Seita dos Revolucionários

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Seita dos Revolucionários (em grego: Σέχτα των Επαναστατών, Sekhta ton Epanastaton; também citada como Seita de Revolucionários) é um grupo terrorista grego de orientação esquerdista. Tornaram-se conhecidos em fevereiro de 2009 ao divulgar uma ameaça de assassinar policiais do país.[1] Também foram ligados a um ataque feito por homens armados à sede do canal Alter TV, no qual não houve vítimas.[2][3]

Em junho de 2009 seus integrantes assassinaram um policial da força anti-terrorista, logo em seguida aos distúrbios de 2008; após o ataque, o grupo divulgou uma declaração em que diziam: "Jornalistas, desta vez viemos às suas portas, mas na próxima vez vocês nos encontrarão dentro de suas casas."[4]

O grupo foi responsabilizado em julho de 2010 pelo assassinato do jornalista investigativo Sokratis Giolias.[5]

Referências

  1. «New Greek group threatens police». BBC. 5 de fevereiro de 2009. Consultado em 20 de julho de 2010 
  2. «Journalist investigating corruption shot dead at his home». The Independent. AP. 19 de julho de 2010. Consultado em 20 de julho de 2010 
  3. «Greece journalist killed». Yahoo. AP. 19 de julho de 2010. Consultado em 20 de julho de 2010 
  4. «Journalist Sokratis Giolias gunned down in Greece». BBC News. BBC. 19 de julho de 2010. Consultado em 19 de julho de 2010 
  5. Helena Smith (19 de julho de 2010). «Gunmen murder Greek investigative journalist Socratis Giolas». The Guardian. Consultado em 20 de julho de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Grécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.