Joana de Valois, Duquesa de Berry

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Santa Joana de França)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras santas de mesmo nome, veja Santa Joana.
Joana de Valois
Rainha consorte de França
Filha da França
suo jure Duquesa de Berry
Duquesa consorte de Orleães
Governo
Reinado 7 de abril de 149817 de dezembro de 1498 (rainha)
Consorte Luís XII
Casa Real Valois
Vida
Nascimento 23 de abril de 1464
Nogent-le-Roi, Condado de Dreux (atualmente em Eure-et-Loir, França)
Morte 4 de fevereiro de 1505 (40 anos)
Bourges, Ducado de Berry
Sepultamento Mosteiro da Anunciação, Bourges, França
Pai Luís XI
Mãe Carlota de Saboia

Joana de Valois ou Santa Joana de França (em francês: Jeanne; Nogent-le-Roi, 23 de abril de 1464 - Bourges, 4 de fevereiro de 1505), foi filha de França nascida de Luís XI e de Carlota de Saboia. Ela era irmã de Carlos VII. Se tornou rainha de França como esposa de Luís XII.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filha de rei, esposa de rei, poucos santos no calendário sofreram humilhações maiores que Madame Jéhanne de France, conhecida na Inglaterra como Santa Joana de Valois.

Santa Joana de França, fundadora da Ordem da Anunciação.

Odiada pelo pai por seu sexo e por ser enfermiça e aleijada, educada por guardiães num castelo distante, sem nenhuma das vantagens de seu sexo e sem conforto, viveu em intensa solidão e por isso talvez tenha-se devotado tanto e tão cedo a Deus e à Virgem Maria. Os mistérios da Anunciação e da Encarnação, como determinados no Angelus, eram seu prazer.

Obrigada a casar-se em 1476 com Luís de Orléans, duque de Orléans, seu primo e herdeiro do trono, sofreu muito porque ele a odiava, imposta por razões de Estado, e a humilhava em público. Assim que subiu ao trono, por morte de Carlos VIII seu cunhado, Luís XII obteve anulação do casamento em Roma em 1498 considerado inválido por falta de consentimento e por jamais ter sido consumado.

Joana foi feita duquesa de Berry, recebendo a província para governar. Indo viver em Bourges, sua capital, Joana preencheu completamente seus deveres e se devotou ao bem estar dos súditos. Em 1500, com seu diretor de consciência franciscano, Gilbert Nicolas, Joana fundou a Ordem da Anunciação, ordem de prece e penitência, cuja regra principal era imitar as virtudes de Maria como narradas nos Evangelhos.

No fim da vida tomou votos, abandonou a aliança de casamento e vestiu o hábito, por baixo das vestes formais, adotando o nome de Irmã Joana Mariana. Apesar da má saúde, em constante sofrimento, tinha-se penitenciado todos os dias, e se abandonava muitas horas à oração. Joana rezava incessantemente pelo marido, e deixou como orientação à Ordem rezar pela alma dele, pela de seu irmão e pela de seu pai. Milagres se sucederam, após sua morte, e em 1514 o papa Leão X permitiu às Anunciadas honrarem-na por um ofício especial.

Joana foi beatificada pelo papa Bento XIV em 18 de junho de 1742, e depois canonizada por Pio XII em 1950.

Precedida por:
Ana de Montfort
Brasão de Joana da França
Rainha da França

7 de abril de 149817 de dezembro de 1498
Sucedida por:
Ana da Montfort
Precedida por:
domínio real
(Francisco de Valois
filho de Luís XI)
Brasão do Ducado de Berry
Duquesa de Berry

26 de dezembro de 1498 - 4 de fevereiro de 1505
Sucedida por:
domínio real
(Margarida de Angoulême)
Precedida por:
Maria de Cleves
Duquesa consorte d'Orleães
8 de setembro de 1476 - 17 de dezembro de 1498
Sucedida por:
Maria de Bourbon


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Joana de Valois, Duquesa de Berry