Sebastian Haffner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sebastian Haffner
Nome completo Raimund Pretzel
Pseudónimo(s) Sebastian Haffner
Nascimento 27 de dezembro de 1907
Berlim, Alemanha
Morte 2 de janeiro de 1999 (91 anos)
Nacionalidade alemão
Ocupação historiador, escritor e jornalista
Principais interesses História, jornalismo, história alemã recente

Sebastian Haffner, pseudónimo de Raimund Pretzel (Berlim, Alemanha, 27 de Dezembro de 1907 – Berlim, 2 de Janeiro de 1999), foi um jornalista e historiador alemão, tendo escrito, sobretudo, sobre história alemã recente.

Notas Biográficas[editar | editar código-fonte]

Período inicial na Alemanha[editar | editar código-fonte]

Sebastian Haffner nasceu e viveu na Alemanha até 1938. Estudou direito e trabalhou 6 anos sob o regime Nazi.

Imigração[editar | editar código-fonte]

Em 1938 ele emigrou com a sua noiva judia para Londres, onde ele tencionava trabalhar como autor e jornalista. Adoptou o pseudónimo Sebastian Haffner de modo que a sua família, que tinha ficado na Alemanha, não fosse colocada em perigo pela sua escrita. A escolha do seu pseudónimo baseou-se na música clássica: Sebastian é o nome de Johann Sebastian Bach e Haffner o compositor de uma sinfonia de Mozart (a sinfonia Nº35, K.385, a qual foi composta em honra do filho do presidente da câmara de Salzburgo, Sigmund Haffner).

Dr Jekyll & Mr Hyde[editar | editar código-fonte]

Em abril de 1940 Haffner publicaria um livro que se debruçava sobre um tema premente aos olhos dos ingleses. Chamou-se "Alemanha: Jekyll & Hyde", e nele Haffner explica aos ingleses o que se passava na Alemanha Nazi. O título é uma metáfora ao romance "O estranho caso do Dr. Jekyll e o Sr. Hyde"" (ou simplesmente "Dr. Jekyll e Mr. Hyde"), de Robert Louis Stevenson. O livro focava um tema tão importante e actual que lhe foi praticamente arrancado das mãos. O seu editor explica que tomou a decisão de o publicar tão cedo como possível, mesmo sem dar ao autor a possibilidade de fazer correcções no capítulo VII, como ele desejava.

Regresso à Alemanha[editar | editar código-fonte]

Em 1954 regressou à Alemanha. Em 1961 tornou-se colunista do jornal Die Welt. Mais tarde escreveria para a revista Stern.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.