasileiro
Santos 1×0 São Paulo Morumbi 17/12/1973 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 29/7/1973 Campeonato Paulista
Santos 2×2 São Paulo Parque Antártica 25/3/1973 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 27/1/1973 Amistoso
Santos 1×0 São Paulo Pacaembu 28/9/1972 Campeonato Brasileiro
São Paulo 2×0 Santos Morumbi 23/7/1972 Campeonato Paulista
Santos 1×3 São Paulo Pacaembu 16/4/1972 Campeonato Paulista
Santos 3×1 São Paulo Morumbi 14/8/1971 Campeonato Brasileiro
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 16/5/1971 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 21/4/1971 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Pacaembu 29/11/1970 Torneio Roberto Gomes Pedrosa
São Paulo 3×2 Santos Morumbi 9/8/1970 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Parque Antártica 12/7/1970 Campeonato Paulista
São Paulo 1×2 Santos Parque Antártica 15/4/1970 Torneio Amistoso
Santos 4×0 São Paulo Vila Belmiro 21/3/1970 Torneio Amistoso
São Paulo 1×1 Santos Morumbi 9/11/1969 Torneio Roberto Gomes Pedrosa
São Paulo 0×0 Santos Morumbi 21/6/1969 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 21/5/1969 Campeonato Paulista
São Paulo 0×3 Santos Morumbi 9/3/1969 Campeonato Paulista
Santos 0×0 São Paulo Morumbi 20/10/1968 Torneio Roberto Gomes Pedrosa
Santos 3×1 São Paulo Vila Belmiro 1/6/1968 Campeonato Paulista
São Paulo 2×5 Santos Morumbi 27/3/1968 Campeonato Paulista
Santos 2×1 São Paulo Pacaembu 21/12/1967 Campeonato Paulista
São Paulo 2×2 Santos Morumbi 15/10/1967 Campeonato Paulista
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 16/8/1967 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Pacaembu 1/4/1967 Torneio Roberto Gomes Pedrosa
São Paulo 2×1 Santos Morumbi 30/10/1966 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 28/9/1966 Campeonato Paulista
São Paulo 3×2 Santos Pacaembu 23/2/1966 Torneio Rio-São Paulo
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 16/10/1965 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Morumbi 1/8/1965 Campeonato Paulista
São Paulo 3×1 Santos Pacaembu 27/3/1965 Torneio Rio-São Paulo
Santos 3×2 São Paulo Morumbi 11/10/1964 Campeonato Paulista
Santos 5×1 São Paulo Vila Belmiro 19/7/1964 Campeonato Paulista
Santos 4×1 São Paulo Pacaembu 19/4/1964 Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×1 São Paulo Pacaembu 27/11/1963 Campeonato Paulista
Santos 1×4 São Paulo Pacaembu 15/8/1963 Campeonato Paulista
Santos 6×2 São Paulo Pacaembu 7/3/1963 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 2×5 Santos Pacaembu 5/12/1962 Campeonato Paulista
Santos 3×3 São Paulo Vila Belmiro 2/9/1962 Campeonato Paulista
Santos 4×1 São Paulo Vila Belmiro 16/12/1961 Campeonato Paulista
Santos 6×3 São Paulo Morumbi 3/9/1961 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Pacaembu 15/3/1961 Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×2 São Paulo Morumbi 11/12/1960 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 31/8/1960 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Pacaembu 21/4/1960 Torneio Rio-São Paulo
Santos 4×3 São Paulo Vila Belmiro 13/12/1959 Campeonato Paulista
Santos 1×2 São Paulo Pacaembu 27/9/1959 Campeonato Paulista
Santos 4×3 São Paulo Pacaembu 26/4/1959 Torneio Rio-São Paulo
Santos 4×1 São Paulo Vila Belmiro 5/4/1959 Amistoso
Santos 2×2 São Paulo Pacaembu 18/12/1958 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 17/8/1958 Campeonato Paulista
Santos 2×1 São Paulo Pacaembu 24/4/1958 Torneio Amistoso
São Paulo 4×2 Santos Pacaembu 16/3/1958 Torneio Rio-São Paulo
Santos 2×2 São Paulo Pacaembu 3/12/1957 Campeonato Paulista
Santos 2×6 São Paulo Vila Belmiro 17/11/1957 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Pacaembu 15/9/1957 Campeonato Paulista (Torneio Seletivo)
Santos 3×1 São Paulo Pacaembu 26/4/1957 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 2×4 Santos Pacaembu 3/1/1957 Campeonato Paulista (Partida Desempate)
Santos 1×3 São Paulo Vila Belmiro 9/12/1956 Campeonato Paulista
Santos 2×0 São Paulo Pacaembu 28/10/1956 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 12/8/1956 Campeonato Paulista (Torneio Seletivo)
Santos 3×0 São Paulo Pacaembu 6/6/1956 Amistoso
Santos 3×5 São Paulo Pacaembu 29/4/1956 Torneio Roberto Gomes Pedrosa
Santos 6×4 São Paulo Vila Belmiro 8/3/1956 Amistoso
Santos 4×1 São Paulo Vila Belmiro 21/1/1956 Amistoso
Santos 1×3 São Paulo Pacaembu 27/11/1955 Campeonato Paulista
