Títulos honoríficos japoneses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Sensei)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

No idioma japonês, há um vasto conjunto de títulos honoríficos que servem para dirigir-se a pessoas ou referir-se a estas com respeito. Tais formas de tratamento seguem o nome de um indivíduo, da mesma forma que um sufixo.

Títulos honoríficos comuns[editar | editar código-fonte]

San[editar | editar código-fonte]

San (さん?) é o mais comum de todos e, provavelmente, o mais conhecido fora do Japão. É usado para referir-se a alguém de mesma hierarquia, quer etária, quer profissional. Aplica-se tanto a homens como a mulheres, e a tradução mais próxima ao português é senhor e senhora. Sempre se utiliza na segunda ou terceira pessoa.

Por exemplo, se um operário referir-se a um colega de trabalho de mesmo nível, chamado Arima, este será chamado de Arima-san (senhor Arima).

Caso se desconheça o nome e o sobrenome da pessoa que exerça uma profissão, san também poderia ser empregado.

Por exemplo, um açougueiro (肉屋, nikuya?) seria chamado de nikuya-san (senhor açougueiro).

Outro uso do título ocorre quando um integrante de uma entidade refere-se a outra entidade.

Por exemplo, o gerente de uma empresa que quisesse falar sobre outra empresa, nomeada Kojima Denki, poderia mencioná-la como Kojima Denki-san.

Kun[editar | editar código-fonte]

O sufixo 君(kun) é bastante utilizado na relação "superior falando com um inferior", mas apenas se houver um certo grau de intimidade e amizade entre ambos. Embora kun geralmente seja usado para se referir a crianças e adolescentes do sexo masculino, ele também pode ser usado na arena profissional para se referir a funcionários mais jovens, por um funcionário sênior. Também é a forma como chefes se referem a seus subordinados ou empregados. O sufixo "-kun" é um sinal de camaradagem e amizade. A intenção é estabelecer um grau de proximidade "sem ser próximo demais". Daí que "-kun" seja muito usado nas relações masculinas.

Também pode ser usado por mulheres para se referir a um homem com quem elas têm um vínculo emocional ou já conhecem há muito tempo. É muito usado entre os jovens, e às vezes é usado entre adultos que se conhecem desde a infância, ou então, que são muito próximos.

Chan[editar | editar código-fonte]

Emprega-se Chan (ちゃん?) para demonstrar informalidade, confiança, afinidade ou segurança com outra pessoa, na maior parte das ocasiões sendo esta do sexo feminino, no entanto também pode ser utilizado para homens, caracterizando uma linguagem infantil.

Este sufixo geralmente é usado para se referir a crianças e adolescente do sexo feminino, embora possa ser usado para expressar carinho, por exemplo falando sobre um irmão do sexo masculino ou um animal de estimação. Usar o "chan" com pessoas superiores ou mais velhas é feio e rude. Em geral, "chan" é usado para os bebês, crianças, adolescentes e os avós (no sentido de carinho). Nesse contexto poderia ser traduzido como o sufixo "inho" ou "-inha" do português. "-chan" também pode ser usado quando há uma relação afetuosa entre duas pessoas (por exemplo: entre marido e mulher).

Para acentuar a informalidade, pode-se atribuir chan à inicial da outra pessoa.

Por exemplo, uma mulher chamada Ichitaka pode ser chamada de I-chan por alguém próximo a ela.

Senpai e kōhai[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Senpai

Senpai (先輩?) é o sufixo para tratar colegas mais velhos ou figuras mentoras sem distinção de sexo. Sua tradução mais próxima ao português seria algo como “veterano” ou “mentor”. Aplica-se a estudantes mais velhos de escolas, a atletas mais experientes em um clube desportivo ou em dojos. Assim, na escola, os alunos em graus mais altos do que a si próprio são "senpai". Os professores não são chamados de "senpai", e sim de "sensei". Nem os estudantes do mesmo ou menor grau: eles são referidos como "kōhai". Em um ambiente de negócios, aqueles com mais experiência são "senpai".

Kōhai (後輩?), como dito antes é o contrário de senpai, usado para referir-se aos colegas mais jovens em locais como escolas, clubes desportivos e dojos. Sua tradução mais próxima ao português seria algo como “calouro”. Porém, não é normal tratar alguém diretamente com este sufixo, pois seria rude. Ao invés de kōhai, é preferível kun ou san.

