Scott Joplin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Scott Joplin
Scott Joplin.
Informação geral
Nome completo Scott Joplin
Nascimento 24 de novembro de 1868
Origem Texarkana, Texas
 Estados Unidos
Data de morte 01 de abril de 1917 (48 anos)
Gênero(s) Ragtime, marcha, valsa e canção
Ocupação(ões) Compositor e pianista
Instrumento(s) Piano, Banjo, Violão
Período em atividade 1895-1917
Signature of Scott Joplin.svg

Scott Joplin (Texarkana, 24 de novembro de 1868; † Nova Iorque, 1 de abril de 1917) foi um compositor e pianista americano. Além de ser considerado o ''pai do jazz'', Scott é também uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do ragtime clássico,[1] com a possibilidade de admitir composições extensas, como óperas e sinfonias.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido na primeira geração pós-escravidão, filho de pais pobres que chegaram a ser mendigos, Joplin foi abençoado com uma incrível capacidade de improvisar ao piano. Por volta dos 20 anos, tornou-se pianista, viajando pelo centro-oeste americano. Em 1895 publicou sua primeira composição: "Please Say You Will".

Durante sua breve carreira, escreveu 44 peças. Uma de suas primeiras obras, foi “Maple Leaf Rag”, que se tornou um sucesso e foi a mais influente peça de sua obra.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após contrair sífilis, Joplin ficou emocionalmente abalado e mentalmente afetado pela doença. Assim, passou seus últimos anos, especialmente a partir de 1915, em lenta deterioração física, sofrendo de um início de demência. O músico finalmente sucumbiu à doença em 1º de abril de 1917, aos 48 anos, seis semanas após ter sido internado no Bellevue Hospital, em Manhattan.[2]

Legado[editar | editar código-fonte]

Joplin foi considerado o "Rei do Ragtime". O ragtime foi, juntamente com o blues, uma das principais influências na fase inicial do desenvolvimento do jazz.

Foi capaz de ampliar os seus talentos com a música que ouvia ao seu redor, misturando a música clássica tradicional com músicas gospel afro-americanas, músicas de plantação (cantos de trabalho dos negros das plantações de algodão, sendo consideradas a origem do blues), ritmos sincopados, blues e coros. Inventou, assim, uma nova maneira de compor.

A partitura de sua primeira ópera A Guest of Honor foi confiscada em 1903, para pagamento de dívidas, juntamente com todos os pertences do compositor, e acabou por se perder.[3]Sua segunda ópera Treemonisha é a mais antiga ópera conhecida, composta por um afro-americano.

“Maple Leaf Rag” tornou-se a primeira peça instrumental a vender mais de um milhão de cópias de partituras Embora a música de Joplin fosse muito popular, ele recebeu royalties modestos durante toda a sua vida e não era considerado um compositor sério. Foi reconhecido apenas postumamente, em 1972, quando seu trabalho foi republicado e aclamado, tanto pelo público como pela comunidade acadêmica. Em 1973, sua música foi caracterizada como um retrato do movimento "ragtime". Em 1976, Treemonisha ganhou o Prémio Pulitzer de Música.

Prêmios e homenagens[editar | editar código-fonte]

  • 1977: A Motown Productions produz o filme Scott Joplin, que conta a história do músico.[6]

Obra[editar | editar código-fonte]

"Maple Leaf Rag"
"The Entertainer"

Em ordem alfabética (entre parênteses, o ano de copyright):

  • Antoinette (1906)
  • Augustan Club Waltz (1901)
  • Bethena (1905)
  • Binks' Waltz (1905)
  • A Breeze From Alabama (1902)
  • The Cascades (1904)
  • The Chrysanthemum (1904)
  • Cleopha (1902)
  • Combination March (1896)
  • Country Club (1909)
  • Great Crush Collision March (1896)
  • The Easy Winners (1901)
  • Elite Syncopations (1902)
  • The Entertainer (1902)
  • Eugenia (1906)
  • Euphonic Sounds (1909)
  • The Favorite (1904)
  • Felicity Rag (1911) (co-autor: Scott Hayden)
  • Fig Leaf Rag (1908)
  • Gladiolus Rag (1907)
  • Harmony Club Waltz (1896)
  • Heliotrope Bouquet (1907) (co-autor: Louis Chauvin)
  • I Am Thinking of My Pickanniny Days (1902) (letra: Henry Jackson)
  • Kismet Rag (1913) (co-autor: Scott Hayden)
  • Leola (1905)
  • Lily Queen (1907) (co-autor: Arthur Marshall)
  • Little Black Baby (1903) (letra: Louis Armstrong Bristol)
  • Magnetic Rag (1914)
  • Maple Leaf Rag (1899)
  • March Majestic (1902)(nr)
  • The Nonpareil (1907) (nr)
  • Original Rags (1899) (arreglos: Chas. N. Daniels)
  • Palm Leaf Rag (1903)
  • Paragon Rag (1909)
  • Peacherine Rag (1901)
  • A Picture of Her Face (1895)
  • Pine Apple Rag (1908)
  • Pleasant Moments (1909)
  • Please Say You Will (1895)
  • The Ragtime Dance (1902)
  • The Ragtime Dance (1906)
  • Reflection Rag (1917)
  • The Rose-bud March (1905 nr)
  • Rose Leaf Rag (1907)
  • Sarah Dear (1905) (letra: Henry Jackson)
  • School of Ragtime (1908)
  • Scott Joplin's New Rag (1912)
  • Searchlight Rag (1907)
  • Silver Swan Rag (1971 ver)
  • Solace (1909)
  • Something Doing (1903) (co-autor: Scott Hayden)
  • Stoptime Rag (1910)
  • The Strenuous Life (1902)
  • Sugar Cane (1908)
  • Sunflower Slow Drag (1901) (co-autor: Scott Hayden)
  • Swipsey (1900) (co: Arthur Marshall)
  • The Sycamore (1904)
  • Treemonisha (1911 opera)
  • Wall Street Rag (1909)
  • Weeping Willow (1903)
  • When Your Hair Is Like the Snow (1907) (letra: Owen Spendthrift)

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.