Sangue do Meu Sangue (1969)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a telenovela de 1969. Para telenovela de 1995, veja Sangue do Meu Sangue (1995).
Sangue do Meu Sangue
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Criador(es) Vicente Sesso
País de origem  Brasil
Idioma original (português)
Produção
Diretor(es) Sérgio Britto
Elenco Tônia Carrero
Fernanda Montenegro
Nicette Bruno
ver mais
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Excelsior
Transmissão original 31 de março de 1969 - 31 de janeiro de 1970
Cronologia
Programas relacionados Sangue do Meu Sangue

Sangue do meu Sangue é uma telenovela brasileira produzida pela extinta TV Excelsior de São Paulo e exibida de 31 de março de 1969 a 31 de janeiro de 1970, às 19h, tendo passado para às 20h a partir de junho. Escrita por Vicente Sesso e dirigida por Sérgio Britto.

Trama[editar | editar código-fonte]

A história se passa no Brasil do século XIX, nos tempos do Segundo Reinado. Para evitar que o desfalque que dera no banco do sogro seja descoberto, Clóvis Camargo faz com que Carlos, o funcionário que poderia incriminá-lo, sofra um acidente com uma bomba. Carlos sobrevive, mas perde a memória e não se lembra mais da mulher Clara e dos filhos Lúcio, Cíntia e Ricardo. Dez anos se passam. Perambulando pelas ruas, Carlos se junta à trupe mambembe de Raposo e seu amigo Furtado Lins, que o acolhem, e recupera a memória. Passa então a acompanhar o dia-a-dia de sua família sem se revelar vivo e a lutar para que Clóvis pague por todas as maldades que cometera. Além do desfalque e da tentativa de assassinato, Clóvis oprime a mulher, Júlia, tenta convencer a todos de que ela está louca e maltrata os escravos, entre outras atrocidades. Em meio à trama está a atriz Pola Renon, que era amante de Carlos e com sua suposta morte passou a ajudar a família dele, sem revelar nada sobre o romance. O filho mais velho de Carlos, Lúcio, se apaixona por Pola e vive os dramas desse amor em meio às maquinações pela abolição da escravatura, luta que conta com Júlia como aliada quando esta resolve se libertar das garras opressoras de um marido que não a ama.

Elenco[1][editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Tônia Carrero Pola Renon
Fernanda Montenegro Júlia
Francisco Cuoco Carlos e Lúcio
Henrique Martins Clóvis Camargo
Nicette Bruno Clara
Edmundo Lopes Dr. Mário Albuquerque Soares
Rodolfo Mayer Raposo
Armando Bogus Maurício
Rosamaria Murtinho Viviane
Sérgio Britto Tenente Alexandre Paranhos
Nívea Maria Cíntia
Renato Machado Ricardo
Mauro Mendonça Conde Giorgio
Ruthinéia de Moraes Juliana
Rita Cléos Suzana
Geovana Magagnin Vitória
Nestor de Montemar Lourenço
Carminha Brandão Mariana
Nathália Timberg Sarah Bernhardt
Cláudio Corrêa e Castro Dom Pedro II
Márcia Real Princesa Isabel
Zé Luiz Pinho Inspetor Herculano
Geny Prado Leocádia
Sadi Cabral Machado
Gilmara Sanches Solange Deschamps
Salomé Parisi Zulmira
Geraldo Louzano Artur
Aldo Di Maio Juca
Pierão de Castro Martinez
Elisabeth Becker Marisa
Beatriz Bargen Eugênia
Antônio Pitanga José do Patrocínio
Eduardo Abbas Pedro Cesteiro
Ênio de Carvalho Quinzinho Cerdeira
Marlene Costa Carolina
Gladys Maria Bentinha
Rivaldo Perez Rivaldo
Mário Guimarães Praxedes
Marcos Paulo Marcos
Eudósia Acuña
Gilberto Sávio Lucas
Rachel Martins
João José Pompeo
Cuberos Netto Tenente Arruda
Sílvio de Abreu
Luiz de Bittencourt Dr. Noronha
Marilena de Carvalho Totonha
Carlos Zara
Valdo Rodrigues Lúcio (criança)
Américo Rodrigues Ricardo (criança)
Elaine Leick criança

Referências

  1. «Sangue do Meu Sangue (1969)». Teledramaturgia. Consultado em 21 de novembro de 2016