Seleção dos Estados Unidos de Voleibol Feminino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Seleção dos Estados Unidos de Voleibol Feminino

Flag of the United States.svg

Associação Estados Unidos USA Volleyball
Confederação NORCECAContinentNorthAmerica.svg
Patrocinador Autônomo
Material Esportivo Estados Unidos Mizuno
Técnico Estados Unidos Karch Kiraly
Capitã Estados Unidos [[Christa Harmotto (Fenerbahce Grudig Istanbul)]
Código FIVB USA
Ranking da FIVB Estados UnidosEstável
Seleção dos Estados Unidos de Voleibol Feminino
Informações pessoais

A seleção dos Estados Unidos de voleibol feminino é uma equipe nacional norte-americana composta pelas melhores jogadoras de voleibol dos Estados Unidos da América. É regida pela USA Volleyball. Encontra-se na 1ª posição do ranking da FIVB segundo dados de 23 de janeiro de 2013.[1]

Nos Jogos Olímpicos conquistaram quatro medalhas, tres de prata em 1984 e 2008, e 2012, uma medalha de bronze em 1992. Em 2014, conquistou pela primeira vez o título do Campeonato Mundial de Voleibol Feminino, além deste título foram outros dois vice-campeonatos: em 1967 e em 2002. Foram campeãs do Grand Prix por 6 vezes: 1995, 2001, 2010, 2011, 2012 e 2015.

Atualmente, a equipe principal conta com as levantadoras Alisha Glass (Conegliano-ITA), Courtney Thompson (Rexona-AdeS/BRA), Molly Kreklow (Eczaçibasi VitrA Istanbul/TUR) e Carly Lloyd (Pomí Casalmaggiore-ITA); as centrais Christa Harmotto(Fenerbahce Grudig Istanbul-TUR) - capitã da seleção, Foluke Akinradewo(Volero Zurich ADIDAS/SUI), Tetori Dixon(Torray Arrows/JAP), Rachel Adams(Conegliano/ITA), Lauren Gibbemeyer(Pomí Casalmaggiore/ITA) e ainda Paolini; as ponteiras Jordan Quinn Larson-Burbach(Eczaçibasi VitrA Istanbul/TUR), Kimberly Hill(VakifBank Istanbul/TUR), Megan Jackson Easy (Conegliano/ITA), Kelsey Robinson (Conegliano/ITA), Krista Vansant(Volero Zurich ADIDAS/SUI), Kristin Hildebrand (IMPEL Wroclaw/POL) são as principais, e há também Litchaman e Alexandra Klineman(Novara/ITA, Praia Clube/BRA) que não tem tanta expressão na seleção, as opostas Kelly Murphy(JAPAN), Karsta Lowe(Busto Arzizio/ITA), Nicolle Fawcett (Igor Gorgonzola NOVARA/ITA) e a volta da temida Destinee Hooker(KOREA) que estava grávida, e as líberos Kayla Banwarth(USA VOLLEYBALL) e Natalie Hagglund(Volero Zurich ADIDAS/SUI) que na teoria é a segunda libero de sua equipe mas muitas vezes entra como ponteira para "fazer o fundo de quadra"(e quando isso ocorre, a ponteira Ines Granvorka -selecão suiça- fica como segunda líbero).

As titulares em 2014, a seleção titular que conquistou o 1° ligar no mundial, eram a levantadora Glass, a oposta Murphy, as pontas Larson e Kim Hill, a capitã Harmotto e Akinradewo, e a líbero Kayla Banwarth, e na reserva Thompson, Fawcett, Dixon, Davis, Hildebrand e Robinson.

Já em 2015, a equipe teria a competição continental (Jogos Panamericanos de Toronto 2015), o FIVB World Grand Prix, e mais tarde a World Cup Japan 2015 - que deu duas vagas olímpicas para o campeão e o vice (China e Sérvia), o Grand Prix teria sua fase final sediada em Omaha no próprio país. Logo, a equipe teria que se dividir ao meio e chamar novas e antigas companheiras de equipe. Para o FIVB World Grand Prix, o técnico Kirally contou com algumas jogadoras ja conhecidas mundialmente e apostou em caras novas. Foram titulares Kreklow e Lowe (as novatas), as pontas Larson e Robinson, as centrais Gibbemeyer e Harmotto, e a libero Banwarth, na reserva Thompson, Akinradewo, Hill, Easy (Jackson), Glass. No Pan Am 2015, contou com uma equipe menos experiente e muito guerreira, eram elas as titulares: Lloyd, Fawcett, Adams e Jack, Hildebrand e Vansant, e Natalie Hagglund, na reserva Litchman, Hagglund, Paolini... Já na Copa do Mundo (competição sempre sediada no Japão), a equipe pode se unir toda pela primeira vez no ano, a não ser no centro de treinamento da USA VOLLEYBALL na Califórnia, a equipe não conseguiu sua vaga para as olímpiadas e contou com o terceiro lugar: Glass, Fawcett, Lowe, Kreklow, Gibbemeyer, Akinradewo, Harmotto, Adams, Hill, Larson, Vansant, Easy e Banwarth.

RIO 2016

A seleção americana fez uma boa olimpíada, ficando na primeira posição. Na fase de grupos enfrentaram a China, Holanda, Itália, Sérvia e Porto Rico.

Passou pelas quartas de final mas na semi-final perdeu para a Sérvia por 3x2 em um jogo emocionante. Com isso foi para a disputa de terceiro lugar contra a seleção holandesa(que perdeu para a China na semi-final por 3x1) e venceu por 3x1 em um jogo sem muitas dificuldades.

WORLD GRAND PRIX 2016

As comandadas se Karch Kirally tiveram um Grand Prix regular, mas com dificuldades no passe. Passou por cima da Alemanha, Rússia, Bélgica, Japão e Itália. Mas houve muita resistência de China, Brasil e Sérvia.

Na fase final disputada em Bangcock, na Tailândia, pegou a China (que foi com a seleção desfalcada, por estarem treinando para a Olimpíada) e a Holanda. Venceu estas duas seleções e na semi-final enfrentou a Rússia (3x0, num jogo fácil). Na grande final, fez um grande jogo contra o Brasil, mas perdeu por 3x2 em 2h15 de jogo.

Em relação a comissão técnica, a seleção dos EUA já contaram com Lang Ping(hall da fama do vôlei e atual técnica da seleção chinesa) até 2008, um técnico neo-zelandês até os últimos jogos olímpicos e a partir dali Karch Kirally (tri-campeão olímpico - praia e quadra) e teve seu contrato com a USA VOLLEYBALL por mais um ciclo (até 2020).

Referências

  1. «FIVB Senior World Ranking - Women». FIVB.org. Consultado em 3 de junho de 2013 

Principais jogadoras[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre voleibol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.