Sebastian Bieniek

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sebastian Bieniek (nascido em Czarnowąsy, Alta Silésia / Polônia, em 24 de abril de 1975) é artista conceitual, pintor, fotógrafo, performer, escritor e diretor de cinema alemão. Segundo o theculturetrip.com ele está na lista dos "5 Artistas Contemporâneos Mais Influentes de Berlim"[1].

Juventude e Educação[editar | editar código-fonte]

Sebastian Bieniek, em 2007, durante uma conferência de imprensa no décimo Festival Internacional de Cinema de Xangai.

Bieniek cresceu na aldei Kup, na Alta Silésia, até os 14 anos. Em 1989, ele deixou a Polônia como um repatriado[2] (do alemão: Spätaussiedler, que significa: "Pessoas com origens alemãs que vieram nos anos 80 e 90 da Polônia e da Rússia para a Alemanha"[3]).

Em 1996, ele começou a estudar arte na HBK Braunschweig com a artista sérvia Marina Abramović e o artista suíço John Armleder. Em 1998, ele se mudou para a UdK Berlim e continuou a estudar arte com a fotógrafa alemã Katharina Sieverding, onde fez seu primeiro curta-metragem: "Zero"[4].

Em 2001, ele foi contemplado com uma residência na DFJW em Rennes, na França, onde passou um semestre e participou de uma exposição coletiva chamada "Aux Voyageurs"[5], com curadoria de Bettina Klein. No mesmo ano, ele se formou na UdK Berlim.

Em 2002, ele começou a estudar direção cinematográfica na DFFB Berlim, onde fez vários filmes[6][7]. Seu filme “The Gamblers”, longa metragem feito em 2007[8], fez parte da competição oficial do décimo Festival Internacional de Cinema de Xangai[9]. Seu filme “Silvester Home Run”, feito em 2008[10][11] fez parte da competição internacional de curtas-metragens do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata[12] e também exibido no Festival Internacional de Cinema de Montreal.

Obra[editar | editar código-fonte]

Sebastian Bieniek em 1999, deitado por três dias em 500 kg. de carne crua durante sua exposição "Natural Born Sugar Eaters" em Kunsthaus Tacheles.

Os primeiros trabalhos de Bieniek foram performances radicais, como "Hand Without a Body[13] (1999), onde ele fez diariamente, por 16 dias, um corte em seu próprio braço, ou "Born to Be Boulette"[14] (1999), quando ele ficou por três dias deitado em 500 kg. de carne crua, ou "Robbery"[15] (1998), quando ele assaltou um banco (Deutsche Bank) como performance artística. Mais tarde seu trabalho se tornou mais e mais minimalista e conceitual como o “Textworks”[16] (em alemão: Textarbeiten), de 2001.

Em 2009 (após uma pausa de sete anos), ele recomeçou com "Homeland Security"[17], uma série de pinturas conceituais realistas e outros periódicos onde combinou uma pintura com um texto.

Em 2013, continuou com a fotografia. Sua série de fotografias "Doublefaced”, de 2013[18], tornou-se um dos memes mais conhecidos da internet[19]. Foi publicado por muitas[20] revistas e amplamente em mídias sociais. Posteriormente, Bieniek criou sua própria obra em torno deste faces pintadas[21], onde ele continuou a combinar diferentes meios, como por exemplo pintura e desenho e fotografia e desenho[22].

Simultaneamente, Bieniek continuou a trabalhar em seus “Textworks” minimalistas[23] e performances. O trabalho "Perfect-Circles"[24] e "Multiplications"[25] são cerca de 70 pinturas com texto feitas entre 2013 e 2016. Também em 2008 ele fez performances no Art Forum[26] em Berlim, na Geórgia em 2011[27], ena Deutsche Bank Kunsthalle[28] 3m 2013 e na abertura da University Church of Marburgo[29], em 2016.