Santos 3×1 São Paulo Vila Belmiro 7/9/1955 Campeonato Paulista
Santos 2×0 São Paulo Pacaembu 6/4/1955 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 2×0 Santos Pacaembu 19/12/1954 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 5/9/1954 Campeonato Paulista
São Paulo 2×1 Santos Pacaembu 2/6/1954 Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×3 São Paulo Vila Belmiro 24/1/1954 Campeonato Paulista
Santos 1×4 São Paulo Pacaembu 17/10/1953 Campeonato Paulista
Santos 0×0 São Paulo Vila Belmiro 10/7/1953 Amistoso
São Paulo 2×0 Santos Pacaembu 17/5/1953 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 1×0 Santos Pacaembu 15/1/1953 Campeonato Paulista
Santos 0×3 São Paulo Vila Belmiro 26/10/1952 Campeonato Paulista
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 30/7/1952 Amistoso
Santos 0×2 São Paulo Vila Belmiro 7/6/1952 Amistoso
São Paulo 0×1 Santos Pacaembu 3/6/1952 Amistoso
Santos 2×1 São Paulo Pacaembu 26/3/1952 Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 1×2 Santos Pacaembu 2/12/1951 Campeonato Paulista
Santos 3×0 São Paulo Vila Belmiro 11/8/1951 Campeonato Paulista
Santos 1×2 São Paulo Pacaembu 24/5/1951 Torneio Amistoso
São Paulo 1×2 Santos Pacaembu 21/1/1951 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 3/9/1950 Campeonato Paulista
Santos 0×4 São Paulo Vila Belmiro 19/4/1950 Amistoso
São Paulo 3×1 Santos Pacaembu 20/11/1949 Campeonato Paulista
Santos 1×0 São Paulo Vila Belmiro 14/8/1949 Campeonato Paulista
Santos 2×0 São Paulo Pacaembu 25/5/1949 Torneio Amistoso
Santos 2×1 São Paulo Vila Belmiro 3/10/1948 Campeonato Paulista
São Paulo 3×2 Santos Pacaembu 4/9/1948 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 28/9/1947 Campeonato Paulista
São Paulo 1×1 Santos Pacaembu 27/7/1947 Campeonato Paulista
Santos 1×6 São Paulo Pacaembu 9/4/1947 Amistoso
São Paulo 2×0 Santos Pacaembu 31/8/1946 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Vila Belmiro 14/7/1946 Campeonato Paulista
Santos 3×4 São Paulo Vila Belmiro 25/11/1945 Amistoso
São Paulo 4×0 Santos Pacaembu 19/8/1945 Campeonato Paulista
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 13/5/1945 Campeonato Paulista
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 25/10/1944 Amistoso
São Paulo 2×1 Santos Pacaembu 21/10/1944 Amistoso
Santos 0×1 São Paulo Vila Belmiro 6/8/1944 Campeonato Paulista
São Paulo 9×1 Santos Pacaembu 18/6/1944 Campeonato Paulista
Santos 1×4 São Paulo Vila Belmiro 12/9/1943 Campeonato Paulista
São Paulo 6×1 Santos Pacaembu 16/5/1943 Campeonato Paulista
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 17/2/1943 Amistoso
Santos 0×2 São Paulo Pacaembu 21/1/1943 Amistoso
Santos 1×5 São Paulo Vila Belmiro 2/8/1942 Campeonato Paulista
São Paulo 4×2 Santos Pacaembu 31/5/1942 Campeonato Paulista
Santos 3×3 São Paulo Vila Belmiro 14/9/1941 Campeonato Paulista
São Paulo 4×2 Santos Pacaembu 18/5/1941 Campeonato Paulista
São Paulo 6×1 Santos Pacaembu 14/12/1940 Campeonato Paulista
Santos 5×1 São Paulo Vila Belmiro 18/8/1940 Campeonato Paulista
Santos 2×3 São Paulo Vila Belmiro 22/10/1939 Campeonato Paulista
São Paulo 0×1 Santos Antônio Alonso 9/7/1939 Campeonato Paulista
São Paulo 5×0 Santos Antônio Alonso 27/11/1938 Campeonato Paulista
Santos 4×1 São Paulo Vila Belmiro 12/9/1937 Campeonato Paulista
Santos 3×2 São Paulo Vila Belmiro 25/4/1937 Campeonato Paulista
Santos 3×1 São Paulo Vila Belmiro 20/2/1937 Amistoso
Santos 4×0 São Paulo Vila Belmiro 1/11/1936 Campeonato Paulista
Santos 2×0 São Paulo Vila Belmiro 23/4/1936 Amistoso
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 3/2/1935 Amistoso
São Paulo 4×2 Santos Chácara da Floresta 25/11/1934 Torneio Amistoso
Santos 1×2 São Paulo Vila Belmiro 13/10/1934 Amistoso
Santos 1×1 São Paulo Vila Belmiro 26/8/1934 Campeonato Paulista
São Paulo 3×0 Santos Chácara da Floresta 27/5/1934 Campeonato Paulista
Santos 3×4 São Paulo Vila Belmiro 25/3/1934 Amistoso
Santos 2×6 São Paulo Vila Belmiro 22/10/1933 Campeonato Paulista / Torneio Rio-São Paulo
São Paulo 4×1 Santos Chácara da Floresta 9/7/1933 Campeonato Paulista / Torneio Rio-São Paulo
Santos 1×5 São Paulo Vila Belmiro 12/3/1933 Amistoso
São Paulo 4×0 Santos Chácara da Floresta 29/5/1932 Campeonato Paulista
São Paulo 4×2 Santos Chácara da Floresta 25/10/1931 Campeonato Paulista
Santos 2×2 São Paulo Vila Belmiro 29/3/1931 Campeonato Paulista
São Paulo 3×3 Santos Parque Antártica 23/11/1930 Campeonato Paulista
Santos 2×2 São Paulo Vila Belmiro 11/5/1930 Campeonato Paulista

