Escalabrinianos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Scalabrinianos)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Congregação dos Missionários de São Carlos, também conhecidos como carlistas ou escalabrinianos, foi fundada pelo Beato João Batista Scalabrini e tem como patrono São Carlos Borromeu. A Congregação tem como lema: Eu era estrangeiro e me acolhestes (Mt 25,35). Por ser um piedoso homem, extremamente preocupado com a difusão do Evangelho, Scalabrini foi definido pelo Papa Pio IX como o Apóstolo do Catecismo.

Os escalabrinianos são uma família religiosa católica, constituída por duas congregações e um instituto secular, fundada por Dom João Batista Scalabrini em Piacenza.

Após elaboradas as regras, a Congregação foi aprovada pelo Papa Leão XIII, a 28 de novembro de 1887. Sua finalidade é a formação religiosa, moral, social e legal dos migrantes. Para cumprir esta finalidade, Dom Scalabrini fundou também, em 1895, um segmento feminino, a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos, que proporcionou grandes frutos, dentro da pregação e ensino catequético aos imigrantes. Diversas outras congregações scalabrinianas expandiram-se rapidamente pelo mundo.

A Congregação Missionárias Seculares Escalabrianas, foi fundada no ano de 1961, dentro do espírito missionário e catequizador do Beato João Batista Scalabrini.

Lema religioso[editar | editar código-fonte]

A Congregação Escalabriniana adotou como lema a palavra de Jesus Cristo, conforme expressa no Evangelho de Mateus, capítulo 25, versículo 35, parte b:

Duas congregações[editar | editar código-fonte]

Para ambas as congregações, masculina e feminina, o bispo Scalabrini escolheu como padroeiro o cardeal São Carlos Borromeu. Por isso, os escalabrianianos, como ficaram sendo conhecidos seus seguidores, são chamados também de carlistas — principalmente no Brasil. Na congregação escalabriniana há irmãos não ordenados, que somente professam seus votos, e há os que são ordenados. O seu carisma é anunciar o mistério da salvação no meio da mobilidade humana dos povos. Reunir o povo de Deus disperso numa família humana, testemunhar a catolicidade do Reino mediante a evangelização das comunidades migrantes.

Missão[editar | editar código-fonte]

Dedica-se fundamentalmente à atenção aos migrantes, especialmente aqueles que, necessitam de um atendimento pastoral específico. Os escalabrinianos servem os migrantes em âmbito espiritual e social em vinte e quatro nações da Ásia, Oceania, Europa, África e Américas, oferecendo centros de primeira acolhida, casas para marítimos, vilas para migrantes idosos, centros de estudos e de pesquisas, além de atuarem na difusão de jornais e programas de rádio e de televisão. Possuem casas de formação para religiosos e leigos, têm presença nos Conselhos Pontifícios para a mobilidade, em comissões episcopais ou diocesanas para as migrações, pregações de missões volantes, ensino, animação de paróquias multiétnicas e de missões étnicas.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A família escalabriniana é formada por:

  • A Congregação dos Missionários de São Carlos Borromeu, uma comunidade religiosa masculina fundada em 1887.
  • As Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu, uma comunidade fundada em 1895 pelo beato Scalabrini e pelos irmãos Giuseppe e Assunta Marchetti, tendo por missão assistir os migrantes e os peregrinos, de preferência os mais pobres.
  • As Missionárias Seculares Scalabrinianas, um instituto secular fundado em 1961 em Soletta (Suíça).

Ramo feminino[editar | editar código-fonte]

A Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu ou Escalabrinianas (Missiinariae Sancti Caroli - Scalabinianae) (MSCS)– também foi fundada pelo beato João Batista Scalabrini em Piacenza, Itália, no dia 25 de outubro de 1895 e tem como Co-fundadores os irmãos padre José Marchetti e Madre Assunta Marchetti. Sua missão é o serviço evangélico e missionário aos migrantes, de preferência os mais pobres e necessitados.

