Seita dos Revolucionários

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Seita dos Revolucionários (em grego: Σέχτα των Επαναστατών, Sekhta ton Epanastaton; também citada como Seita de Revolucionários) é um grupo terrorista grego de orientação esquerdista. Tornaram-se conhecidos em fevereiro de 2009 ao divulgar uma ameaça de assassinar policiais do país.[1] Também foram ligados a um ataque feito por homens armados à sede do canal Alter TV, no qual não houve vítimas.[2][3]

Em junho de 2009 seus integrantes assassinaram um policial da força anti-terrorista, logo em seguida aos distúrbios de 2008; após o ataque, o grupo divulgou uma declaração em que diziam: "Jornalistas, desta vez viemos às suas portas, mas na próxima vez vocês nos encontrarão dentro de suas casas."[4]

O grupo foi responsabilizado em julho de 2010 pelo assassinato do jornalista investigativo Sokratis Giolias.[5]

Referências

  1. «New Greek group threatens police». BBC. 5 de fevereiro de 2009. Consultado em 20-7-2010. 
  2. «Journalist investigating corruption shot dead at his home». The Independent AP [S.l.] 19 de julho de 2010. Consultado em 20-7-2010. 
  3. «Greece journalist killed». Yahoo AP [S.l.] 19 de julho de 2010. Consultado em 20-7-2010. 
  4. «Journalist Sokratis Giolias gunned down in Greece». BBC News BBC [S.l.] 19 de julho de 2010. Consultado em 19-7-2010. 
  5. Helena Smith (19 de julho de 2010). «Gunmen murder Greek investigative journalist Socratis Giolas». The Guardian. Consultado em 20-7-2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre História da Grécia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.