Santuário Nacional de São José de Anchieta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: ""Museu Padre Anchieta"" redireciona para este artigo. Para o museu paulista, veja Museu Anchieta.
Santuário Nacional de São José de Anchieta
Fachada da Igreja Nossa Senhora da Assunção
Início da construção 1579 (440 anos)
Religião Católica
Diocese Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo
Sacerdote Dom Luiz Mancilha Vilela
Património Nacional
Classificação Monumento religioso
Data 21 de setembro de 1943 (76 anos)
Geografia
País Brasil
Região Espírito Santo
Local Anchieta

O Santuário Nacional de São José de Anchieta, formado pela Igreja de Nossa Senhora da Assunção e áreas da antiga residência jesuíta , é um templo católico localizado em uma encosta do morro do Rio Benevente no município de Anchieta, litoral sul do Espírito Santo. O conjunto de edificações é formado pela Igreja Nossa Senhora da Assunção e a residência. A igreja católica denominou o espaço como Santuário Nacional de São José de Anchieta devido à canonização do Padre José de Anchieta pelo Papa Francisco, em 2014, sua declaração como copadroeiro do Brasil, em 2015,[1] e por ter sido o lugar escolhido pelo sacerdote para viver seus últimos dias.[2] Em 1965 foi criado no local o Museu Nacional São José de Anchieta, que preserva imagens, objetos litúrgicos antigos da igreja e objetos da antiga aldeia de Reritiba.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Imagem de São José de Anchieta, copadroeiro do Brasil.

O edifício original foi construído em pedra e cal no ano de 1579 pelo Padre José de Anchieta, na localidade de Reritiba, atual cidade de Anchieta.[4] Patrimônio de grande importância histórica, cultural e religiosa, foi primordial no processo de catequização dos indígenas da capitania do Espírito Santo. Em 1759, a aldeia de Reritiba foi elevada à condição de Vila de Benevente e nesse período o conjunto sofreu mudanças significativas para se adaptar a nova realidade. Em 1797, a Igreja teve a sacristia demolida após ser elevada a categoria de Matriz paroquial e em 1804, a residência sofreu adaptações para poder servir de Câmara Municipal, cadeia pública, Fórum, aposentos do Juiz da Vila e moradia paroquial. No século XIX, o pátio interno e parte das alas sul e oeste foram usadas como cemitério da cidade. Em 1928, a residência foi comprada pelo bispo Dom Helvécio e devolvida aos jesuítas para que continuassem a missão evangelizadora. Em 21 de Setembro de 1943 o conjunto foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) devido a particularidades encontradas e à importância do imaginário barroco. Em 1965, foi fundado no local o Museu Nacional São José de Anchieta.[5][nota 1]

No período de janeiro de 1994 a junho de 1997, foi iniciado o Programa de Restauração do Conjunto Jesuítico de Anchieta que possibilitou resgatar e recuperar as características originais do conjunto, bem como as prospecções arqueológicas.[5]

Em 24 de abril de 2015, durante a 53ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o templo foi declarado oficialmente Santuário Nacional de São José de Anchieta.[6]

Notas e referências

Notas

  1. Não confundir com o Museu Anchieta, localizado no Pátio do Colégio, centro da cidade de São Paulo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Santuário Nacional de São José de Anchieta no Facebook