Sama[editar | editar código-fonte]

"Sama" é uma versão mais respeitosa e formal de "san". A tradução mais próxima do termo "sama" para o português seria “Vossa Excelência” ou “Vossa Senhoria”. É bastante conhecido no Japão, pois é usado como uma forma respeitosa a uma pessoa que merece ser reconhecida como superior, como professores e outras profissões, no império antigo era muito usada para se referir as rainhas, Exemplo: Sayuri Ojou-Sama. (este título "ojou" se refere tanto a moça quanto a princesa no modo da princesa é utilizado como "Ojou-sama" e como uma moça apenas Ojou ou Ojou-San / Ojou-Chan).

É usado principalmente para se referir a pessoas de maior classificação do que elas mesmas, no campo profissional para atender clientes (chamando-os "o-kyaku-sama"; "senhor cliente") e, às vezes, às pessoas muito admiradas. Divindades, tanto como os deuses nativos como o deus cristão são chamados de "Kami-sama" (senhor Deus). Quando usado para se referir a si mesmo, "Sama" expressa arrogância extrema (ao ponto que pode ser usado para auto-ironia), como "ore-sama" (o grande eu).

Com exceção do Imperador do Japão, o "sama" pode ser usado para dirigir informalmente a Imperatriz e outros membros da Família Imperial. O Imperador é, no entanto, sempre abordado como "Heika" (Sua Majestade).

Resumindo, Sama é um título de superioridade e grandiosidade, quem usa o título "sama" sendo direcionado a alguém é porque respeita-o imensamente ou esta sendo obrigado a fazer isto.

Shi[editar | editar código-fonte]

Shi (?) é usado na escrita formal, para referir-se a uma pessoa que o interlocutor não conhece pessoalmente, mas conhece através de publicações. Aparece em documentos legais, diários, jornais, publicações acadêmicas, entre outros escritos.

Dono/Tono[editar | editar código-fonte]

Tono (殿?), pronunciado Dono/Tono quando anexado a um nome, significam "lorde" ou "mestre". Na época dos samurais, costumava denotar um grande respeito ao interlocutor. Tem um significado semelhante ao "Dom" ou "Dona" do português e ao Lord e Lady do inglês, embora não indique origem nobre. Atualmente, não é mais usado nas conversas diárias, embora ainda seja usado em referência ao Buda. São títulos que já não são usados atualmente, embora sejam utilizados, por vezes, em algumas correspondências de negócios. Também se podem ver escritos em diplomas, prêmios e correspondência escrita em cerimônias de chá. Dono e Tono são mais comuns em filmes, peças de teatro, obras literárias, animes e/ou mangás, especialmente naqueles que decorrem em períodos antigos, podendo apresentar um significado de submissão (para mostrar respeito profundo por um "lorde") ou de igualdade (quando uma pessoa importante se dirige, com grande respeito, a outra do mesmo estatuto, elevando o interlocutor relativamente ao locutor).

Sensei[editar | editar código-fonte]

Sensei (先生), é usado para referir-se ao seu professor, ou mestre (no sentido de mestre e discípulo). Também é usado para se referir a médicos, políticos, advogados e outras figuras de autoridade. Ele é usado para mostrar respeito a alguém que alcançou certo nível de domínio em uma forma de arte ou alguma outra habilidade, como escritores, músicos, artistas e lutadores consumados. Nas artes marciais japonesas, sensei se refere a alguém que é o chefe de um dojo. Tal como acontece com senpai, sensei pode ser usado não apenas como um sufixo, mas também como um título autônomo. O termo não é geralmente usado quando se dirige a uma pessoa com conhecimentos acadêmicos muito altos; o usado em vez disso é hakase (博士【はかせ】) (significa literalmente "doutor").

Exemplos:

Rike-sensei ("professor Rike" ou "mestre Rike")

Yobisute[editar | editar código-fonte]

Yobisute (呼び捨て?) se trata da prática de chamar alguém pelo nome sem o uso de honoríficos. Essa pratica costuma ser evitada para falar com estranhos. Em fóruns na internet como Yahoo! Respostas, etc; o sufixo san é automaticamente adicionado a nomes de usuário para evitar yobisute.[1]

No Japão há o costume de usar o honorífico kun para filhos e chan para filhas, entretanto, alguns pais acham isso desconfortável, preferindo yobisute para falar o nome de seus filhos.[2]

  1. «Kun, Chan, San, e Sama - Honoríficos em Japonês - Japonês de Anime». Japonês de Anime. Consultado em 29 de abril de 2016 
  2. «自分の子供に「ちゃん」「くん」をつけることに、違和感を感じるのは私だけでしょうか?». Yahoo!知恵袋 (em japonês). Consultado em 29 de abril de 2016