Sara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Sara (desambiguação).

Sara (hebraico: שָׂרָה, hebraico moderno: Sara, tiberiano: Śārā; pronunciado /ˈsɛərə/; latim: Sara; em árabe: سارة), é uma matriarca bíblica do Antigo Testamento, esposa de Abraão e mãe de Isaque como é descrito no Antigo Testamento e no Alcorão. Seu nome original era Sarai. De acordo com Gênesis 17:15, Deus mudou seu nome para Sara como parte de uma aliança com Javé após Agar dar a Abraão seu filho Ismael.

O nome hebraico Sara indica uma mulher de alta hierarquia e algumas vezes é traduzido como “princesa”. Ele também pode significar “senhora”, ou "dama".

Sara na Bíblia[editar | editar código-fonte]

Sara foi esposa de Abraão. Ela era considerada muito bela ao ponto que Abraão temeu que quando eles estivessem próximos aos governantes mais poderosos ela fosse tirada dele e entregue a outro homem.

Então caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: A um homem de cem anos há de nascer um filho? E dará à luz Sara da idade de noventa anos? Gênesis 17:17

E disse Deus: Na verdade, Sara, tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque, e com ele estabelecerei a minha aliança, por aliança perpétua para a sua descendência depois dele. Gênesis 17:19

A palavra no hebraico quer dizer "princesa" ou mandatária. Seu nome no original era Sarai, que significa "minha princesa". Seu nome foi modificado quando o de Abrão foi mudado para Abraão, quando foi estabelecida a circuncisão como sinal do Pacto Abraâmico.

Em Gênesis 20.12. Abraão fala de Sara como sua "irmã, a filha de meu pai, mas não a filha de minha mãe". Porém em Gênesis 11-26 esta escrito "E viveu Terá setenta anos, e gerou a Abrão, a Naor, e a Harã." E em Gênesis 11-27 "E estas são as gerações de Terá: Terá gerou a Abrão, a Noar, e a Harã; E Harã gerou a Ló. Já em gênesis 11-29 Diz "E tomou a Abrão e Naor mulheres para si: O nome da mulher de Abrão era Sarai, e o nome da mulher de Naor era Milca, filha de Harã, pai de Milca e pai de Iscá.

Embora hoje o incesto seja considerado uma prática horrenda, nos tempos dos patriarcas (antes da lei mosaica) tal ato era permitido. Após o Criador entregar a Moisés as suas leis essa prática passou a ser proibida e condenável ao homem. O nome de Sara não é mencionado em Gênesis 11-27 pois era tradição nos livros antigos citar apenas os descendentes masculinos, por naquele período serem considerados os responsáveis por continuarem a descendência de seu pai.

Referências