Sante Scaldaferri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sante Scaldaferri (Salvador, 1928-2016) é um ator e pintor brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sante nasceu na capital baiana, tendo já na década de 1930 participado de movimentos culturais, como a editoração da revista intitulada "MAPA", embora sua formação artística somente tenha começado na década de 1950, formando-se na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia, em 1957. Foi aprendiz de Mário Cravo Júnior. Neste mesmo ano ingressou na Escola de Teatro da UFBA, estudando cenografia com Gianni Ratto.

Ainda nos anos 50 participa das iniciativas pioneiras de Gláuber Rocha, colaborando como o Cinema Novo como cenógrafo e ator.

Quando a implantação do Museu de Arte Moderna da Bahia, no Solar do Unhão, foi assistente da arquiteta Lina Bo Bardi (de 1958 a 64), lecionando ainda, nesta mesma instituição, educação artística para crianças.

No magistério e como coordenador de programas sociais o artista teve papel primacial nos anos 70. Num velho casarão do Pelourinho, muito antes de ali se tornar um centro voltado para o turismo, capitaneou uma iniciativa patrocinada pelo SESI, ministrando cursos para jovens carentes e crianças que tinham algum talento artístico, reunindo jovens talentos e professores dedicados ao ensino também de técnicas artesãs. Esta experiência foi, também, levada para a comunidade de Alagados, no Colégio Simões Filho.

Faleceu em 15 de maio de 2016, aos 88 anos. Em 20 de maio de 2016, foi homenageado pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, à unanimidade, por iniciativa do Desembargador BALTAZAR MIRANDA SARAIVA que propôs Moção de Pesar pelo falecimento do artista plástico Sante Scaldaferri, pronunciando-se na seguinte forma, “verbis”: “Através desta MOÇÃO externamos nosso mais profundo pesar pelo falecimento do saudoso SANTE SCALDAFERRI, ocorrido no dia 15 deste mês, nesta Capital, rogando que Deus, em sua imensa sabedoria e misericórdia, possa confortar seus familiares e amigos nesse momento de dor e de saudades. John Donne, poeta inglês do século XVI, em um dos seus magistrais poemas escreveu que nenhum homem é uma ilha, pois cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra. Se essa parte diminui quando um torrão é arrastado para o mar, a vida também diminui com a morte de qualquer homem, e que, ‘por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti’. Um articulista pátrio, indignado com a morte sem causa, fruto da violência e do descaso de nossas autoridades, escreveu que quem ouvir o dobrar dos sinos em qualquer lugar, não perguntem por quem eles dobram, pois eles, simplesmente, dobram pelos indiferentes. A Bahia - em especial este Tribunal-, não pode ficar indiferente ao dobrar dos sinos pelo falecimento do artista plástico Sante Scaldaferri, morto aos 88 anos no dia 15 do corrente. Este artista, considerado um dos representantes dos pintores brasileiros contemporâneos, retratou, com maestria, o drama e a tragédia do sertão nordestino. Nascido em 1928, Scaldaferri colou grau na Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Foi membro de diversos eventos sobre artes plásticas, além de integrante do Conselho Estadual de Cultura da Bahia. Pode-se dizer que ele foi, em vida, uma verdadeira enciclopédia cultural: pintor, cenógrafo, professor, tapeceiro, ator e escritor. Segundo os especialistas, a decadência física encontrada nos corpos dos seus personagens, parece aliar-se à moral. Seus trabalhos se esforçam para estimular a crítica e a reflexão. Nas telas Homem Porco ou O homem Porco Beija a Mulher Porca, trabalha com a figura humana entre o divino e o animal. Por sua genialidade, eficiência, arte, amor à Bahia e por suas grandezas humanas, este Tribunal registra o falecimento do grande artista fazendo dobrar os sinos da saudade, saudando-o nesta homenagem póstuma, explícita nesta MOÇÃO. Dê-se ciência da presente Moção à sua esposa Marina Scaldaferri, e a seus demais parentes.”;

Cargos e homenagens[editar | editar código-fonte]

Scaldaferri atuou como membro do júri do "I Salão do MAM-Bahia de Artes Plásticas" (1994); do "Salão Regional de Itaparica" (1997) e do "VIII Salão do MAM-Bahia de Artes Plásticas" (2001).

Integrou o Conselho Estadual de Cultura da Bahia, além de ter sido membro de um programa de incentivo cultural.

