Selma Egrei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Julho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Selma Egrei
Nascimento 16 de março de 1949 (67 anos)
São Paulo, SP
Ocupação atriz
Atividade 1970-presente
Outros prêmios
IMDb: (inglês)

Selma Egrei (São Paulo, 16 de março de 1949) é uma atriz brasileira.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1970 ingressou na Escola de Arte Dramática (EAD), de São Paulo. Começou a atuar tanto na televisão, quanto no teatro e no cinema, mas este teria sua preferência. Estreou nas telas com Cordélia, Cordélia (1971), e já atuou em mais de trinta filmes.

Por sua beleza, foi uma das atrizes prediletas de Fauzi Mansur, Cláudio Cunha, J. Marreco, John Doo e Jean Garret, época em que o cinema brasileiro, para fugir à censura política, optava pela pornochanchada.[1] No entanto, nas mãos de Walter Hugo Khouri, com quem fez quatro filmes, é que seu talento se revelaria.[2]

Estreou na televisão em 1970, mas a popularidade viria com Papai Coração. Mas seu trabalho na televisão sempre foi esporádico, enquanto no cinema fazia um filme atrás de outro. No entanto, se destacou em telenovelas como Ninho da Serpente (1982), de Jorge Andrade, na TV Bandeirantes e Carmem (1987), de Glória Perez, na TV Manchete e em minisséries como Tudo em Cima (1985), de Bráulio Pedroso e Geraldo Carneiro e Um Só Coração (2004), de Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira.

Nos últimos anos tem se dedicado ao teatro, fazendo trabalhos muito elogiados com José Possi Neto e Celso Nunes, entre outros diretores. Em 2006 atuou em Sra. Macbeth, e no badalado monólogo Sirimin, baseado em textos de Guimarães Rosa, adaptados para o palco por ela.

Fez uma participação rápida como a compradora da casa de Maria Paula (Marjorie Estiano) em Duas Caras (2007), de Aguinaldo Silva, e interpretou Dulce Porto, uma mulher interesseira em A Favorita (2008), de João Emanuel Carneiro. Ambas telenovelas das 21h da Rede Globo. Depois, fez uma participação na minissérie Som & Fúria, como Cláudia Cruz, em 2009. No final do mesmo ano, atuou em outra minissérie, Cinquentinha, de Aguinaldo Silva, como Flávia. Já no início de 2010 a atriz fez uma participação na telenovela Tempos Modernos, de Bosco Brasil, como Tamara.

Em 2016, integra o elenco da novela das 21h Velho Chico, interpretando Dona Encarnação, a mãe do personagem de Antônio Fagundes. O curioso é que a novela possui 3 fases e a atriz permanece em todas.[3][4]

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Novelas, Seriados e Minisséries
Ano Título Papel Notas
2016 Velho Chico Encarnação de Sá Ribeiro
2015 Sete Vidas Dália Fiúza Macedo [5]
Os Experientes Francisca Toledini 1 episódio
Felizes Para Sempre? Norma Drummond
2012 Sessão de Terapia Dra. Dora Aguiar 21 episódios
2011 O Astro Consolação Paranhos (Çãozinha)
2010 Tempos Modernos Tamara Palumbo
2009 Cinquentinha Flávia 6 episódios
Trago Comigo Madalena
Som & Fúria Cláudia Cruz 3 episódios
2008 A Favorita Dulce Porto
2007 Duas Caras Beth Gomes
2006 Pé na Jaca Antoniette Participação Especial
2005 Essas Mulheres Irmã Carolina
2004 Um Só Coração Olívia Guedes Penteado
2001 Roda da Vida Elza
1990 A, E, I, O... Urca Solitária
1989 Colônia Cecília Gina
1987 Armação Ilimitada Pandora 1 episódio
Carmem Nina
1986 Memórias de um gigolô Valentina
1985 Tudo em Cima Julieta
1983 A Ponte do Amor Angela / Mireya
1982 Ninho da Serpente Consuelo
1981 Os Adolescentes Fernanda
1979 O Todo-Poderoso Linda
Gaivotas Norma
1976 Papai Coração Irmã Rosário
1972 Eu e a Moto Flor
1971 O Preço de um Homem Léa
Hospital Selma
1970 Simplesmente Maria
A Gordinha Daniela

No cinema[editar | editar código-fonte]

