Satanás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Satanás (desambiguação).
Série temática sobre o
Satanismo
Stanism user box.gif
Conceitos
Satanismo LaVey
Satanismo teísta
Organizações
Igreja de Satã
Símbolos
Baphomet
Pentagrama invertido
Cruz de São Pedro
Mão chifrada
Cerimônias e ritos
Missa negra
Ritual satânico
Livros, publicações e portais
A Bíblia Satânica
Os Rituais Satânicos
A Bruxa Satânica
The Church of Satan
The Secret Life of a Satanist
Satanistas proeminentes
Anton LaVey
Blanche Barton
Peter H. Gilmore
Peggy Nadramia
Divindades simbólicas
Satanás
Lúcifer
Beliel
Leviatã
Conceitos relacionados
Materialismo
Individualismo
Caminho da mão esquerda
Maioridade moral
Hedonismo
Portal A Wikipédia possui o
Portal do Ocultismo

Satanás ou Satã (do hebraico שָטָן trasnl: Satan, adversário,[1] no koiné Σατανάς Satanás; no aramaico צטנא, em árabe شيطان) é um termo originário da tradição e mitologia judaico-cristãs e geralmente aplicado à encarnação do Mal em religiões monoteístas.

Origem e etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra שָטָן (significando [adversário]) assim como o árabe الشيطان (shaitan), derivam da raiz semítica šṭn, significando ser hostil..[1] O Tanakh utiliza a palavra שָטָן para se referir a adversários ou opositores no sentido geral assim como opositores espirituais.

Há registros, cronologicamente próximos, que a palavra Satanás, se origina diretamente da palavra Sátiro (do grego Σάτυρος — Sátyros) em cultura teológica grega. Identidades como a flauta, citada em Ezequiel 28, e imediata similar forma de representações físicas. Chifres, pernas caprinas e troncos humanos. Visto em causa histórica, associação possível, devido a rivalidade Roma-Grécia em necessidade de alcance e amplidão religiosa.

11. A palavra do Senhor foi-me dirigida nestes termos: 12. filho do homem, entoa um cântico fúnebre sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Eis o que diz o Senhor Javé: Eras um selo de perfeição, cheio de sabedoria, de uma beleza acabada. 13. Estavas no Éden, jardim de Deus, estavas coberto de gemas diversas: sardônica, topázio e diamante, crisólito, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda; trabalhados em ouro. Tamborins e flautas, estavam a teu serviço, prontos desde o dia em que foste criado. 14. Eras um querubim protetor colocado sobre a montanha santa de Deus; passeavas entre as pedras de fogo. 15. Foste irrepreensível em teu proceder desde o dia em que foste criado, até que a iniquidade apareceu em ti. 16. No desenvolvimento do teu comércio, encheram-se as tuas entranhas de violência e pecado; por isso eu te bani da montanha de Deus, e te fiz perecer, ó querubim protetor[2], em meio às pedras de fogo. 17. Teu coração se inflou de orgulho devido à tua beleza, arruinaste a tua sabedoria, por causa do teu esplendor; precipitei-te em terra, e dei com isso um espetáculo aos reis. 18. À força de iniquidade e de desonestidade no teu comércio, profanaste os teus santuários; assim, de ti fiz jorrar o fogo que te devorou e te reduzi a cinza sobre a terra aos olhos dos espectadores. 19. Todos aqueles que te conheciam entre os povos ficaram estupefatos com o teu destino; acabaste sendo um objeto de espanto; foste banido para sempre!

O termo grego Σατανάς aparece na Septuaginta apenas para os adversários humanos. No caso dos adversários angélicos a palavra grega diabolos é usada. No Novo Testamento os dois termos são intercambiáveis, embora diabo é usado quatro vezes para os humanos.

Condição de existência[editar | editar código-fonte]

Após várias comparações no que se refere as traduções sobre a origem das palavras Satanás e Diabo, atualmente é consensual entre religiosos seu significado: acusador ou caluniador para Diabo; e opositor ou adversário para Satanás. Todavia ainda há divergências sobre sua literal existência; alguns simplesmente a ignoram, outros fazem demonstrações lógicas de sua existência dentro dos parâmetros bíblicos, partindo do fato de que a Bíblia o menciona como um ser espiritual, um "anjo de luz" que tornou-se um rebelde se opondo ao Criador. Apocalipse 12:07 apresenta Satanás como um líder de uma rebelião; no versículo seguinte, denota-se a necessidade de que haja retaliação para que tal rebelde seja banido de seu lugar de origem; no versículo 09, é evidenciado que o rebelde juntamente com seus comparsas são vencidos e lançados para nosso planeta. Em Apocalipse 12:12, é mostrada a alegria do céu (plano espiritual onde vivia Satanás), e a tristeza para seres humanos influenciados por ele na Terra (onde atua intensamente Satanás).

