Sebastião Caboto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sebastião Caboto

Sebastião Caboto (Veneza, 1476Londres, 1557) foi um navegador do século XVI que explorou a costa da América do Norte ao margeá-la, da Flórida à foz do rio São Lourenço, no atual Canadá. Por causa disso e em sua homenagem, a estratégia de navegação costeando o litoral recebeu o nome de cabotagem.

Em 1497, acompanhou provavelmente o pai, João Caboto, na primeira expedição inglesa à América do Norte, que resultou no descobrimento do Labrador, da Groenlândia e da Nova Inglaterra. Só se volta a ter notícias dele em 1512, como cartógrafo do Rei Henrique VIII, acompanhando as tropas que ajudaram Fernando II de Aragão na guerra contra os franceses.

Após o cancelamento da viagem que comandaria como capitão da Marinha espanhola em 1516, foi contratado por Carlos V, Imperador do Sacro Império Romano-Germânico, que o nomeou piloto-mor em 1518, função que exerceu por cerca de três décadas, examinando e instruindo novos pilotos, organizando expedições e elaborando mapas que incorporavam o resultado dos descobrimentos.

No comando de uma expedição espanhola de três navios destinada ao Oriente, Caboto a desviou, em 1525, para explorar o Rio da Prata e seus tributários, o Paraguai e o Uruguai, seduzido por notícias de riquezas fabulosas. De volta à Europa, foi preso e desterrado para a África, mas foi depois reabilitado pelo Rei da Espanha. No fim da vida, a serviço da coroa inglesa, organizou uma expedição para buscar um caminho mais curto para o Oriente, pelo norte da Europa.

Expedição ao Rio da Prata[editar | editar código-fonte]

Em 5 de abril de 1526, partiu do Porto de Cádiz (Espanha) uma expedição liderada por Caboto que tinha como objetivo que deveria passar pelo Estreito de Magalhães para chegar até às Ilhas Molucas. Estretanto, quando estavam nas costas brasileiras, escutaram relatos de que era possível chegar a fabulosas riquezas navegando pelo Rio da Prata e decidiram explorar o interior daquele curso d'água em desacordo com as ordens de Carlos V.

Quando ingressaram no estuário, encontraram Francisco del Puerto, espanhol que sobreviveu ao ataque de nativos contra a expedição de Juan Díaz de Solís, que passou informações que tinha sobre como chegar às riquezas procuradas. Navegaram pelo Rio Paraná até chegar à confluência com o Rio Carcarañá, onde Caboto fundou Sancti Spíritus, no dia 11 de maio de 1527, primeiro povoado espanhol na Bacia do Prata. Nesse lugar, permaneceram vários meses, construindo uma embarcação menor (um bergantim), mais adequada à exploração de um curso d'água menos caudaloso.

No final de dezembro de 1527, deixaram uma guarnição de 30 homens no forte e prosseguiram com a expedição rio acima. Entretanto, as provisões se esgotaram e começaram a enfrentar hostilidades dos nativos, circunstância que lhes forçou a retornar sem chegar ao objetivo.

No retorno, se encontrou com a expedição liderada por Diego García de Moguer, o que o levou a fazer uma nova expedição pelo interior do continente, dessa vez subindo o curso do Rio Paraguai. Novamente, não tiveram êxito.

Os nativos se rebelaram e destruíram o forte em Sancti Spiritus e Caboto retornou à Espanha[1].

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Referências

  1. Expedición de Sebastián Caboto en 1526, em espanhol, acesso em 19 de setembro de 2017.