Longas & Curtas
Ano Título Papel
1971 Cordélia, Cordélia [6]
O paraíso proibido
1972 Vozes do Medo
1973 A noite do desejo Selma
Obsessão Maldita Sandra
1974 As Delícias da Vida Garota Propaganda
O anjo da noite Ana
O Poderoso Machão Petúnia[7]
1975 A carne Lenita Lopes Matoso
O desejo Ana Maria[8]
O dia em que o santo pecou Mudinha
O Jeca macumbeiro Filomena
A casa das tentações
1976 Aleluia Gretchen Gudrun [9]
1977 Emanuelle Tropical Mary Claire[10]
Gente Fina É Outra Coisa Íris
Ninfas Diabólicas
1978 Adultério por Amor Natália
As Filhas do Fogo Sílvia
Nos Embalos de Ipanema Bia[11]
Uma estranha história de amor Maria
O Coronel e o Lobisomem
1979 Mulheres do Cais Gina[12]
1980 Ato de Violência Tânia
Força Estranha
1981 Eros, o deus do amor
Sexo, Sua Única Arma Marta
1982 Tchau, amor Yara
1984 Elite devassa
Estrela Nua Renée
1987 Sonhos de Menina-Moça
2008 Chega de Saudade Falecida
O Signo da Cidade
2010 Augustas
Nosso Lar Luísa
2013 Corpo Presente
2014 Hoje Eu Quero Voltar Sozinho Maria
2016 O Escaravelho do Diabo Dona Dulce[13]
A Repartição do Tempo[14] Senadora

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Indicação Trabalho Resultado Ref.
1998 Troféu APCA Melhor Atriz de Teatro Clarão nas Estrelas Venceu [15]
1998 Prêmio Coca-Cola SP Melhor Atriz Venceu
1998 Prêmio Mambembe Melhor Atriz Coadjuvante Venceu [16]
1999 Prêmio Shell Melhor Atriz Fasto Indicado [17]
2006 Prêmio Shell Melhor Atriz Senhora Macbeth Indicado [18]
2007 Festival de Cartagena Melhor Atriz Coadjuvante Chega de Saudade Venceu
2009 Prêmio FEMSA de Teatro Infantil Melhor Atriz O Colecionador de Crepúsculos Indicado [19][20]
2016 Prêmio Extra de Televisão Melhor Atriz Coadjuvante Velho Chico Venceu [21]
Troféu APCA Melhor Atriz de Televisão Venceu [22]
Melhores do Ano Personagem do Ano Pendente

Referências

  1. «Selma Egrei: 'Muito ator defende a pornochanchada. Eu, não'». Consultado em 2016-06-26. 
  2. «Do lixo ao cult: a história da musa da pornochanchada Selma Egrei | Notas | Glamurama». Glamurama. Consultado em 2016-06-26. 
  3. «Aos 67, Selma Egrei diz não gostar de se ver com 100 anos em Velho Chico». 
  4. «Única atriz a se manter na segunda fase de ‘Velho Chico’, Selma Egrei, a Encarnação, comemora seu papel mais popular na TV». Consultado em 2016-06-26. 
  5. «"Sete Vidas": conheça a história da personagem Irene». 
  6. Cinemateca Brasileira, Cordélia, Cordélia [em linha]
  7. O Poderoso Machão
  8. O desejo
  9. Cinemateca Brasileira, Aleluia, Gretchen [em linha]
  10. Emanuelle Tropical
  11. Nos Embalos de Ipanema
  12. Mulheres do Cais
  13. «O Escaravelho do Diabo | Adaptação de livro nacional ganha primeiro trailer». Omelete. Consultado em 2016-02-20. 
  14. Santiago Dellape lança A Repartição do Tempo na Mostra Brasília
  15. «VLADIMIR CAPELLA: FECHAM-SE AS CORTINAS». Consultado em 2016-09-21. 
  16. «1998 - PRÊMIO MAMBEMBE - Centro Brasileiro Teatro para a Infância e Juventude». 2014-07-09. Consultado em 2016-09-21. 
  17. «UOL - Brasil Online - Vencedores do 10º Prêmio Shell serão anunciados à noite 22/03/99 08h03». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2016-09-21. 
  18. «Luz & Cena: Not�cias: Lista completa dos indicados de S�o Paulo para o Pr�mio Shell de Teatro». www.musitec.com.br. Consultado em 2016-09-21.  replacement character character in |titulo= at position 16 (Ajuda)
  19. «Divulgados indicados ao prêmio FEMSA de Teatro Infantil - Cultura - Estadão». Consultado em 2016-09-21. 
  20. «2009 - Prêmio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem - Centro Brasileiro Teatro para a Infância e Juventude». 2014-07-07. Consultado em 2016-09-21. 
  21. «Selma Egrei ganha a categoria Atriz Coadjuvante no Prêmio Extra de TV». Consultado em 2016-12-01. 
  22. «'Aquarius', 'Velho Chico', Rita Lee e Montagner levam prêmios da APCA». Consultado em 2016-12-01. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o