Satanismo Espiritual[editar | editar código-fonte]

No satanismo espiritual satánas não é visto como um ser maligno e mentiroso de olhos vermelhos flamejantes ou chifres. Ele é o deus sumério EA, conhecido como Enki, cujo significado é "Senhor da Terra".

Desvendando erros de escrita[editar | editar código-fonte]

Um dos problemas bíblicos "mais mortais" é o das traduções. Tendo passado por várias traduções até chegar na versão conhecida atualmente, é evidente que muitas modificações tenham acontecido; a maioria delas involuntariamente. Uma delas é a da confusão entre os termos Satanás, Diabo e Lúcifer.

Na íntegra, Satanás é um, Lúcifer é outro. Lúcifer seria o famoso Portador da Luz (do latim Lux fero), Eósforos e Héspero, o planeta Vênus em seus aspectos matutino e vespertino.

Diabo significa "acusador", do grego diabolos, e pode se referir genericamente a qualquer pessoa que acusa e se opõe a outra.

Já Satanás significa "adversário".[carece de fontes?] A Igreja Católica considera Lúcifer como Satanás, que seria um anjo que se rebelou contra Deus e foi expulso do Céu, apesar da Bíblia não ter sequer uma passagem que explicite isso. A passagem usada para justificar a ideia Satanás = Lúcifer é Isaías 14:12 : "Como caíste do céu, ó Lúcifer, tu que ao ponto do dia parecias tão brilhante?". Trata-se de uma passagem controversa, pois os judeus[carece de fontes?] consideram essa a passagem sobre o desaparecimento da estrela Vênus diante da majestosidade do Sol como uma alusão à crença[carece de fontes?] de que o Império Babilônico desapareceria diante do poder do Deus Yahweh, e a maioria dos cristãos considera a passagem como referente à queda física de um anjo, daí denominam Satanás como Lúcifer.

Referências bíblicas[editar | editar código-fonte]

1Crônicas
Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel. E disse Davi a Joabe e aos maiorais do povo: Ide, numerai a Israel, desde Berseba até Dã; e trazei-me a conta para que saiba o número deles.[Capítulo 21:1-2]
Pintura de Gustave Doré baseada na obra Paraíso Perdido.
Ora, chegado o dia em que os anjos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. O Senhor perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela. Disse o Senhor a Satanás: Notaste porventura o meu servo , que ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, que teme a Deus e se desvia do mal? Então respondeu Satanás ao Senhor, e disse: Porventura Jó teme a Deus debalde? Não o tens protegido de todo lado a ele, a sua casa e a tudo quanto tem? Tens abençoado a obra de suas mãos, e os seus bens se multiplicam na terra. Mas estende agora a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e ele blasfemará de ti na tua face! Ao que disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo o que ele tem está no teu poder; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor. [Capítulo 1:6-12]
Zacarias
E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do Senhor, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor. Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo? [Capítulo 3:1-2]
Mateus
Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome. Chegando, então, o tentador, disse-lhe: Se tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus. Então o Diabo o levou à cidade santa, colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito; e eles te susterão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Replicou-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. Novamente o Diabo o levou a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles; e disse-lhe: Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares. Então ordenou-lhe Jesus: Vai-te, Satanás; porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o Diabo o deixou; e eis que vieram os anjos e o serviram. [Capítulo 4:1-11]
Marcos
E começou a ensinar-lhes que importava que o Filho do homem padecesse muito, e que fosse rejeitado pelos anciãos e príncipes dos sacerdotes, e pelos escribas, e que fosse morto, mas que depois de três dias ressuscitaria. E dizia abertamente estas palavras. E Pedro o tomou à parte, e começou a repreendê-lo. Mas ele, virando-se, e olhando para os seus discípulos, repreendeu a Pedro, dizendo: Retira-te de diante de mim, Satanás; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas as que são dos homens. [Capítulo 8:31-33]
Lucas
Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. [Capítulo 22:31-32]
Apocalipse
E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande corrente na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali fechou-o, e pôs um selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo. [Capítulo 20:1-3]

Interpretações[editar | editar código-fonte]

A maioria dos cristãos considera que todas as ocorrências de Satanás na Bíblia são literais.[carece de fontes?]

Muitos judeus e alguns cristãos consideram que Satanás é uma alegoria. Os estudiosos identificam a Satanás em Zacarias 3, com os acontecimentos políticos no tempo de Neemias. Os Autenticistas[3] e Cristadelfianos[4][5] entendem que o próprio Cristo teria contado suas tentações, em forma de parábola.

Ao longo das obras Glossário Teosófico, e A Doutrina Secreta, Helena Blavatsky é oferecido diversas interpretações sobre Satanás.

Referências

  1. a b «American Heritage® Dictionary: Semitic roots: sn». Consultado em 2006-05-31. 
  2. «A origem de Satanás - O pai da mentira». Consultado em 2013-12-31. 
  3. Autenticismo na Web - Estudo analítico sobre Anjos e Demônios
  4. Whittaker Studies in the Gospels
  5. Watkins The devil the great deceiver