Decisões de títulos

Campeonato Paulista de 1953

  • O São Paulo conquistou o Paulistão de 1953 com duas rodadas de antecedência, após bater o Santos, na Vila Belmiro. A partida foi realizada na véspera do aniversário de quatrocentos anos da cidade de São Paulo.
24 de janeiro de 1954 Santos 1 – 3 São Paulo Vila Belmiro, Santos, SP
Renda: Cr$ 510 915
Árbitro: Antônio Musitano

Álvaro Gol 36 do 2.º Maurinho Gol 21 do 1.º
Albella Gol 29 do 1.º
Negri Gol 36 do 2.º

São Paulo: Poy, De Sordi e Mauro; Pé de Valsa, Bauer e Alfredo; Maurinho, Albella, Gino Orlando, Negri e Teixeirinha. Técnico: Jim Lopes.

Santos: Barbosinha, Hélvio e Feijó; Pascoal, Formiga e Zito; Del Vecchio, Orlando, Álvaro, Vasconcelos e Tite. Técnico: Antoninho.

Obs.: o Santos não poderia ser campeão nessa partida.

Campeonato Paulista de 1956

  • O alvinegro ganhou seu primeiro bicampeonato com uma vitória por 4 a 2 na decisão do Paulistão de 1956. Após uma vitória tricolor por 5 a 3 sobre o Palmeiras na última rodada, ambos empataram em pontos. No jogo desempate, no Pacaembu, o Santos colocou Wilson e Feijó no lugar de Hélvio e Ivã, sobre os quais havia suspeita de suborno. Zezinho fez 2 a 0 para o São Paulo, e Feijó diminuiu, de pênalti, no primeiro tempo. Mas no segundo, com dois gols de Del Vecchio e um de Tite, o Peixe impôs 4 a 2 e ficou com a taça.
3 de janeiro de 1957 Santos 4 – 2 São Paulo Pacaembu, São Paulo
Renda: Cr$ 2 086 560
Árbitro: Erwin Hieger

Feijó Gol 20 do 1.º
Tite Gol 18 do 2.º
Del Vecchio Gol 26 do 2.º
Del Vecchio Gol 34 do 2.º
Zezinho Gol 8 do 1.º
Zezinho Gol 42 do 1.º

Santos: Manga, Wílson e Feijó; Ramiro, Formiga e Zito; Tite, Del Vecchio, Pagão, Jair Rosa Pinto e Pepe. Técnico: Lula.

São Paulo: Bonelli, Clélio e Mauro; Sarará, Vítor e Alfredo Ramos; Maurinho, Zezinho, Gino Orlando, Dino Sani e Canhoteiro. Técnico: Vicente Feola.

Campeonato Paulista de 1962

  • No Paulistão de 1962, o Santos lutava com São Paulo e Corinthians pela taça. Jogaria com o tricolor no Pacaembu, tendo seis pontos de vantagem sobre os vices. Impôs um excepcional 5 a 2 e conquistou seu primeiro tricampeonato paulista com três rodadas de antecedência, colocando uma inalcançável vantagem de oito pontos sobre o São Paulo, que ficaria com o vice-campeonato.
5 de dezembro de 1962 São Paulo 2 – 5 Santos Pacaembu, São Paulo
Renda: Cr$ 6 931 500
Árbitro: Anacleto Pietrobon

Roberto Dias Gol 15 do 1.º
Benê Gol 16 do 1.º
Coutinho Gol 38 do 1.º
Dorval Gol 43 do 1.º
Dorval Gol 2 do 2.º
Pepe Gol 15 do 2.º
Pelé Gol 43 do 2.º

São Paulo: Poy, De Sordi, Bellini e Sabino; Roberto Dias e Cido; Faustino, Benê, Prado, Jair Rosa Pinto e Agenor. Técnico: Osvaldo Brandão.

Santos: Laércio, Dalmo, Mauro e Zé Carlos; Calvet e Zito; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.

Obs.: o São Paulo não poderia ser campeão nessa partida.

Campeonato Paulista de 1967

  • No Paulistão de 1967, o São Paulo iria enfim sair de um jejum de títulos de dez anos, caso vencesse o Corinthians na última rodada. Sofreu o empate no finalzinho, e, com a vitória do Santos em seu jogo, houve empate em pontos entre ambos, o que obrigou a realização de um jogo-desempate. No Pacaembu, o time de Pelé, Clodoaldo e Carlos Alberto Torres já ganhava por 2 a 0 no primeiro tempo, gols de Edu e Toninho Guerreiro. Babá descontou aos quatro minutos do segundo tempo, mas os 2 a 1 deram o título para o Peixe, impondo mais uma ano à mais longa fila de títulos já vivida pelo tricolor.
21 de dezembro de 1967 Santos 2 – 1 São Paulo Pacaembu, São Paulo
Público: 43 627
Renda: NCr$ 151 808
Árbitro: Armando Marques

Edu Gol 10 do 1.º
Toninho Guerreiro Gol 12 do 1.º
Babá Gol 43 do 2.º

Santos: Cláudio, Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Clodoaldo e Buglê; Wílson Tergal, Toninho Guerreiro, Pelé e Edu. Técnico: Antoninho Fernandes. [4]

São Paulo: Picasso, Renato, Bellini, Roberto Dias e Edílson; Lourival e Nenê; Válter, Djair, Babá e Paraná. Técnico: Sílvio Pirilo.

Campeonato Paulista de 1969

  • O Santos levantou o tricampeonato Paulista em 1969 com um empate em 0 a 0 diante do São Paulo pela última rodada do quadrangular final. Na primeira final da história do Morumbi, o Santos precisava do empate, enquanto ao São Paulo só a vitória interessava. O empate não só deu o título ao Peixe como ainda alijou o São Paulo do vice-campeonato, que ficou com o Palmeiras.
21 de junho de 1969 Santos 0 – 0 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: 31 999
Renda: NCr$ 199 699
Árbitro: Joaquim Campos

Santos: Cláudio, Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Djalma Dias e Rildo; Clodoaldo e Negreiros; Toninho Guerreiro, Edu, Pelé e Abel. Técnico: Antoninho Fernandes.[4]

São Paulo: Picasso, Cláudio, Jurandir, Roberto Dias e Edílson; Terto e Nenê; Paraná, Zé Roberto, Téia e Babá. Técnico: Diede Lameiro.

Campeonato Paulista de 1978

  • O Paulistão de 1978 foi decidido em melhor de 4 pontos entre São Paulo e Santos. No primeiro clássico deu alvinegro: 2 a 1. No segundo, nova vitória santista daria o título. O time de Pita e Juary vencia até os 43 minutos da etapa final, quando o são-paulino Zé Sérgio empatou. Na terceira partida, o time da capital venceu no tempo normal por 2 a 0, mas o regulamento ditava que haveria uma prorrogação, com vantagem de empate para o time com melhor campanha, no caso o Santos, que segurou o 0 a 0 por trinta minutos e consagrou a geração dos "Meninos da Vila".
20 de junho de 1979 São Paulo 1 – 2 Santos Morumbi, São Paulo
Público: 88 316 (81 788 pagantes)
Renda: Cr$ 5 951 160
Árbitro: João Leopoldo Aieta

Serginho Gol 18 do 1.º Juary Gol 26 do 1.º
Pita Gol 9 do 2.º

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Marião, Tecão e Aírton; Chicão, Teodoro (Vílson Tadei) e Darío Pereyra; Edu, Serginho e Zé Sérgio. Técnico: Rubens Minelli.

