Scott Joplin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Scott Joplin
Scott Joplin.
Informação geral
Nome completo Scott Joplin
Nascimento 24 de novembro de 1868
Origem Texarkana, Texas
 Estados Unidos
Data de morte 1 de abril de 1917 (48 anos)
Gênero(s) Ragtime, marcha, valsa e canção
Ocupação(ões) Compositor e pianista
Instrumento(s) Piano, Banjo, Violão
Período em atividade 1895-1917
Signature of Scott Joplin.svg

Scott Joplin (Texarkana, 24 de novembro de 1868Nova Iorque, 1 de abril de 1917) foi um compositor e pianista americano, uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do ragtime clássico,[1] com a possibilidade de admitir composições extensas, como óperas e sinfonias.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido na primeira geração pós-escravidão, filho de pais pobres que chegaram a ser mendigos, Joplin foi abençoado com uma incrível capacidade de improvisar ao piano. Por volta dos vinte anos de idade, tornou-se pianista, viajando pelo centro-oeste americano. Em 1895 publicou sua primeira composição: "Please Say You Will".

Durante sua breve carreira, escreveu 44 peças. Uma de suas primeiras obras, foi “Maple Leaf Rag”, que se tornou um sucesso e foi a mais influente peça de sua obra.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após contrair sífilis, Joplin ficou emocionalmente abalado e mentalmente afetado pela doença. Assim, passou seus últimos anos, especialmente a partir de 1915, em lenta deterioração física, sofrendo de um início de demência. O músico finalmente sucumbiu à doença em 1º de abril de 1917, aos 48 anos, seis semanas após ter sido internado no Bellevue Hospital, em Manhattan.[2]

Legado[editar | editar código-fonte]

Joplin foi considerado o "Rei do Ragtime". O ragtime foi, juntamente com o blues, uma das principais influências na fase inicial do desenvolvimento do jazz.

Foi capaz de ampliar os seus talentos com a música que ouvia ao seu redor, misturando a música clássica tradicional com músicas gospel afro-americanas, músicas de plantação (cantos de trabalho dos negros das plantações de algodão, sendo consideradas a origem do blues), ritmos sincopados, blues e coros. Inventou, assim, uma nova maneira de compor.

A partitura de sua primeira ópera A Guest of Honor foi confiscada em 1903, para pagamento de dívidas, juntamente com todos os pertences do compositor, e acabou por se perder.[3]Sua segunda ópera Treemonisha é a mais antiga ópera conhecida, composta por um afro-americano.

“Maple Leaf Rag” tornou-se a primeira peça instrumental a vender mais de um milhão de cópias de partituras Embora a música de Joplin fosse muito popular, ele recebeu royalties modestos durante toda a sua vida e não era considerado um compositor sério. Foi reconhecido apenas postumamente, em 1972, quando seu trabalho foi republicado e aclamado, tanto pelo público como pela comunidade acadêmica. Em 1973, sua música foi caracterizada como um retrato do movimento "ragtime". Em 1976, Treemonisha ganhou o Prémio Pulitzer de Música.

Prêmios e homenagens[editar | editar código-fonte]

  • 1977: A Motown Productions produz o filme Scott Joplin, que conta a história do músico.[6]

Obra[editar | editar código-fonte]

"Maple Leaf Rag"
"The Entertainer"

Em ordem alfabética (entre parênteses, o ano de copyright):

  • Antoinette (1906)
  • Augustan Club Waltz (1901)
  • Bethena (1905)
  • Binks' Waltz (1905)
  • A Breeze From Alabama (1902)
  • The Cascades (1904)
  • The Chrysanthemum (1904)
  • Cleopha (1902)
  • Combination March (1896)
  • Country Club (1909)
  • Great Crush Collision March (1896)
  • The Easy Winners (1901)
  • Elite Syncopations (1902)
  • The Entertainer (1902)
  • Eugenia (1906)
  • Euphonic Sounds (1909)
  • The Favorite (1904)
  • Felicity Rag (1911) (co-autor: Scott Hayden)
  • Fig Leaf Rag (1908)
  • Gladiolus Rag (1907)
  • Harmony Club Waltz (1896)
  • Heliotrope Bouquet (1907) (co-autor: Louis Chauvin)
  • I Am Thinking of My Pickanniny Days (1902) (letra: Henry Jackson)
  • Kismet Rag (1913) (co-autor: Scott Hayden)
  • Leola (1905)
  • Lily Queen (1907) (co-autor: Arthur Marshall)
  • Little Black Baby (1903) (letra: Louis Armstrong Bristol)
  • Magnetic Rag (1914)
  • Maple Leaf Rag (1899)
  • March Majestic (1902)(nr)
  • The Nonpareil (1907) (nr)
  • Original Rags (1899) (arreglos: Chas. N. Daniels)
  • Palm Leaf Rag (1903)
  • Paragon Rag (1909)
  • Peacherine Rag (1901)
  • A Picture of Her Face (1895)
  • Pine Apple Rag (1908)
  • Pleasant Moments (1909)
  • Please Say You Will (1895)
  • The Ragtime Dance (1902)
  • The Ragtime Dance (1906)
  • Reflection Rag (1917)
  • The Rose-bud March (1905 nr)
  • Rose Leaf Rag (1907)
  • Sarah Dear (1905) (letra: Henry Jackson)
  • School of Ragtime (1908)
  • Scott Joplin's New Rag (1912)
  • Searchlight Rag (1907)
  • Silver Swan Rag (1971 ver)
  • Solace (1909)
  • Something Doing (1903) (co-autor: Scott Hayden)
  • Stoptime Rag (1910)
  • The Strenuous Life (1902)
  • Sugar Cane (1908)
  • Sunflower Slow Drag (1901) (co-autor: Scott Hayden)
  • Swipsey (1900) (co: Arthur Marshall)
  • The Sycamore (1904)
  • Treemonisha (1911 opera)
  • Wall Street Rag (1909)
  • Weeping Willow (1903)
  • When Your Hair Is Like the Snow (1907) (letra: Owen Spendthrift)

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]