Santa Teresa (Espírito Santo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Santa Teresa, veja Santa Teresa.
Município de Santa Teresa
"Doce Terra dos Colibris"
Montanhas de Santa Teresa ao fim de tarde.

Montanhas de Santa Teresa ao fim de tarde.
Bandeira de Santa Teresa
Brasão indisponível
Bandeira Brasão indisponível
Hino
Fundação 22 de fevereiro de 1891 (127 anos)[1]
Gentílico teresense[2]
Prefeito(a) Gilson Amaro (DEM)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Santa Teresa
Localização de Santa Teresa no Espírito Santo
Santa Teresa está localizado em: Brasil
Santa Teresa
Localização de Santa Teresa no Brasil
19° 56' 09" S 40° 36' 00" O19° 56' 09" S 40° 36' 00" O
Unidade federativa Espírito Santo
Região
intermediária

Vitória IBGE/2017[3]

Região
imediata

Afonso Cláudio-Venda Nova do Imigrante-Santa Maria de Jetibá IBGE/2017[3]

Municípios limítrofes Norte: São Roque do Canaã;
Leste: Fundão, Ibiraçu e João Neiva;
Sul: Santa Maria de Jetibá e Santa Leopoldina;
Oeste: Itarana e Itaguaçu
Distância até a capital 78 km
Características geográficas
Área 683,158 km² [2]
Distritos Alto Caldeirão, Alto Santa Maria, Santa Teresa (sede), Santo Antônio do Canaã, São João de Petrópolis e Vinte e Cinco de Julho[4][5]
População 23 392 hab. estatísticas IBGE/2018[2]
Densidade 34,24 hab./km²
Altitude 655 m[6]
Clima tropical de altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,714 elevado PNUD/2010[7]
PIB R$ 403 818,96 mil IBGE/2015[8]
PIB per capita R$ 17 013,65 IBGE/2015[8]

Santa Teresa é um município brasileiro do estado do Espírito Santo, Região Sudeste do país. Sua população estimada em 2018 era de 23 392 habitantes.[2]

Santa Teresa é também chamada "Beija-flor do Espírito Santo", graças à abundância destas aves na região e, principalmente, por ser a terra onde nasceu e viveu o cientista Augusto Ruschi — pioneiro nas pesquisas com beija-flores e fundador do Museu de Biologia Professor Mello Leitão, localizado na cidade. O município possui uma das mais exuberantes biodiversidades do mundo, e está cercado pelas montanhas da região serrana do Espírito Santo, com cerca de 40% de seu território composto de Mata Atlântica.

É reconhecida como a primeira cidade fundada por imigrantes italianos no Brasil.[9]

História[editar | editar código-fonte]

A história de Santa Teresa começa em 1875, quando chegaram os primeiros imigrantes de língua italiana trazidos pela Expedição Tabachi. Pietro Tabacchi era, na realidade, de Trento (Áustria) e, com ele vieram muitos imigrantes de língua italiana do Tirol, território pertencente até 1918 ao Império Austríaco, além de algumas famílias do Vêneto, território pertencente ao Reino da Itália desde 1866.

As correntes migratórias provenientes da Itália continuaram, em 1877 chegaram os primeiros alemães, suíços e poloneses. Os colonos dedicavam-se a agricultura, tendo de início, além da cultura do café e cereais, realizado algumas experiências bem sucedidas, semelhantes às culturas do Trentino, pátria de origem de muitos imigrantes, tais como a videira e o bicho da seda. Mas a cultura que se desenvolveu de fato foi a do café, que perdura até hoje como principal produto agrícola da região.

A origem do nome da cidade é controverso. A tradição local diz que provém da fé de Maria Madalena A. Armini[10] que, protegida pela sombra de uma árvore conhecida na região por Pau-Peba, reunia os imigrantes para rezarem em frente ao quadro de Santa Teresa que trouxera da Itália em 1876. À sombra dessa árvore se reuniam os colonizadores para suas orações. Embora haja outras hipóteses, esta é a mais aceita pelos locais para explicar a origem do nome Santa Teresa.[11]

A pequena vila rapidamente se desenvolveu e já em 1891 foi criado e instalado o município de Santa Teresa. Em 1895 foram criadas a comarca e a paróquia. Em 1995 foi desmembrado o distrito de São Roque do Canaã, dando origem a um novo município.