Santos: Flávio, Nélson, Joãozinho, Antônio Carlos e Gilberto Sorriso; Zé Carlos, Toninho Vieira e Pita; Claudinho, Juary e João Paulo. Técnico: Formiga.


24 de junho de 1979 Santos 1 – 1 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: 115 155 (107 485 pagantes)
Renda: Cr$ 7 064 560
Árbitro: Márcio Campos Sales

Célio Gol 42 do 1.º Zé Sérgio Gol 43 do 2.º

Santos: Flávio, Nélson, Joãozinho, Antônio Carlos e Gilberto Sorriso; Toninho Vieira, Rubens Feijão e Pita; Claudinho, Juary e João Paulo. Técnico: Formiga.

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Marião (Bezerra), Tecão e Aírton; Chicão, Vílson Tadei (Neca) e Darío Pereyra; Edu, Serginho e Zé Sérgio. Técnico: Rubens Minelli.


28 de junho de 1979 Santos 0 – 2 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: 80 584 (74 535 pagantes)
Renda: Cr$ 5 658 670
Árbitro: João Leopoldo Aieta

0 – 0
(prorrogação)
Zé Sérgio Gol 26 do 1.º
Neca Gol 5 do 2.º
Aírton Expulso ?

Santos: Flávio, Nélson, Antônio Carlos, Neto (Fernando) e Gilberto Sorriso; Zé Carlos, Toninho Vieira, e Pita; Nílton Batata, Juary e Claudinho. Técnico: Formiga.

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Tecão, Bezerra e Aírton; Chicão, Muricy e Darío Pereyra (Vílson Tadei); Viana (Edu), Neca e Zé Sérgio. Técnico: Rubens Minelli.

Obs.: Santos campeão paulista de 1978 por ter marcado mais pontos ao longo do campeonato.

Campeonato Paulista de 1980

16 de novembro de 1980 Santos 0 – 1 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: 122 535 (122 209 pagantes)
Árbitro: José de Assis Aragão

Serginho Gol 35 do 2.º

Santos: ?. Técnico: Pepe.

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Oscar, Darío Pereyra e Aírton; Almir, Heriberto e Renato; Paulo César (Serginho e Zé Sérgio (Assis). Técnico: Carlos Alberto Silva.


19 de novembro de 1980 São Paulo 1 – 0 Santos Morumbi, São Paulo
Público: 61 130
Renda: Cr$ 8 952 330
Árbitro: Oscar Scolfaro

Serginho Gol 40 do 1.º

São Paulo: Waldir Peres, Getúlio, Oscar, Darío Pereyra e Aírton; Almir, Heriberto e Renato (Alexandre Bueno); Paulo César (Serginho) (Assis) e Zé Sérgio. Técnico: Carlos Alberto Silva.

Santos: Marolla, Nélson, Joãozinho, Neto e Washington; Toninho Vieira, Rubens Feijão (Claudinho) e Pita; Nílton Batata, Campos e João Paulo (Aluísio). Técnico: Pepe.

Campeonato Paulista de 2000

  • Tricolor e alvinegro fizeram a final do Paulistão de 2000. Em dois jogos no Morumbi, o time da capital tinha a vantagem de dois resultados iguais para ser o campeão. No primeiro jogo, França fez 1 a 0 para o São Paulo no começo do jogo e deu números finais à partida. No clássico decisivo, o Peixe precisava vencer por dois gols de diferença. Fez 1 a 0, mas Rogério Ceni empatou em cobrança de falta. No segundo tempo, Rincón fez 2 a 1 para o time da Vila, mas Marcelinho Paraíba empatou novamente para o tricolor, garantindo o 2 a 2 e o título de 2000. Essa derrota impôs ao Santos seu 16.º ano de jejum e deu início à década de maior rivalidade entre os dois clubes.
10 de junho de 2000 Santos 0 – 1 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: 57 101
Renda: não divulgada
Árbitros: Paulo César de Oliveira e Sálvio Spínola Fagundes Filho

França Gol 1 do 1.º

Santos: Carlos Germano, Baiano, André Luís, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Ânderson Luís, Rincón, Valdo e Robert (Eduardo Marques 12 do 2.º); Valdir (Dodô intervalo) e Caio (Deivid 27 do 2.º). Técnico: Giba.

São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Edmílson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Maldonado, Vágner, Raí (Fabiano 36 do 2.º) e Marcelinho Paraíba (Sandro Hiroshi 45 do 2.º); Edu (Souza 21 do 2.º) e França. Técnico: Levir Culpi.


18 de junho de 2000 São Paulo 2 – 2 Santos Morumbi, São Paulo
Público: 74 916
Renda: não divulgada
Árbitros: Alfredo dos Santos Loebeling e Ílson Honorato dos Santos

Rogério Ceni Gol 38 do 1.º
Marcelinho Paraíba Gol 23 do 2.º
Dodô Gol 29 do 1.º
Rincón Gol 9 do 2.º (p)
Ânderson Luís Expulso 27 do 2.º[5]

São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Edmílson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Maldonado, Vágner, Marcelinho Paraíba e Raí (Fabiano 41 do 2.º); Edu (Carlos Miguel 16 do 2.º) e Evair (Sandro Hiroshi 16 do 2.º). Técnico: Levir Culpi.

Santos: Carlos Germano, Baiano, André Luís, Claudiomiro e Rubens Cardoso (Aílton 22 do 2.º); Ânderson Luís, Rincón, Robert e Valdo (Deivid 19 do 2.º); Caio (Márcio Santos 32 do 2.º) e Dodô. Técnico: Giba.

