Sarça ardente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
A sarça ardente. Quadro do Museu Hermitage em São Petersburgo

A sarça ardente é um arbusto descrito numa passagem da Bíblia no livro do Êxodo [3:1–4:17] localizado no Monte Horeb. De acordo com a narrativa, o arbusto estava ardendo em chamas, mas não era por elas consumido[1]. No relato bíblico, a sarça ardente é o local onde Moisés foi convocado por Adonai (Deus) para liderar os israelitas fora do Egito em direção à Canaã.

A palavra hebraica usada na narrativa é seneh (סנה), que indica uma planta arbustiva que poderia ser tanto do gênero Rubus como do gênero Acacia[2].

De acordo com o judaísmo, foi em virtude deste acontecimento misterioso que Moisés passou a referir-se ao Senhor Deus, "Ehyeh" (hebraico: אֶהְיֶה ) ou "Ehyeh-Asher-Ehyeh" (hebr: אהיה אשר אהיה "- conforme em Êxodo 3:14) como o que habita na sarça o que fez pela primeira vez durante a bênção das tribos de Israel (Deuteronômio 33:16) (ver: Nomes de Deus no judaísmo).

Muitos estudiosos atribuem a este episódio o fato de os hebreus terem especial apreço pela árvore da Acácia, sendo que todo o mobiliário sagrado do Tabernáculo e, inclusive, a própria Arca da Aliança (que representava a presença de Deus na terra) teve como matéria-prima principal a madeira da sarça (Acacia nilotica, "Shittim") a qual foi indicada a Moisés nas revelações divinas. Algumas Acácias contêm a substância DMT que poderia explicar sua associação com o sobrenatural.[3]

Referências

  1. Bíblia online
  2. Cheyne and Black, Encyclopedia Biblica
  3. Stewart, Elizabeth (5 de março de 2008). «Moses was stoned when he set Ten Commandments, researcher claims». the Guardian (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2018