Semana Roja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Placa dedicada à memória do prefeito Francisco Rodríguez Betancourt, assassinado depois do golpe de estado do general Franco, nos Planos de Aridane (A Palma).

Como na Semana Vermelha (18 de julho - 25 de julho de 1936) se conhece ao período de tempo que média, na ilha da Palma (Canárias), entre o levantamento militar que daria lugar à Guerra Civil espanhola e a chegada do cañonero Canalejas à cidade de Santa Cruz da Palma.[1] Durante este período mantém-se na Palma a legalidade republicana.

Nos dias anteriores ao 18 de julho de 1936, o então Comandante Geral do Archipiélago, general Francisco Franco, cursa ordens para que as guarniciones em Canárias iniciem o golpe contra o Governo da República. Assim, o comandante Baltasar Gómez Navarro, desembarca na Palma com instruções para iniciar o levantamento militar. No entanto, o contingente militar era escasso e limitado a 25 soldados, e ademais a mobilização imediata dos partidários da República impediu servir do factor surpresa.[2]

Nesses momentos era Delegado do Governo na ilha Tomás Yanes Rodríguez, de Esquerda Republicana. Ao chegar as notícias do golpe a Frente Popular declara a greve geral, e formam-se as milícias populares mas a Delegação de Governo não autoriza a tomada do quartel militar e trata de evitar sempre que as organizações operárias tomem demasiado poder (nestes momentos destaca a figura do comunista José Miguel Pérez, e em alguns municípios como Tazacorte as organizações comunistas têm uma grande importância).

À chegada do cañonero Canalejas a Delegação do Governo decide não oferecer nenhum tipo de resistência armada e ordena desmovilizar às milícias populares confiando em que o Governo da República mande reforços, que o golpe fracasse e que a legalidade se restabeleça em toda a nação.

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. La Semana Roja en La Palma Salvador González Vázquez, La Laguna (Santa Cruz de Tenerife), Centro de Cultura Popular Canaria, 2004, ISBN 84-7926-470-5 (la nota enlaza a la versión electrónica)
  2. González Vázquez, S.: La Guerra Civil en la Isla de La Palma. En Miguel Ángel Cabrera Acosta (Ed.). La Guerra Civil en Canarias. Francisco Lemus Editor. La Laguna, 2000