Campeonato Paulista de 2005

  • O São Paulo disparou na liderança do Paulistão de 2005. Iria levantar a taça contra a Portuguesa e na última rodada jogar na Vila Belmiro contra o Santos. A diretoria santista, entretanto, não queria ver a festa adversária em sua casa e mudou o jogo para Mogi Mirim. Só que o São Paulo perdeu para a Lusa, e o Santos, com 32 pontos podendo ainda empatar com os 41 do líder São Paulo, perdeu a chance de usar seu "alçapão" para impedir o título tricolor. No jogo em Mogi, um 0 a 0 garantiu a 21.ª conquista estadual são-paulina.
3 de abril de 2005 Santos 0 – 0 São Paulo Estádio Wílson Fernandes de Barros, Mogi Mirim
Público: 12 382
Renda: R$ 200 261
Árbitro: Wilson Luiz Seneme

Hallison Expulso 20 do 1.º Grafite Expulso 45 do 2.º

Santos: Henao, Ávalos, Hallison e Domingos; Bóvio, Zé Elias (Preto 34 do 2.º), Rogério, Rossini e Flávio; Robinho e William (Fábio Baiano 25 do 1.º, depois Deivid 12 do 2.º). Técnico: Alexandre Gallo.

São Paulo: Rogério Ceni, Lugano, Fabão e Edcarlos; Cicinho, Mineiro (Renan 33 do 2.º), Josué, Danilo (Marco Antônio 38 do 2.º) e Júnior; Grafite e Diego Tardelli (Luizão 17 do 2.º). Técnico: Emerson Leão.

Obs.: o Santos não poderia ser campeão nessa partida.

Confrontos em competições internacionais

Supercopa Libertadores de 1992

  • O primeiro San-São válido por torneio internacional oficial ocorreu nas oitavas-de-final da Supercopa Libertadores de 1992. No primeiro jogo, realizado no Parque Antarctica, empate em 1 a 1; no jogo de volta, no Morumbi goleada tricolor por 4 a 1.
29 de setembro de 1992 Santos 1 – 1 São Paulo Parque Antarctica, São Paulo
Público: 11 042
Renda:Cr$ 123 305
-->Árbitro: Márcio Rezende de Freitas

Guga Gol 27 do 2.º Müller Gol 33 do 2.º

Santos: ? Técnico: Geninho

São Paulo: Zetti, Vítor, Lula, Ronaldão e Ivan; Dinho, Toninho Cerezo, Raí e Palhinha; Catê e Müller. Técnico: Telê Santana.


13 de outubro de 1992 São Paulo 4 – 1 Santos Pacaembu, São Paulo
Público: 8 425
Renda:Cr$ 142 675
-->Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira

Raí Gol 9 do 1.º
Palhinha Gol 17 do 1.º
Válber Gol 23 do 2.º
Dinho Gol 39 do 2.º
Guga Gol 45 do 1.º

São Paulo: Zetti, Vítor, Adílson, Válber e Marcos Adriano; Pintado, Toninho Cerezo (Dinho), Raí e Palhinha; Catê e Müller. Técnico: Telê Santana.

Santos: ? Técnico: ?

Copa Sul-Americana de 2004

  • O segundo confronto válido por torneio internacional oficial ocorreu nas oitavas-de-final da Copa Sul-Americana de 2004. Desta vez, o Santos se vingou: ganhou por 1 a 0 em Santos, com o time reserva, e classificou-se com o empate em 1 a 1 no Morumbi.
10 de outubro de 2004 Santos 1 – 0 São Paulo Vila Belmiro, Santos
Público: 12 260
Renda: R$ 105 750
Árbitro: Carlos Eugênio Simon

Elano Gol 31 do 2.º

Santos: Mauro, Leonardo, André Luís e Ávalos (Ricardinho 26 do 2.º); Paulo César, Fabinho, Bóvio, Preto Casagrande e Márcio (Léo 29 do 2.º); Marcinho e William (Elano 25 do 2.º). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

São Paulo: Rogério Ceni, Alex Bruno, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Alê (Gabriel 9 do 2.º), Renan, Danilo e Júnior (Souza 33 do 2.º); Nildo (Diego Tardelli 12 do 2.º) e Grafite. Técnico: Emerson Leão.


20 de outubro de 2004 São Paulo 1 – 1 Santos Pacaembu, São Paulo
Público: 8 196
Renda: R$ 110 624
Árbitro: Wágner Tardelli

Rodrigo Gol 4 do 2.º
Fabão Expulso 28 do 1.º
Preto Casagrande Gol 36 do 2.º
Ávalos Expulso 28 do 1.º

São Paulo: Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Rodrigo; Cicinho, Alê, Renan, Danilo e Júnior (Souza 34 do 2.º); Jean (Rondón 18 do 2.º) e Diego Tardelli. Técnico: Emerson Leão.

Santos: Mauro, Ávalos, Domingos e Leonardo; Bóvio, Zé Elias (Paulo César 12 do 2.º), Fabinho (Preto Casagrande intervalo), Luís Augusto e Márcio; Marcinho e William (Deivid 17 do 2.º). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Maiores públicos

  1. 122 535, São Paulo 1×0 Santos, em 16 de novembro de 1980 (122 209 pagantes)
  2. 115 155, São Paulo 1×2 Santos, em 24 de junho de 1979 (107 485 pagantes)
  3. 97 191, São Paulo 1×3 Santos, em 1 de outubro de 1978 (91 962 pagantes)
  4. 85 355, São Paulo 0×0 Santos, em 15 de maio de 1971 (75 549 pagantes)
  5. 88 316, São Paulo 1×2 Santos, em 20 de junho de 1979 (81 788 pagantes)
  6. 80 488, São Paulo 2×0 Santos, em 28 de junho de 1979 (74 535 pagantes)
  7. 78 472, São Paulo 4×1 Santos, em 28 de janeiro de 1979 (74 356 pagantes)
  8. 78 028, São Paulo 2×1 Santos, em 12 de maio de 1979 (73 803 pagantes)
  9. 64 946, São Paulo 1×2 Santos, em 28 de novembro de 2002
  10. 63 475, São Paulo 2×1 Santos, em 2 de setembro de 1984 (56 839 pagantes)

Na Era Pacaembu (1940-1970)

  • Relacionados apenas jogos até 1970.[6]
  1. 60 115, Santos 1×4 São Paulo, em 15 de agosto de 1963
  2. 51 600, Santos 4×2 São Paulo, em 3 de janeiro de 1967

Na Vila Belmiro[7]