Colaborações[editar | editar código-fonte]

Em 2013 Bieniek colaborou com a revista INTRO de música alemã em um ensaio de fotografias[30]. Em 2015 ele fez uma série fotográfica para a Revista Süddeutsche Zeitung[31]. Também em 2015, ele colaborou com o designer de moda francês Simon Porte Jacquemus na Semana de Moda de Paris[32]. Em 2016, ele colaborou com o "Institute for church building and contemporary art" na Universidade de Marburgo sendo parte da série de performances Liturgy Specific[29]. Em 2016, ele também colaborou com o diretor e curador-chefe do Museu MONA (Austrália), Olivier Varenne, com seu projeto de exposição on-line que pode ser visto em collectionair.com[33].

Exposições[editar | editar código-fonte]

Em 1999, Sebastian Bieniek fez sua primeira exposição individual denominada "Natural Born Sugareaters"[34] no Kunsthaus Tacheles (Berlin). Em 2000, ele participou do Festival of Vision"[34], exposição no Centro de Artes de Hong Kong. Em 2002, da exposição HICETNUNC[34] na Villa Manin (Itália). Em 2014, teve uma exposição individual na galeria Nicola von Senger[35] (Zurique) e na Ho Gallery[34], em Viena. Em 2016, fez uma exposição individual na Galeria de Arte Contemporânea Potemka (Leipzig) chamada "The Imitation of the Imitation"[36], outra na Fotogalerie Friedrichshain chamada "The Melancholy of the Elephants"[37] e outra chamada “Views[38] numa mostra coletiva na Bahrain Arts Society em Manama (Bahrein).

Influência[editar | editar código-fonte]

Em 2013, as obras de Sebastian Bieniek entraram para a lista "Top 10 Body Art Stories of 2013"[39] pela revista designboom. No mesmo ano, a revista designcollector.net selecionou-o como um dos “Melhores Fotógrafos de 2013"[40].

Em 2014, várias revistas internacionais [41][42][43] escreveram que uma cena no vídeo Marylin Monroe de Pharrell Williams foi inspirado pela obra de Sebastian Bieniek.

Em 2015, o site theculturetrip.com escolheu Sebastian Bieniek como um dos “5 Artistas Contemporâneos Mais Influentes de Berlim"[1]. Durante a Paris Fashion Week de 2015, a revista FASHION mencionou o trabalho de Sebastian Bieniek como "Best Art Face" na Paris Fashion semana de 2015[44].

Em 2015-2016 a Vogue escreveu sobre dois designers de moda internacional que disseram que seu trabalho foi inspirado em Sebastian Bieniek (Simon Porte Jaquemus[45] e Inês Marques[46]). Além disso, a designer de moda caribenha Cecilia Devana[47] disse que sua coleção é inspirada pelo artista.

