Scots de Ulster

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2016). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Scots de Ulster
Falado em: Irlanda do Norte(30.000) e  Irlanda(10.000)
Total de falantes: 40.000
Família: Indo-europeia
 Germânica
  Germânica do Oeste
   Anglo-Frisão
    Ânglica
     Escocesa
      Scots de Ulster
Escrita: Alfabeto latino
Estatuto oficial
Língua oficial de:  Irlanda
Regulado por: Sem regulador. A Ulster-Scots Agency promove o seu uso.
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: sco
ISO 639-3: sco

O scots de Ulster, também conhecido como Ullans, hiberno-scots ou scots-irlandês, refere-se à diversidade do scots (por vezes referido como "escocês das Terras Baixas", em contraste com a língua gaélica das Highlands), é falado em partes da província do Ulster, que abrange os seis condados da Irlanda do Norte e três da República da Irlanda.

Os falantes nativos são tradicionalmente chamados, simplesmente, de Scots, Braid (ou Broad) ou Scotch - tal como fez o irlandês James Orr em The Irish Cottier's Death and Burial: "To quat braid Scotch, a task that foils their art; For while they join his converse, vain though shy, They monie a lang learn'd word misca' an' misapply".

Ullans é um neologismo portmanteau da fusão de Ulster e Lallans - o escocês para Lowlands - cunhado pelo médico, político e historiador amador Dr. Ian Adamson. A revista da Ulster-Scots Language Society também é chamada Ullans, ostensivamente a partir de "Ulster-Scots language in literature and native speech", mas em última análise a partir da outra contracção. O linguista alemão Manfred Görlach faz a distinção entre a expressão "escocês de Ulster" (a histórica variedade falada) e "Ullans" (a variedade literária reavivada).

Hiberno-scots, ao contrário do "scots de Ulster", refere-se apenas a uma tradição linguística; é também espelhada da definição ´linguística "Hiberno-inglês". O romancista William Carleton refere no prefácio da primeira edição do seu livro Traits and Stories of the Irish Peasantry (vol. 1, 1.ª série, Dublin, 1830) a "Scoto-Hibernic jargon". O linguista James Milroy utilizou o termo "Hiberno-escocês" já na década de 1980.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.