  1. 33 861, Santos 2×2 São Paulo, em 25 de março de 1973

Os maiores clássicos

  • O primeiro San-São da história ocorreu no Paulistão de 1930, quando, no dia 11 de maio, na Vila Belmiro, o alvinegro e o tricolor empataram por 2 a 2. Os gols são-paulinos foram marcados por Luizinho e Friedenreich.
  • Em 1933 o San-São marcou a história do futebol brasileiro. Essa foi a primeira partida de futebol profissional no Brasil em que um jogador (Friedenreich) foi pago oficialmente pelo São Paulo da Floresta para jogar uma partida. Antes disso, quando um boleiro recebia, era não oficialmente, "por fora". O jogo, amistoso em 12 de março de 1933, aconteceu na Vila Belmiro e terminou 5 a 1 para o São Paulo. Também foi nesse clássico que os são-paulinos chamaram pejorativamente os santistas de "peixeiros", o que mais tarde virou o apelido de "Peixe", que o Santos recebe.
  • No Paulistão de 1944, a maior goleada imposta pelo São Paulo e também do clássico: 9 a 1.
  • O São Paulo foi o campeão paulista de 1949 com uma vitória por 3 a 1 sobre o Santos (que não brigava pela taça e terminou em quarto), no Pacaembu, em 20 de novembro.
  • No Paulistão de 1950 o São Paulo iria enfim conquistar seu primeiro tricampeonato paulista. Chegou à penúltima rodada com um ponto de vantagem sobre o Palmeiras, e enfrentou o Peixe. Como perdeu por 2 a 1 para o alvinegro — que se vingou da derrota no campeonato anterior —, foi ultrapassado pelo alviverde, que enfrentaria na rodada seguinte. No clássico "Jogo da Lama", empatou e viu o sonho do tri acabar ali.
  • O São Paulo sagrou-se campeão paulista de 1953 com uma vitória sobre o Santos por 3 a 1 em 24 de janeiro de 1954. Mas o time santista não brigava pela taça: o vice foi o Palmeiras.
  • O São Paulo chegou à penúltima rodada do Paulistão de 1957 podendo ser campeão com um empate, mas perdeu o clássico com o Santos, que quase "colocou água no chope" dos são-paulinos e chegou com chances à última rodada, em que o tricolor precisaria da vitória contra o Corinthians. O São Paulo venceu por 3 a 1 e ficou com seu último título antes de 1970.
  • Em 11 de dezembro de 1960, O Santos enfrentou, pela primeira vez, o São Paulo no recém-inaugurado Morumbi, sendo que com um empate sairia campeão do campo. Mas o Tricolor ganhou por 2 a 1 e impediu a festa santista em sua casa.
  • O San-São de 2 de setembro de 1962 entrou para a história do futebol mundial. Não pelo empate em 3 a 3 na Vila Belmiro. Mas porque, ao marcar o seu segundo gol naquela partida, Pelé marcou seu gol nº 500 com apenas 21 anos.
  • Em março de 1963 ocorreu a maior goleada do Santos imposta ao Sampa: Pelé, Pepe, Coutinho e companhia enfiaram 6 a 2 no time da capital.
  • Em 14 de agosto de 1963, ocorreu o mítico "Dia em que o Santos de Pelé correu do São Paulo". No jogo, vitória por 4 a 1 do tricolor no Pacaembu.
  • O maior período de invencibilidade do São Paulo durou 47 duelos, entre 10 de novembro de 1974 e 7 de agosto de 1975. A série foi encerrada diante do Santos, em pleno Morumbi, com o placar de 2 a 1.
  • Santos e São Paulo encontraram-se nas quartas-de-final do primeiro turno do Campeonato Paulista de 1978, para decidir uma vaga em jogo único. O regulamento previa vantagem do Santos, por ter marcado mais gols na primeira fase, apesar de o São Paulo ter marcado cinco pontos a mais naquela fase. Contudo, como o São Paulo tinha uma liminar da Justiça comum dando a ele a vantagem, ao final da partida, que terminou empatada por 0 a 0, ambos os times comemoraram. No fim das contas, uma semana depois a liminar foi cassada, e o Santos venceu, nas semifinais, a Ponte Preta, mas perderia a final do primeiro turno para o Corinthians. A eliminação tanto de Santos como de São Paulo foi inócua, já que o turno não era classificatório para a decisão, que acabaria sendo entre os dois rivais.
  • São Paulo e Santos cruzaram nas oitavas de final do Brasileiro de 1981. No jogo com mando do Peixe, marcado para 8 de abril no Pacaembu, o São Paulo venceu por 2 a 0. No jogo de volta, no Morumbi, em 12 de abril, nova vitória tricolor, agora por 2 a 1, eliminou o Santos. O São Paulo terminaria o campeonato como vice-campeão.
  • Os rivais se encontraram nas quartas de final do Campeonato Brasileiro de 1990. O tricolor derrotou o Santos por 1 a 0 em plena Vila Belmiro e só precisou de um empate por 1 a 1 no Morumbi pra se garantir nas semifinais.
  • Raí, maior ídolo são-paulino na década de 1990, despediu-se do São Paulo em um jogo em 3 de junho de 1993, válido pelo Campeonato Paulista, quando o tricolor goleou o Santos por 6 a 1. Raí fez um gol de despedida e seguiu para defender o Paris Saint-Germain, da França.
  • Os quatro grandes do futebol paulista se classificaram para o quadrangular final do Paulistão de 1997. Na primeira rodada o São Paulo goleou o Palmeiras e o Santos perdeu para o Corinthians. Houve então um San-São na segunda rodada, 31 de maio, no Pacaembu, quando o Sampa venceu por 1 a 0, eliminando o Peixe da disputa. Na última rodada, o Tricolor empatou com o Corinthians e terminou vice.
  • Durante o Campeonato Brasileiro de 2002, o São Paulo, líder do torneio, recebeu no Morumbi um Santos em ascensão, formado por jovens jogadores que estrearam entre os titulares ao longo do torneio, como Diego, Renato e Robinho. Num dos melhores jogos do torneio, o time paulistano abriu 1 a 0, mas sofreu a virada para 2 a 1. Na comemoração do segundo gol, Diego, do Santos, fez festa em cima do escudo do São Paulo que fica ao lado do meio de campo no Morumbi, provocando os adversários. Então, no final do jogo, o tricolor virou para 3 a 2, com direito a Ricardinho também comemorando sobre o escudo tricolor, agora sob aplausos da torcida.
