Sancho Lopo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sancho Lopo
Duque da Gasconha
Escudo do Brasão de Armas do Ducado da Gasconha
Nome completo
Sancho Lopo
Nascimento 780
Morte 812 (32 anos)
Pai Lupo II da Aquitânia

Sancho Lopo ou Sancho I Lopez ou Lupo Sancho ou Sancho I da Gasconha (sendo que Lopo em língua Basca: Antso Otsoa,[1] francês: Sanche Loup, em Gascão: Sans Lop, Castelhano Lope) (c. 780 - 812 ou 816) foi duque da Gasconha entre os anos de 801 e 812.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Com a morte de seu pai, Lupo II da Aquitânia, provavelmente em 778, o que, de acordo com o historiador do século XIX, Jean Justin Monlezun, foi condenado à morte por enforcamento pelo imperador Carlos Magno rei dos francos entre 768 e imperador do ocidente (Imperatur Romanorum) entre 800 até a sua morte em 814, como é referido num escrito de Vida Hludovici Imperatoris a histórica século IX, de Eginhardo, um escritor carolíngio do século IX e biógrafo de Carlos Magno, Sancho ainda era um jovem. O irmão mais velho de Sancho, Adelrico da Gasconha, senhor de territórios a oeste com Baixa Navarra, como Béarn (agora parte do departamento de Pirineus Atlânticos) e Bigorre (agora quase coincidente com os Altos Pirineus) sucedeu-o no governo da Gasconha.

Em 781, Carlos Magno faz rei da Aquitânia seu filho Luís, então com três anos. Alguns anos mais tarde, Sancho Lopo está de volta à Aquitânia. Luís doa-lhe o Ducado da Vascónia em 800.

Após a morte de Lopo II, pai de Semen I, os bascos tinham elevado ao poder um de seus filhos, Lopo Sancho I que reconhece a suberânia de Carlos Magno e toma parte, contra o seu sentimento mas por fidelidade, à expedição organizada pelo rei da Aquitânia contra o Barcelona em 801.

Mas este reconhecimento foi de curta duração a partir de 802, Pamplona tinha prometido fidelidade ao emir de Córdoba Al-Hakam. Os Vascos ficaram do lado dele contra Luís, o Piedoso, filho de Carlos Magno, e reconheceu sua soberania. Em 806, as crónicas francas confirmam este reconhecimento, mas alguns anos antes retomam sob domínio franco[2].

A morte do Vasco Bergon, conde de Fezensac permite aos Francos escolher um deles, Liutardo, mas faz muito infelizes os Vascos que se revoltaram contra o novo conde matando uma parte de seus homens, alguns pelo fogo. Luís, o Piedoso aplica a lei da retaliação pela queima dos principais rebeldes na dieta de Toulouse[2].

Ele participou de outras expedições entre 804 e 812.

Quando Luís, o Piedoso sucede a Carlos Magno em 814, Sancho Lopo permanece em Aquitânia.

Em 816, forma-se uma coligação de senhores cristãos contra os muçulmanos da Espanha. Os dois exércitos se defrontam na Batalha de Pancorbo[3] que dura treze dias. Sancho Lopo é morto durante a batalha, assim como seu irmão Garcia Lopo.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Foi filho de Lupo II da Aquitânia (718 - 778) e pai de:

  1. Aznar I Sanches (? - 836), Conde de Gasconha Citeriore.
  2. Sancha da Gasconha, se casou com o Conde de Perigord, Eméno de Angoulême (? - 866).
  3. Sancho II Sánchez (c. 810 - 864), Conde de Gasconha Citeriore[4].
  4. Duoda de Agen (795 - 844) casada com Bernardo de Septimânia (c. 799 - 844)
  5. ... da Gasconha, mãe de Garcia Jimenes[5]

Referências

  1. Havendo várias variações nesta língua.
  2. a b  Jean de Jaurgain, , t. 1, PyréMonde (Ed.Régionalismes), 1898, 447 p. (ISBN 2846181446 et 9782846181846, OCLC 492934726lire en ligne [archive])
  3.  (ar) Ibn Hayyan, 
  4. Foundation for Medieval Genealogy: Gascony.
  5. Dinastias de Navarra.