A congregação expandiu-se inicialmente no Brasil e, em seguida, na Europa (1936), na América do Norte (1941) e, nos últimos decênios, em outros países da América Latina, na Ásia e na África. Hoje está presente em vinte países e conta com oitocentas e quatorze freiras e cento e cinqüenta e nove comunidades.

Fiel ao carisma e atenta aos desafios da mobilidade humana, a congregação acolhe a proposta da Igreja de servir junto àquela parcela do gênero humano em mobilidade e ser "sinal da ternura de Deus e testemunho particular do mistério da Igreja que é virgem, esposa e mãe" (V.C. 57) em sintonia com as palavras do evangelho: "era estrangeiro e me acolhestes" (Mt 25,35).

Há um ramo feminino de missionárias seculares, instituído Como missionárias seculares, não estáveis, estas mulheres são enviadas não somente a viver no mundo a sua consagração, mas a permanecer em um diálogo constante com ele, a reconhecer em cada ambiente o lugar ideal para criar espaço, no caminho dos votos, à vida de Nosso Senhor Jesus Cristo pobre, virgem e obediente, verdadeiro homem universal.

Ramo leigo[editar | editar código-fonte]

Há um ramo de Missionários Leigos Escalabrinianos (Missionarii Laici Saclabriniani) (MLC), uma espécie de Ordem Terceira, cujo propósito de vida é ver, de um modo específico, o chamado vocacional do batismo e a dimensão de Igreja, através da participação e partilha do carisma escalabriniano anunciando Nosso Senhor Jesus Cristo e testemunhando a identidade de leigo missionário nos diversos âmbitos da vida cotidiana e no empenho missionário com os migrantes, a fim de que: "de todos os povos se forme um só povo e de toda a humanidade um só rebanho sob a guia de um único Pastor".

Breve história[editar | editar código-fonte]

No começo a Congregação teve difusão no Brasil e depois na Europa (1936), na América do Norte (1941), e no fim do século XX em outros países da América Latina, da Ásia e da África.

Bispos Scalabrinianos[editar | editar código-fonte]

Nome Data de Nascimento Ordenação Episcolpal Diocese
Jacyr Francisco Braido, CS 17 de abril 1940 Bispo Emérito da Diocese de Santos, SP
Card. Velasio De Paolis, CS 19 de setembro 1935 Bispo da Cúria Romana
Laurindo Guizzardi, CS 7 de julho 1934 Bispo da Diocese de Foz do Iguaçu
Redovino Rizzardo, CS 12 de abril 1939 Bispo da Diocese de Dourados, MS
Alessandro Carmelo Ruffinoni, CS 26 de agosto 1943 Bispo coadjutor da Diocese de Caxias do Sul, RS
Lawrence Sabatini, CS 15 de maio 1930 Bispo-emérito de Kamloops, Colúmbia Britânica, Canadá
Silvano Maria Tomasi, CS 12 de outubro 1940 Bispo da Cúria Romana.
Adilson Pedro Busin 30 de Abril de 2016 Bispo da Arquidiocese de Porto Alegre

Paróquias Scalabrinianas no Brasil[editar | editar código-fonte]

