Santuário do Bom Jesus da Lapa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2010).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Vários objetos deixados na gruta do Santuário, como retratos e lembranças.

O Santuário do Bom Jesus da Lapa fica no município de Bom Jesus da Lapa no estado da Bahia, distante 796 quilômetros de Salvador. O santuário foi eleito a primeira das sete maravilhas do Brasil numa pesquisa feita pelo sítio da internet 7 Maravilhas Brasil.[1] Descoberto em 1691, a Gruta do Bom Jesus, a mais conhecida do Morro de Bom Jesus da Lapa e antiga morada de onças, serve como Igreja do Bom Jesus da Lapa.[2]

É famoso por sua romaria levando muitos fiéis para as ruas da cidade, considerada a terceira maior do Brasil.[3]

História[editar | editar código-fonte]

O Santuário funciona numa gruta de pedra descoberta há mais de 350 anos pelo português Francisco de Mendonça Mar que era pintor e artista plástico, contratado pelo governador geral do Brasil na Bahia para pintar o Palácio da Aclamação, então sede do governo. Após os trabalhos, ao invés de receber, foi jogado na prisão como escravo e açoitado.[2] Quando solto, decidiu deixar a cidade do Salvador e levou consigo as imagens de Jesus crucificado e Nossa Senhora da Soledade.[2] Após andar muitos meses, encontrou o Morro de Bom Jesus da Lapa, que possui 90 metros de altura.[2] Dentre as nove grutas existentes no morro, abrigou-se na Gruta do Bom Jesus, onde colocou as duas imagens.

No período dos garimpos de ouro em Minas Gerais, os garimpeiros passavam perto da gruta e viam a luminosidade das velas que ele acendia, e assim foram se formando as romarias.

Hoje, trezentos anos depois, o santuário ainda atrai muitos romeiros, sendo um dos santuários mais conhecidos do Brasil. O zelo pastoral do santuário está entregue aos padres da Congregação do Santíssimo Redentor (CssR), popularmente conhecidos como Redentoristas.

Muitos devotos levaram esta devoção para diversos lugares do Brasil, como em Jardinópolis, estado de São Paulo, onde uma senhora mandou contruir uma igreja em agradecimento pela sua cura após visitar o Santuário do Bom Jesus da Lapa. A festa do Santuário do Bom Jesus de Jardinópolis também ocorre no período de 28 de julho a 06 de agosto.

Também em Batinga, no extremo sul baiano, por volta da década de 20, uma devota senhora mandou construir uma capela em honra ao Senhor Bom Jesus. A capela do Senhor Bom Jesus de Batinga, passou a receber numerosos devotos da região e também dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. A quantidade de romeiros era maior no período das festas em homenagem ao Bom Jesus, que ia do dia 28 de julho ao dia 6 de agosto, como ainda hoje se celebra. Na década de 60 foi construída uma igreja maior na mesma praça onde se encontra a antiga capela.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. 7 Maravilhas Brasil. «7 Maravilhas Brasil». Consultado em 30 de junho de 2009 
  2. a b c d 7 Maravilhas Brasil. «Santuário de Bom Jesus da Lapa (BA) - Maravilha!». Consultado em 30 de junho de 2009 
  3. Turismo religioso leva 400 mil pessoas para Bom Jesus da Lapa, acessado em 1 de agosto de 2014.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PITA, Sebastião da Rocha. Historia da America Portugueza desde o anno de mil e quinhentos do seu descobrimento, até o de mil e setecentos e vinte e quatro. Lisboa Occidental: Na officina de Joseph Antonio da Sylva, 1730;
  • AZZI, Riolando. O Episcopado do Brasil frente ao Catolicismo Popular. Petrópolis: Editora Vozes, 1977.
  • _____. As Romarias no Brasil. In: VOZES, nº 4 (1979/39-204).
  • _____. A Sé Primacial de Salvador. A Igreja Católica na Bahia (1551-2001). Vol. II: Período Imperial e Republicano. Petrópolis: Vozes, 2001.
  • BEOZZO, José Oscar. Irmandades, santuários e capelinhas de beira de estrada. REB, 37 (1977), 741-758.
  • FERNANDES, Rubem César. Os Cavaleiros do Bom Jesus. Uma introdução às religiões populares. São Paulo: Brasiliense, 1982.
  • _____. Imagens da Paixão. Rio de Janeiro. RELIGIÃO E SOCIEDADE, nº 14 (1987) 44-63.
  • _____. O Povo da Cruz. Rio de Janeiro: RELIGIÃO E SOCIEDADE, nº 15 (1990) 94-121.
  • KOCIK, Lucas. Lapa - O Santuário do Bom Jesus. Bom Jesus da Lapa: 1978.
  • _____. Resenha histórica do Bom Jesus da Lapa. Bom Jesus da Lapa: Gráfica Bom Jesus, 1987.
  • _____. Maravilhas do Santuário do Bom Jesus da Lapa. Bom Jesus da Lapa: Gráfica Bom Jesus, 1988.
  • _____. A Folha de Prata. 25 anos da diocese de Bom Jesus da Lapa. Bom Jesus da Lapa: Gráfica Bom Jesus, 1988.
  • _____. Santuário do Bom Jesus da Lapa. Bom Jesus da Lapa: Gráfica Bom Jesus, 1988.
  • _____. Romaria de Bom Jesus da Lapa. Bom Jesus da Lapa: Gráfica Bom Jesus, 1991.
  • RIBEIRO DE OLIVEIRA, P. STEIL, C. A. Avaliação Pastoral da Diocese de Bom Jesus da Lapa. Rio de Janeiro: ISER, 1993 (mimeo).
  • SEGURA, Turíbio V. Bom Jesus da Lapa. Resenha histórica. São Paulo: Gráfica Ave Maria, 1937; também a mesma obra, editada em Juiz de Fora pela Editora "Lar Católica", em 1955.
  • _____. Graças e Favores do Bom Jesus. Juiz de Fora: Livraria do Santuário, 5ª ed., 1955.
  • STEIL, Carlos Alberto. O Sertão da Romaria: um estudo antropológico sobre o santuário de Bom Jesus da Lapa - Bahia. Petrópolis: co-edição Vozes - CID, 1996.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Santuário do Bom Jesus da Lapa