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[12] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária de Vitória e Imediata de Afonso Cláudio-Venda Nova do Imigrante-Santa Maria de Jetibá.[3] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Santa Teresa, que por sua vez estava incluída na mesorregião Central Espírito-Santense.[13]

Relevo[editar | editar código-fonte]

A sede do município está localizada a 655 m acima do nível do mar. O ponto culminante é a Pedra Paulista, na divisa com Itaguaçu, com 1099 m. O segundo ponto mais alto é a montanha onde localiza-se o Radar da Aeronáutica, com 1065 m, na divisa com Santa Leopoldina. Os pontos mais baixos encontram-se no rio Saltinho, na divisa com Fundão (95 m) e no rio Santa Maria do Rio Doce, na divisa com São Roque do Canaã (115 m).

Há outros poucos pontos que passam dos 1000 m de altitude, sendo que a maior área acima desta cota localiza-se na Serra do Gelo, próxima à divisa com Santa Maria de Jetibá e à nascente do rio Santa Maria do Rio Doce. Os outros são a tríplice divisa com Itaguaçu e São Roque do Canaã, próximo à Pedra Paulista; morro próximo a Alto Recreio; morro em Nova Lombardia; e dois pontos a leste de Vinte e Cinco de Julho.

Clima[editar | editar código-fonte]

A latitude e a altitude são dois fatores que em muito influenciam na caracterização climática de uma região (embora não sejam os únicos fatores: a maior ou menor existência de vegetação e de umidade, por exemplo, também influencia). Santa Teresa é uma cidade geograficamente situada em uma região montanhosa da porção sul da região intertropical (aproximadamente 3 graus e 30 segundos ao norte da latitude do Trópico de Capricórnio), por isto o clima da cidade é geograficamente classificado como tropical de altitude.[14]

Apesar disso, justamente devido às características geomorfológicas da região – em especial seu relevo alto (quase 700 metros acima do MSL), montanhoso e repleto de vegetação –, o município possui algumas características climáticas típicas do que a classificação climática de Köppen-Geiger atribui ao código Cwa:[15]

Em suma, o município de Santa Teresa possui um clima tropical de altitude com elementos subtropicais (de clima temperado), o que faz com que a região tenha invernos secos e amenos e verões quentes e úmidos. Ainda, a primavera e o outono comportam-se como estações de transição, ou seja, que possuem características de ambas as estações (verão e inverno): como se poderá observar no gráfico abaixo, durante o outono predominam os dias quentes amenos, ao passo que durante a primavera predominam os dias frios amenos.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de novembro de 1976 a março de 1982, janeiro de 1990 a junho de 2001 e maio de 2002 a janeiro de 2005, a menor temperatura registrada em Santa Teresa foi de 4,2 °C em 15 de agosto de 2000 e 11 de agosto de 2004,[16] e a maior atingiu 34,6 °C em 10 de setembro de 1997.[17] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 121,7 milímetros (mm) em 12 de novembro de 1981. Outros grandes acumulados foram 120 mm em 26 de janeiro de 1979, 107,2 mm em 25 de março de 1979 e 105,1 mm em 22 de novembro de 1999.[18] Janeiro de 1979, com 513,6 mm, foi o mês de maior precipitação.[19]

Dados climatológicos para Santa Teresa
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 33,3 34,5 33,7 32,3 31 29,8 30,1 30,8 34,6 33,6 32,5 33,2 34,6
Temperatura máxima média (°C) 28 28,8 28 26,3 24,7 23,8 22,9 23,4 24,1 25,2 25,8 27,1 25,7
Temperatura média compensada (°C) 22,3 22,5 22,2 20,6 18,8 17,3 16,8 17 18,4 19,8 20,9 21,9 19,9
Temperatura mínima média (°C) 18,4 17,9 18 16,7 14,4 12,5 12,4 12,6 14,5 16,2 17,5 18,4 15,8
Temperatura mínima recorde (°C) 11,4 11,8 13,6 9,2 5,4 4,3 4,5 4,2 5,2 5,6 10,2 11,7 4,2
Precipitação (mm) 227,8 95,5 172,6 93 42,8 37,3 42,5 42,7 69 114,3 222,7 226,6 1 386,8
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 14 10 12 9 7 5 6 6 8 11 14 16 118
Umidade relativa compensada (%) 82,6 80,8 82,3 83,3 83,7 84 84 81,6 81,5 81,7 82,8 83,1 82,6
Horas de sol 175,8 193,9 179,6 166,2 165,6 159,8 157,9 171,6 132,5 131,5 128,8 143,8 1 907
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[20] recordes de 01/11/1976 a 01/04/1982, 01/01/1990 a 30/06/2001 e 01/05/2002 a 31/01/2005)[16][17]

Demografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com a estimativa populacional do IBGE para 2009, Santa Teresa tem 20.742 habitantes, ocupando o posto de 32º município mais populoso do estado. A maioria da população é descendente de italianos, alemães e pomeranos. O declínio populacional entre 1991 e 2000 exposto no gráfico a seguir se deve à emancipação de São Roque do Canaã.

Cor/Raça Percentagem
Brancos 65,5%
Negros 3,6%
Pardos 30,5%
Amarelos 0,4%

Fonte: Censo 2010

Evolução demográfica do município de Santa Teresa[21][22]
Museu de Biologia Professor Mello Leitão, em Santa Teresa.
Índice de Desenvolvimento Humano PNUD (2013)
IDH 2000 2010
Renda 0,675 0,722
Longevidade 0,808 0,834
Educação 0,437 0,604
Total 0,620 0,714

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Descubra o Espírito Santo (19 de fevereiro de 2016). «125º Aniversário de Santa Teresa». Secretaria de Estado do Turismo (SETUR-ES). Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2018 
  2. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Santa Teresa». Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2018 
  3. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  4. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Santa Teresa - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada (PDF) em 3 de março de 2016 
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Santa Teresa - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2018 
  6. Prefeitura. «Dados gerais». Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 12 de junho de 2007 
  7. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 1 de agosto de 2013.. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  8. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2015). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2015». Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2018 
  9. [1]
  10. http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/16419/1/2014_IsabelaBarbosaRodrigues.pdf
  11. «História». Prefeitura Municipal de Santa Teresa. Consultado em 14 de dezembro de 2016. 
  12. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2018 
  13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 86–87. Consultado em 3 de novembro de 2018.. Cópia arquivada (PDF) em 3 de novembro de 2018 
  14. BRASIL. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). «Interrelação Relevo & Clima» (SWF). Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTE). p. 7 (Clima Brasileiro). Consultado em 9 de novembro de 2014.. A maior parte do território brasileiro está localizada na faixa intertropical e possui climas quentes, com médias superiores a 18ºC e diferenças sazonais marcadas pelo regime de chuva, onde o inverno é seco e o verão chuvoso. Apenas uma pequena porção do sul do país é caracterizada pelo clima subtropical 
  15. Nóbrega, Neri Ellen F. da; Silva, José Geraldo F. da; Posse, Sheila Cristina P.; Ramos, Hugo Ely dos A. «Classificação Climática e Balanço Hídrico Climatológio para a Região Produtora de Uva do Município de Santa Teresa - ES» (PDF). O texto desta fonte afirma que o clima da região é Cwb. Porém, o gráfico da página 3 (figura 3) mostra que no mês mais quente – fevereiro – a temperatura média do ar ultrapassa os 22ºC, o que é um determinante do código Cwa e exclui o código Cwb. Portanto, neste caso deve-se dar mais atenção aos dados (medidos de 1977 a 2003) do que à interpretação que os pesquisadores inseriram no texto. Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (INCAPER). p. 3. Consultado em 6 de novembro de 2014. 
  16. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Santa Teresa». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  17. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Santa Teresa». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  18. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Santa Teresa». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  19. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Santa Teresa». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  20. «Normais climatológicas do Brasil». Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Consultado em 3 de novembro de 2018. 
  21. Recenseamentos demográficos em «Coleção digital» (pdf). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 13 de dezembro de 2009. 
  22. «Cidades@ - Santa Teresa - ES». IBGE. Consultado em 28 de maio de 2010. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Santa Teresa
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Espírito Santo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.