Paróquia / Comunidade Pároco Diocese Cidade Estado
Santuário Senhor Bom Jesus dos Aflitos Pe. Emídio Girotto, CS Diocese de Campanha Carmo do Rio Claro Minas Gerais
Divino Espírito Santo Pe. Olmes Milani, CS Arquidiocese de Cuiabá Cuiabá Mato Grosso
São José Pe. Claudio Ambrozio, CS Arquidiocese de Curitiba Curitiba Paraná
São Mateus Pe. Avelino Bertuzzi, CS Diocese de Jaboticabal Guariba São Paulo
Sagrado Coração de Jesus Pe. Carlos Cigolini, CS Diocese de Jundiaí Jundiaí São Paulo
São Geraldo Pe. Valdecir Molinari Mayer, CS Arquidiocese de Manaus Manaus Amazonas
São José Pe. Nivaldo Feliciano Silva, CS Diocese de Santo André Ribeirão Pires São Paulo
Santa Cecília e São Pio X Pe. Cesare Ciceri, CS Arquidiocese S. Sebastião do Rio de Janeiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro
Santo André Pe. Danilo José Ravanello, CS Diocese de Santo André Santo André São Paulo
Santa Edwiges (Apostolado do Mar) Pe. Samuel Fonseca Torres,CS Diocese de Santos Santos São Paulo
Nossa Senhora da Boa Viagem e São Bernardo Pe. Giuseppe Bortolato, CS Diocese de Santo André São Bernardo do Campo São Paulo
São João Batista Pe. Alceu Bernardi, CS Arquidiocese de São Paulo São Paulo São Paulo
Santo Antônio Pe. Sextílio Bortolo Focchesatto, CS Arquidiocese de São Paulo São Paulo São Paulo
Nossa Senhora da Paz Pe. Antenor João Dalla Vecchia, CS Arquidiocese de São Paulo São Paulo São Paulo
Nossa Senhora de Lourdes Pe. Antônio García Peres Neto, CS Diocese de Piracicaba Rafard São Paulo
Bom Jesus dos Migrantes Arquidiocese de Brasília Sobradinho Distrito Federal
São Pedro Pe. Armelindo Costa, CS Arquidiocese de Curitiba Umbará Paraná
Nossa Senhora das Graças Pe. Jean Jacky Genesté, CS Diocese de Santos Vicente de Carvalho, Guarujá São Paulo
São João Batista Pe. Alcides Angonese, CS Diocese de Joaçaba Campos Novos Santa Catarina
São Cristóvão Pe. Antônio Geraldo Balla Costa, CS Arquidiocese de Cascavel Cascavel Paraná
Nossa Senhora de Fátima Pe. Agostinho Betú, CS Diocese de Corumbá Corumbá Mato Grosso do Sul
São Pedro Pe. Jacob Tonus, CS Diocese de Santa Cruz do Sul Encantado Rio Grande do Sul
Santa Terezinha do Menino Jesus Pe. Dirceu Bortolotti Danetti, CS Arquidiocese de Florianópolis Florianópolis Santa Catarina
Bom Jesus dos Migrantes Pe. Albino Matei, CS Diocese de Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu Paraná
Santo Antônio Pe. Pedro Luiz Nierotka, CS Arquidiocese de Passo Fundo Guaporé Rio Grande do Sul
Sagrado Coração de Jesus Pe. Mario Gazzoli, CS Diocese de Caxias do Sul Nova Bassano Rio Grande do Sul
Divino Espírito Santo Pe. Valmir Baldo, CS Diocese de Dourados Ponta Porã Mato Grosso do Sul
Nossa Senhora de Pompéia Pe. Lauro Bocchi, CS Arquidiocese de Porto Alegre Porto Alegre Rio Grande do Sul
São José Pe. Antonio Bortolamai, CS Arquidiocese de Porto Alegre Porto Alegre Rio Grande do Sul
São Judas Tadeu Pe. Heitor Di Domenico, CS Diocese de Rio Grande Rio Grande Rio Grande do Sul
Nossa Senhora do Rosário Pe. Francesco Lollato, CS Arquidiocese de Passo Fundo Rondinha Rio Grande do Sul
São Miguel Pe. Joel Ferrari, CS Diocese de Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu Paraná
Nossa Senhora de Lourdes Pe. João Granzotto, CS Arquidiocese de Passo Fundo Sarandi Rio Grande do Sul
Nossa Senhora do Rosário Pe. Ivo Antônio Pretto, CS Arquidiocese de Passo Fundo Serafina Correa Rio Grande do Sul

Ligações externas[editar | editar código-fonte]