Em 2011, Bieniek fez uma performance no ARD programa de televisão "ES GEHT UM MEIN LEBEN"[48]. Em 2015, a Japanese and Hong Kong TV[49] fez uma documentação e uma entrevista com Sebastian. Em 2016, ele foi entrevistado e documentado[50] pelo canal franco-alemão arte.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notes[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Top 5 Influential Contemporary Berlin-Based Artists». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  2. «Sebastian Bieniek - Detailed vita». www.b1en1ek.com (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  3. «Bundesverwaltungsamt - Aussiedler (Spätaussiedler)». www.bva.bund.de. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  4. «"Zero" ein Kurzfilm von Sebastian Bieniek, 2002.». www.b1en1ek.de (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  5. «2001: Mandat von Babette Nieder und Michel Cullin (01.01.1999 - 31.12.2003)». www.dfjw.org. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  6. «Sebastian Bieniek». IMDb. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  7. «Sebastian Bieniek - Film». www.b1en1ek.de (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  8. «"Th Gamblers" a film by Sebastian Bieniek - official Website». www.b1en1ek.com (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  9. «《武士的一分》@ 第10届上海国际电影节(07/6/16 - 6/24)_蓬蓬秀_新浪博客». blog.sina.com.cn. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  10. «Silvester Home Run | filmportal.de». www.filmportal.de. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  11. «"Silvester Home Run", ein Kurziflm von Sebastian Bieniek». www.b1en1ek.de (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  12. «German Films: THE STRANGER IN ME (DAS FREMDE IN MIR) in competition of the Mar del Plata Film Festival 2008». www.german-films.de. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  13. «1999 Hand Without - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  14. «1999 Born To Be - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  15. «1998 Banküberfall - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  16. «2001 Drei Textarb. - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  17. «2012 Homeland - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  18. «Home - Doublefaced a serial of photographs by Sebastian Bieniek ( double faced )». www.doublefaced.eu. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  19. «Press - Doublefaced a serial of photographs by Sebastian Bieniek ( double faced )». www.doublefaced.eu. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  20. «A two-faced life». theartfoundation.metamatic.gr. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  21. «Sebastian Bieniek artist - Painted Faces». www.bieniek.at. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  22. «Sebastian Bieniek artist - Facination». www.bieniek.at. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  23. «Sebastian Bieniek artist - official website - Textwork». www.bieniek.at. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  24. «Sebastian Bieniek artist - Perfect Circles 2014-2015». www.bieniek.at. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  25. «Sebastian Bieniek - 2015 Multiplications». www.b1en1ek.com (em alemão). Consultado em 16 de março de 2017 
  26. «2009 Burqa - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  27. «2011 Viehmarkt - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  28. «2013 Mein Freund - Sebastian Bieniek / Early Works / Until 2013». www.sebastianbieniek.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  29. a b «Sebastian Bieniek. Liturgy-Specific-Art. Universitätskirche | Universitätskirche Marburg». universitaetskirche.de. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  30. «Modestrecke: Ich bin die eine von uns beiden». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  31. «Der Künstler Sebastian Bieniek schafft mit Haaren und Make-up ganz neue Persönlichkeiten.». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  32. «Models get Picasso face and monobrows at Paris». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  33. «Collectionair». collectionair.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  34. a b c d «Sebastian Bieniek». ArtFacts.net. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  35. «Sebastian Bieniek - Ausstellungsansichten». www.nicolavonsenger.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  36. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  37. «Fotogalerie Friedrichshain | Sebastian Bieniek »The Melancholy of Elephants«» (em inglês). 21 de março de 2016. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  38. «SEBASTIAN BIENIEK – Views Bahrain». www.viewsbahrain.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  39. «TOP 10 body art of 2013» (em inglês). 31 de dezembro de 2013. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  40. «The Best Photographers and Fashion Photographers of 2013». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  41. «Sebastian Bieniek Archive | Private View». Private View (em alemão). Consultado em 19 de agosto de 2016 
  42. «SEBASTIAN BIENIECK « DOUBLEFACED », PLAGIE PAR PHARRELL WILLIAMS». INFERNO. 29 de abril de 2014. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  43. «Pharrell Williams». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  44. «Paris Fashion Week saw face art in many forms, from wearable updates to out-of-this-world designs | Backstage Beauty | FASHION Magazine |». FASHION Magazine. 6 de março de 2015. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  45. «Jacquemus Fall 2015 RTW» (em inglês). Consultado em 19 de agosto de 2016 
  46. «Bloom: Inês Marques». Consultado em 19 de agosto de 2016 
  47. «Fashion Block 2016 - The Buzz, The Lights, The Fashion». Susumba. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  48. «Sebastian Bieniek artist - 2011 ARD "Es geht um mein Leben", Pierre Krause». www.bieniek.at. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  49. «TV - Colt-Face - serial of photographs by Sebastian Bieniek ( Coltface / Colt Face )». www.coltface.com. Consultado em 19 de agosto de 2016 
  50. «Die zwei Gesichter des Sebastian Bieniek». ARTE Info. Consultado em 19 de agosto de 2016 
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sebastian Bieniek