Sebecotepe VII

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mercauré Sebecotepe
Sobecotepe VII
Inscrição em uma estátua sentada de Mercauré Sobecotepe, em granito rosa, descoberta em Carnaque
Inscrição em uma estátua sentada de Mercauré Sobecotepe, em granito rosa, descoberta em Carnaque
Faraó do Egito
Reinado aprox. 2 anos e meio,  XIII dinastia egípcia
Predecessor Sewadjkare Hori
Sucessor desconhecido
Filhos Bebi
Sobecotepe

Merkauré Sebecotepe (Merkawre Sobekhotep) ou Sebecotepe VII foi faraó do Antigo Egito (da XIII dinastia egípcia), durante o Segundo Período Intermediário. Provavelmente reinou sobre o Médio e o Alto Egito, durante a metade do século XVII a.C., de 1664 a.C até 1663 a.C.[1] Alternativamente, o egiptólogo alemão, Thomas Schneider, data o reinado deste breve rei de 1646 a.C. a 1644 a.C.[2]

Confirmações[editar | editar código-fonte]

Sebecotepe é confirmado por um selo-escaravelho de origem desconhecida [3] e por duas estátuas dedicadas a Amom. As estátuas estavam, originalmente, em Carnaque e agora estão no Museu do Cairo e no Louvre, respectivamente.[4] As estátuas apresentam Sebecotepe com dois filhos, Bebi e Sebecotepe, ambos portando os títulos "filho do rei" e de "oficial da corte".[1] Sebecotepe também tem seu nome no Papiro de Turim (segundo Ryholt: linha 8 e coluna 8; segundo Alan Gardiner e Jürgen von Beckerath: linha 7 e coluna 8) e na Lista de Reis de Carnaque. O Papiro de Turim o credita com um reinado de 2 anos, um número perdido de meses e mais 3 ou 4 dias. Consequentemente, Kim Ryholt atribui a ele, 2 anos e meio de reinado.

Posição Cronológica[editar | editar código-fonte]

A exata posição cronológica de Sebecotepe, na XIII dinastia não é certa, devido às incertezas acerca dos reis antecessores da dinastia. De acordo com o Papiro de Turim, Sebecotepe foi o sucessor imediato de Sewadjkare Hori, conhecido como Hori II. Darrell Baker o coloca como trigésimo sétimo rei da dinastia, Kim Ryholt o vê como o trigésimo oitavo rei e Jürgen von Beckerath o coloca como o trigésimo segundo faraó da dinastia[5][6]. Após o reinado de Sebecotepe, a sequência de governantes da XIII dinastia é altamente incerta, devido à larga lacuna que afeta o Papiro de Turim. Entre quatro e sete nomes de reis estão perdidos nessa lacuna[1].


Titulatura[editar | editar código-fonte]

Nome de Sa-Rá
Hieroglifo
G39N5
Z1
<
sbkHtp
t p
>
Transliteração Sbk Htp
Transliteração (ASCII) Sbk Htp
Transcrição Sobek-Hotep
Tradução Suco está satisfeito
Nome de Nesut-biti
Hieroglifo
nswt&bity
<
ra
U7
kA
kA kA
>
Transliteração Mr-k3w-Rˁ
Transliteração (ASCII) Mer-kaw-ré
Transcrição Merkauré
Tradução O amado Ka de
Nome de Setepenré
Hieroglifo
raU21
n
<
ra
U7
kA
kA kA
>
Transliteração Mr-k3w-Rˁ
Transliteração (ASCII) Mer-kaw-ré
Transcrição Merkauré
Tradução O amado Ka de
Lista dos Reis de Carnaque
Hieroglifo
<
ra
U7
kA
Z2
>
Transliteração Mr-k3w-Rˁ
Transliteração (ASCII) Mer-kaw-ré
Transcrição Merkauré
Tradução O amado Ka de

Referências

  1. a b c K.S.B. Ryholt: The Political Situation in Egypt during the Second Intermediate Period, c.1800-1550 BC, Carsten Niebuhr Institute Publications, vol. 20. Copenhagen: Museum Tusculanum Press, 1997
  2. Thomas Schneider: Lexikon der Pharaonen
  3. Darrell D. Baker: The Encyclopedia of the Pharaohs: Volume I - Predynastic to the Twentieth Dynasty 3300 - 1069 BC, Stacey International, ISBN 978-1-905299-37-9, 2008, p. 453
  4. Catalogue No. Egyptian Museum (Cairo) JE 43599; Louvre Museum A. 121[E. 7824].
  5. Darrell D. Baker: The Encyclopedia of the Pharaohs: Volume I - Predynastic to the Twentieth Dynasty 3300 - 1069 BC, Stacey International, ISBN 978-1-905299-37-9, 2008, p. 453
  6. Jürgen von Beckerath: Untersuchungen zur politischen Geschichte der zweiten Zwischenzeit in Ägypten, Glückstadt 1964, S. 61, 254-255 (XIII 32.)