Sarvastivada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pipal.jpg
Budismo
inicial
Escrituras

Cânone páli
Agama
Textos budistas
de Gandhara

Concílio

1º Concílio
2º Concílio
3º Concílio
4º Concílio

Escolas

Primeira Sangha
 Mahāsāṃghika
     Ekavyāvahārika
         Lokottaravāda
     Gokulika
         Bahuśrutīya
         Prajñaptivāda
     Caitika
         Apara Śaila
         Uttara Śaila
     (Haimavata)
 Sthaviravāda
     Puggalavāda
         Vātsīputrīya
             Dharmottarīya
             Bhadrayānīya
             Sammitīya
             Sannāgarika
     Sarvāstivāda
         (Haimavata)
         (Kāśyapīya)
         (Mahīśāsaka)
             (Dharmaguptaka)
         Sautrāntika
         Mūlasarvāstivāda
         Vaibhāṣika
     Vibhajjavāda
         (Kāśyapīya)
         (Mahīśāsaka)
             (Dharmaguptaka)
         Tamraparniya

Sarvastivada é uma escola inicial do budismo, que sustentava a 'existência de todos os darmas (fenômenos) no passado, presente e futuro'. Foi talvez a escola mais influente na parte noroeste da Índia.

Nomenclatura e etimologia[editar | editar código-fonte]

Sarvastivada é um termo sânscrito. Apesar de haver alguma disputa sobre como a palavra "sarvastivada" deva ser analisada, o consenso geral é que ela deva ser deve ser dividida em três partes: sarva; ‘tudo’ ou ‘todo’ + asti ‘existe’ + vada ‘fale’, ‘diga’ ou ‘teoria’. Isto se equipara perfeitamente com o termo chinês, 說一切有部 (shuo1yi1qie4you3bu4), que é literalmente ‘o secto que fala da existência de tudo’[1], como usado por Xuanzang e outros tradutores. O equivalente páli é Sabbatthivada.


Textos do abidarma Sarvastivada[editar | editar código-fonte]

O abidarma Sarvastivada consiste de sete textos. Eles são:


Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Taisho 27, n1545

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]