  • Nas quartas de final do mesmo campeonato, o São Paulo, primeiro colocado da fase de classificação, formado por estrelas como Ricardinho e Kaká, encarou um Santos que se classificara de forma dramática em oitavo, 13 pontos a menos. O Santos ganhou por 3 a 1 na Vila, viu o São Paulo abrir 1 a 0 aos quatro minutos do segundo jogo, mas conseguiu uma virada para 2 a 1 no final, garantindo a classificação. Mais tarde, o Peixe tornar-se-ia campeão.
  • No Campeonato Brasileiro de 2003, Santos e São Paulo corriam atrás do líder Cruzeiro. Um clássico no Morumbi definiria quem seguiria na luta pela taça e quem praticamente daria adeus à briga. O Santos venceu por 2 a 1, e acabaria vice-campeão, com o São Paulo em terceiro.
  • No Campeonato Brasileiro de 2004, os dois times corriam novamente atrás do líder, agora o Atlético-PR, e novamente o confronto seria decisivo para quaisquer pretensões ao título. Dessa vez, o tricolor venceu por 1 a 0, mas terminou mais uma vez o campeonato em terceiro, enquanto o alvinegro ainda conseguiu sagrar-se campeão.
  • O São Paulo disparou na liderança do Paulistão de 2005. Iria levantar a taça contra a Portuguesa e na última rodada jogar na Vila Belmiro contra o Santos. A diretoria santista, entretanto, não queria ver a festa adversária em sua casa e mudou o jogo para Mogi Mirim. Só que o São Paulo perdeu para a Lusa, e o Santos, que poderia ainda alcançar a pontuação Tricolor (41 pontos), mas não poderia alcançá-lo no número de vitórias, perdeu a chance de usar seu "alçapão" para, ao menos, impedir o título do eterno inimigo. No jogo em Mogi, um 0 a 0 garantiu a 21.ª conquista estadual são-paulina.
  • Na penúltima rodada do Paulistão de 2006, o líder Santos foi ao Morumbi encarar o vice-líder São Paulo, podendo ser campeão com um empate. Abriu 1 a 0, mas levou uma virada para 3 a 1, que não impediria o título santista na rodada seguinte e o consequente fim da fila de 22 anos em Paulistas.
  • No Campeonato Brasileiro de 2007, o alvinegro perdeu no Morumbi para o São Paulo por 2 a 1. Nesse jogo, o Peixe foi o primeiro time em catorze rodadas a fazer gol na defesa são-paulina.
  • No segundo turno do Brasileirão 2009, o São Paulo precisava vencer o San-São, sob pena de ser praticamente eliminado da disputa pelo tetracampeonato. O Santos, que já não lutava pela taça abriu 1 a 0. O tricolor empatou. O alvinegro praiano fez 2 a 1, mas o São Paulo empatou em 2 a 2 ainda no primeiro tempo. No Segundo tempo, o Mais Querido virou para 3 a 2, mas logo sofreu novo empate do valente Santástico. Por fim, Rogério Ceni fez 4 a 3 para o São Paulo, antes de ser expulso, em um dos jogos mais emocionantes e dramáticos do campeonato.
  • O clássico de 7 de fevereiro de 2010, na Arena Barueri, pela sétima rodada do Campeonato Paulista, marcou o retorno de Robinho ao Peixe. Ele entrou em campo aos doze minutos do segundo tempo e fez o gol da vitória santista, aos quarenta minutos.
  • Nas semifinais do Paulista de 2010, Santos e São Paulo fizeram a que foi chamada de "final antecipada do campeonato", já que a outra partida seria disputada por dois times do interior (Santo André e Grêmio Prudente). Os são-paulinos esperavam se vingar da derrota no Campeonato Brasileiro de 2002, quando foram melhores na primeira fase e perderam nas partidas eliminatórias. Desta vez ocorrera o inverso, com o Santos terminando o turno como primeiro colocado e o São Paulo apenas em quarto. Mas não houve surpresas, e o Santos confirmou a condição de melhor equipe do campeonato até ali ao impor duas derrotas ao adversário (3 a 2 no Morumbi e 3 a 0 na Vila Belmiro).
  • Nesse mesmo ano, pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro, o São Paulo, que havia perdido os quatro clássicos para o Peixe no ano, bateu o rival por 4 a 3 com um gol de Jean aos 48 minutos do segundo tempo, mesmo com seu time tendo um jogador a menos. O Santos havia aberto o placar no primeiro tempo, sofrera a virada para 3 a 1, mas empatara no segundo tempo.
  • No ano seguinte os times encontraram-se novamente na semifinal do Paulistão, em jogo único. Por ter melhor campanha ao longo da competição, o São Paulo deteve o mando de jogo, mas nenhuma outra vantagem. Um empate levaria a decisão para os pênaltis, mas o Santos definiu a vaga no tempo normal, com gols de Elano e Paulo Henrique Ganso no segundo tempo: 2 a 0.
  • No Campeonato Paulista de 2012, São Paulo e Santos enfrentaram-se pela 14.ª rodada da primeira fase; em termos de campeonato a partida não valia muita coisa, porém foi um grande jogo, e o São Paulo venceu o Santos, após seis vitórias seguidas santistas nesse clássico válido por Campeonatos Paulistas. O jogo terminou com vitória por 3 a 2 para o tricolor, com o gol da vitória marcado aos 41 minutos do segundo tempo por Lucas. O São Paulo estava jogando com dez jogadores desde os oito minutos do segundo tempo, após expulsão de Rodrigo Caio.
  • Mais tarde, pelo terceiro ano consecutivo, Santos e São Paulo se encontraram pela semifinal do Campeonato Paulista. E pela terceira vez consecutiva, o Peixe eliminou o Tricolor do Morumbi do campeonato, em um jogo único realizado no Morumbi, em 30 de abril. O Santos, que acabara de completar seu centenário, abriu 2 a 0. O Tricolor diminuiu e começou a pressionar em busca do empate. Então, o goleiro Dênis falhou em um ataque do Santos, que fez 3 a 1 e definiu o jogo. O Santos seria campeão do Paulistão 2012, chegando a um tricampeonato sequencial.