Em Sessão da Câmara dos Deputados de 19 de janeiro de 1994, foi homenageado pelo então deputado Haroldo Lima. Intitulado "Terra de artistas, terra de Sante", a preleção do parlamentar enaltece a figura do artista baiano, um dos mais destacados em sua área, no estado: "Sante é um artista requintado e original em sua técnica. Mas é um artista do povo. Sua arte nos brinda com a beleza forte da simplicidade e da verdade, a começar pelo objeto de seus quadros, o cotidiano da vida, as alegrias, tristezas, orgulho, prepotência, esperança e fé, que caminham junto com a humanidade"[1]

A Federação Bahiana de Futebol denominou o troféu ao campeão da Taça Estado da Bahia em homenagem ao artista..

É comendador da "Honra ao Mérito Patriarca São Bento", conferido pelos integrantes do Mosteiro de São Bento, de Salvador (2004).

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Além da cenografia junto a Glauber, foi Scaldaferri ator nos seguintes filmes:

Principais mostras de pintura[editar | editar código-fonte]

Dentre as mostras, individuais e coletivas, participou Scaldaferri:

Individuais
  • Galeria da Escola de Belas Artes - Salvador - 1957
  • Galeria Domus - Salvador - 1958
  • Museu de Arte Moderna - Salvador - 1961
  • Galeria Goeldi - Rio de Janeiro - 1965
  • Galeria Atrium - São Paulo - 1966; 1967
  • Galeria Voltaico - Rio de Janeiro - 1969
  • Palácio Buriti - Brasília - 1978
  • Galeria Genaro de Carvalho - Salvador - 1981
  • Museu de Arte da Universidade Federal - Fortaleza - 1982
  • Galeria do Centro Cultural Cândido Mendes - Rio de Janeiro - 1983
  • Brasil Inter Art Galerie - Paris, França. 1989
  • Civica Galeria D'Arte Città di Portofino - Portofino, Itália. 1989
  • Gaymu Inter Art Galerie - Paris, França. 1992
  • Ethinic Modern Art - Genebra, Suíça. 1992
Coletivas
  • "I Salão Pan-Americano de Arte Moderna", Instituto de Belas Artes - Porto Alegre - 1958
  • "VIII Salão Nacional de Arte Moderna", Ministério da Educação e Cultura - Rio de Janeiro - 1959
  • "Prêmio Probel de Pintura", Museu de Arte Moderna - São Paulo - 1960
  • "Coletiva de Inauguração", Galeria Goeldi - Rio de Janeiro - 1964
  • "Grandes da Bahia", Galeria Irlandini - Rio de Janeiro - 1969
  • "Artistas da Bahia", Galeria Guignard - Belo Horizonte - 1972
  • "Artistas Plásticos da Bahia", Dakar, Senegal - 1980
  • "5ª Exposição de Arte Brasil-Japão", Brasil e Japão (itinerante) - 1981
  • "Five Contemporary Bahian Artist", Kouros Gallery - New York - 1983
  • "Encontro Inter Caribe d'Artes Plastic" - Caiena - 1985
  • "Exposicion Afro-Bahia", Galeria 2000 - São José, Costa Rica - 1985
  • "Afro-Bahia", Galeria Biel - Tunis - 1988
  • "The 4th International Contemporary Art Fair", London Olimpia - Londres - 1989
  • "II Bienal Internacional de Pintura", Moseo de Arte Moderno - Cuenca, Equador - 1989
  • "Pintura Contemporânea do Brasil", Casa Rômulo Gallegos - Caracas - 1990
  • "Artefiera 91, Mostra Mercato D'Arte Contemporânea" - Bologna - 1991
  • "Petit Formats", Gaymu Inter Art Galerie - Paris - 1991
  • "Europ'Art Salon International des Galeries Art Actuel" - Genebra - 1992
  • "China Art Expo 94" - Quangzhou - 1994
  • "Além da Tapobrana - A Figura Humana nas Artes Plásticas dos Países de Língua Portuguesa", Associação de Belas Artes - Lisboa - 1994
  • "BA&BA - Artistas da Bahia e de Buenos Aires" - Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador- BA e Museu Benito Quinquela Martin, Buenos Aires - 2005

Fontes e referências

  1. LIMA, Haroldo. "Sem Meias Palavras", Alfa Omega Ltda, São Paulo, 2001 (pp. 149 e seg.) Neste livro Lima ainda ressalta que "As telas de Sante Scaldaferri apresentam figuras que são, ao mesmo tempo, grotescas e plasticamente belas, e exprimem ainda, com lirismo, a visão rude e jocosa que o povo simples tem sobre as elites dominantes".

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]