Segunda Batalha de Yeonpyeong

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Segunda Batalha de Yeonpyeong
Conflito na península coreana
Data 29 de junho de 2002
Local Linha de Limite Norte, Mar Amarelo
Desfecho Indecisivo
Combatentes
Coreia do Norte  Coreia do Sul
Forças
2 barcos de patrulha 2 corvetas
4 barcos de patrulha
Baixas
1 barco de patrulha seriamente danificado

13 mortos
25 feridos
1 barco de patrulha afundado

6 mortos
18 feridos

A Segunda Batalha de Yeonpyeong foi um confronto marítimo entre a Coreia do Norte e Coreia do Sul sobre a disputa das fronteiras marítimas próximo à ilha de Yeonpyeong no mar amarelo em 2002. Este confronto ocorreu de forma similar ao confronto em 1999.[1]

Prelúdio[editar | editar código-fonte]

A Linha de Limite Norte (LLN) é considerada pela Coreia do Sul a fronteira marinha entre si mesma e a Coreia do Norte, enquanto a Coreia do Norte discorda e afirma que a fronteira é mais distante ao Sul. Embarcações de pesca Norte Coreanas frequentemente ultrapassam a fronteira e são perseguidos para fora da área por barcos de patrulha Sul Coreanos. Ocasionalmente a patrulha da Coreia do Norte tenta enforçar sua ideia de que a froteira é mais ao sul que a LLN. Em 2002 uma dessas inscursões virou uma batalha naval ao longo da fronteira.

Confronto principal[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de junho de 2002 um barco de patrulha Norte Coreano cruzou a LLN e foi avisado a retornar. Logo depois um segundo barco de patrulha cruzou a fronteira e esse também foi avisado a retornar. As embarcações norte-coreanas começaram a ameaçar navios sul-coreanos que os seguiam.

Após percorrerem três milhas sul da LLN, os navios norte-coreanos atacaram dois barcos de patrulha sul-coreanos que os monitoravam. As 10:25 o navio que cruzou primeiro a fronteira foi o primeiro a abrir fogo com seu armamento 85mm e marcou um golpe direto na casa do leme de uma das embarcações da Coreia do Sul causando várias mortes.

Os dois esquadrões então começaram o confronto geral, com os sul-coreanos usando suas armas 40 e 30mm, e os norte-coreanos usando RPGs, e armas 85mm e 35mm. Cerca de dez minutos depois dois mais barco de patrulha e dois corvettes reforçaram os navios sul-coreanos e seriamente danificaram embarcações norte-coreanas. Agora significativamente excedidos em número e sofrendo muitas perdas, os norte-coreanos recuaram para o lado norte da LLN às 10:59.

Pós-conflito[editar | editar código-fonte]

Ambas as frotas do Coreia do Norte e a Coreia do Sul sofreram perdas no evento. Treze norte-coreanos morreram e vinte e cinco foram feridos. Quatro sul-coreanos foram feridos, incluindo tenente comandante Yoon Young-ha e três suboficiais, Jo Cheon-hyung, Seo Hoo-won e Hwang Do-hyun. Dezenove outros foram feridos, e um deles, Suboficial de Segunda Classe Dong-Hyuk, morreu vinte e dois dias depois. Um soldado, Suboficial Han Sang-guk, desapareceu durante o confronto, e foi encontrado depois, morto. Isso totalizou seis outras mortes. A embarcação danificada sul-coreana depois naufragou quando sendo rebocada, enquanto o navio norte-coreano danificado conseguiu voltar ao seu porto. Ambos os lados culparam uns aos outros e a Coreia do Sul exigiram uma desculpa por parte dos norte-coreanos.

De acordo com a declaração de desertor norte-coreana em 2012, a tripulação do barco de patrulha norte-coreano envolvido na batalha sofreram extensivos ferimentos pelas munições sul-coreanas "'Devastator". Os norte-coreanos feridos foram postos em quarentena em um hospital em Pyongyang para minimizar a extensão das perdas sofridas na batalha.

Referências

  1. Factbox: The battles of the Korean West Sea reuters.com. Visitado em 4 de setembro de 2013.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.