Sebastião Soares de Faria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sebastião Soares de Faria
Nascimento 29 de agosto de 1883
Lavrinhas
Morte 9 de outubro de 1952 (69 anos)
São Paulo
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Advogado

Sebastião Soares de Faria (Lavrinhas, 29 de agosto de 1883São Paulo, 9 de outubro de 1952) foi um advogado, doutor em direito e professor e diretor da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco.

Nascido em Pinheiros, hoje conhecida como Lavrinhas, começou a trabalhar, como repórter, no jornal A Noite. Em 1900 foi para o Cidade de Santos e dirigiu ainda a Revista de Direito Processual Civil.[1]

A partir de 1902, lecionou quase todas as disciplinas do Ginásio Nogueira da Gama, em Jacareí, e ingressou na Faculdade Livre de Direito do Rio de Janeiro (uma das escolas que originou a Faculdade Nacional de Direito),[2] onde começou o curso de Direito, transferindo-se em 1909 para São Paulo, onde concluiu, em 1911, o curso na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. A partir daí, deixou de lecionar, dedicando-se exclusivamente à profissão de advogado.[1] Um de seus artigos, publicado em 1926 (Da Exclusão de Sócios nas Sociedades de Responsabilidade Ilimitada), mudou a maneira como se abordava a exclusão de sócios em sociedades.[3]

Em 1933, passou em um concurso para lecionar na instituição onde se formou, na cadeira de Direito Comercial, de que se tornou livre docente quando habilitado. Em 1935, graduou-se como doutor, lente catedrático de Direito Comercial Internacional da Faculdade de Ciências Econômicas de São Paulo.[4]

Na Faculdade de Direito de São Paulo, é considerado um dos mais prestigiados professores.[5] Foi ainda diretor da Fadusp entre 1939 e 1940[6] e reitor interino da Universidade de São Paulo.[7]

Foi membro do Instituto dos Advogados do Brasil e do conselho da Ordem dos Advogados de São Paulo. É o patrono da cadeira número 47 da Academia Paulista de Direito.[8]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Investigação de paternidade illegitima: estudo theorico e pratico do artigo 365 do código civil brasileiro, São Paulo, Mayença, 1919
  • Da concordata terminativa da fallencia, São Paulo, Saraiva, 1928
  • Da concordata preventiva da fallencia, São Paulo, Saraiva, 1932
  • Do abuso da razão social, São Paulo, Saraiva, 1933
  • Principais theorias relativas ao onus probandi, São Paulo, Revista dos Tribunais, 1936
  • Da prescrição da sentença e sua execução, Revista da Faculdade de Direito de São Paulo, São Paulo, v. 36,1941

Notas