Fatos históricos

  • Os jogos entre o Peixe e os componentes do Trio de Ferro só passaram a ser considerados clássicos a partir da metade da década de 1950. Por sinal, apesar de o jogo entre ambos ser disputado desde 1930, só a partir de 1956 foi considerado clássico, ganhando o apelido "San-São" do jornalista Tomás Mazzoni.
  • O Santos leva vantagem em finais contra o São Paulo: já ganhou quatro finais diretas contra o tricolor (Paulistões de 1956, 1967, 1969 e 1978. O São Paulo ganhou duas finais diretas (Paulistões de 1980 e 2000).
  • Em todas as edições da Taça de Prata (1967, 1968, 1969 e 1970), o Santos terminou na frente do São Paulo.
  • O São Paulo já eliminou o Santos de um torneio em confronto direto por quatro vezes: nos Brasileirões de 1981 (oitavas de final) e 1990 (quartas de final), na Supercopa Libertadores de 1992 (oitavas de final) e no Paulistão de 1983 (semifinais). O Santos eliminou o São Paulo em confronto direto por seis vezes, no Brasileirão de 2002 (quartas de final), na Copa Sul-Americana de 2004 (oitavas de final) e nos Paulistões de 1978 (quartas de final do primeiro turno), 2010 (semifinais), 2011 (semifinais) e 2012 (semifinais).
  • Santos e São Paulo são os maiores campeões de títulos internacionais do Brasil.
  • Há uma longa tradição de jogadores que foram ídolos em ambos os clubes: Araken Patusca, Mauro Ramos de Oliveira, Toninho Guerreiro, Pita, Pagão,Paulo Henrique Ganso e Serginho Chulapa, por exemplo.
  • O único jogador pentacampeão paulista foi Toninho Guerreiro, que foi tricampeão em 1967, 1968, 1969, pelo Santos, e bicampeão em 1970 e 1971 pelo São Paulo.
  • Serginho Chulapa é o jogador com a história mais misturada aos dois times: fez o gol do título são-paulino na final do Paulistão de 1980 justamente diante do Santos, mas também fez o gol do título do Santos em 1984, diante do Corinthians. Além disso, Serginho é o maior artilheiro da história do São Paulo, apesar de ser torcedor santista.
  • Pelé também teve seu ídolo no futebol: foi Zizinho, que disputou o Paulistão de 1957 pelo São Paulo — sagrando-se campeão e tendo o Santos como vice.
  • A tarde de 14 de agosto de 1963, uma quinta-feira, acabou entrando para a eternidade, principalmente pela façanha dos 11 heróis tricolores diante da máquina de jogar bola, chamada Santos, de Pelé e cia. Talvez o melhor de todos os tempos. E esse Santos, atual campeão mundial de clubes (que viria a ser bi naquele mesmo ano), dava como favas contadas o clássico diante do fraco São Paulo. A equipe santista era notável. Contava com craques do nível do goleiro Gilmar (bicampeão do mundo pela Seleção), do zagueiro Mauro Ramos (ex-São Paulo e também bi pelo Brasil), do volante Zito (outro bi-mundial) e dos atacantes Coutinho, Pelé e Pepe, que dispensam maiores comentários. Já o São Paulo era um time modesto,mas contava, porém, com atletas de um quilate de Pagão, Bellini (capitão do primeiro mundial brasileiro em 58) e Roberto Dias, um dos maiores zagueiros da história do futebol. O show no Pacaembu começou logo aos cinco minutos de jogo. O volante Faustino fez o primeiro, deixando o Santos atordoado com o gol repentino. Ferido, o Santos foi para cima e Pelé, referência absoluta dos praianos, era incansavelmente marcado pelo pequenino Dias. O Rei não aguentava tamanha "perseguição". Aos 21, Pelé, sempre ele, empatou. Aos 37, o atacante Benê marcou o segundo tento tricolor. Antes do final da primeira etapa, delírio no Pacaembu: Sabino fez o terceiro. Aliás, o próprio era apelidado de Pelé II, pela grande semelhança (física) com o Rei. Pelé, possesso, peitou o árbitro Armando Marques com o apoio de Coutinho, sendo ambos expulsos. O clima no vestiário praiano não era dos melhores. O Santos voltou para o gramado sem Aparecido. Na sequência, Pepe caiu no gramado aparentando uma contusão. O Tricolor não se importou com o desespero santista e, aos sete, Pagão marcou o quarto. Logo após o quarto tento tricolor, Dorval também disse estar sentindo contusão. Com seis homens em campo, o Santos ficou impossibilitado de prosseguir, e o árbitro Armando Marques encerrou a partida, conhecida como o Jogo dos 54 minutos. A manchete do jornal A Gazeta Esportiva do dia seguinte foi "Santos fugiu do campo!".
  • São Paulo e Santos já montaram um combinado, unindo jogadores, dirigentes e torcedores sobre a mesma camisa: em 30 de dezembro de 1934, um combinado São Paulo/Santos perdeu por 2 a 1 para um combinado Flamengo/Fluminense, jogando no Estádio Antônio Alonso em São Paulo.

Estádios

  • O São Paulo geralmente manda seus clássicos no Morumbi.
  • O mando de campo santista normalmente é exercido na Vila Belmiro.

Até o fim do século XX, os clássicos que envolviam grande previsão de público eram normalmente jogados no Morumbi, independente de quem fosse o mando de campo, mas, por questões políticas, essa não é mais a tendência entre os jogos dos dois times.

Ver também

Referências

  1. "Santos × São Paulo", Placar número 569, 10/4/1981, Editora Abril, pág. 8
  2. "A força imprevisível do San-São", Placar número 1.060, junho de 1991, Editora Abril, pág. 20
  3. "Vitórias com a marca da competência", Placar número 1.077, novembro de 1992, Editora Abril, pág. 22
  4. a b http://santos.globo.com/noticias_coluna.php?cod=16144 Acessado em 18/02/2010
  5. "Expulsão. Mas Anderson tem crédito na Vila", Luiz Antônio Prósperi, Jornal da Tarde, 19/6/2000, pág. 5B
  6. RSSSF Brasil Best attendances in Pacaembu Era
  7. RSSSF Brasil Best attendances in matches of Santos

Ligações externas

Predefinição:Futebol de Santos