Sensorama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Sensorama

O Sensorama foi uma das primeiras máquinas com tecnologia multisensorial imersiva. Morton Heilig, que hoje pode ser considerado como especialista em multimídia, na década de 1950 via o cinema como uma atividade que poderia integrar todos os sentidos de uma maneira eficiente, proporcionando ao espectador um maior entrosamento com o filme. Ele o classificou como “Cinema de Experiências”.

Em 1962 ele construiu um protótipo de sua idéia, batizando-o de Sensorama, junto com cinco curtas a serem exibidos. Concebido mesmo antes da computação, o Sensorama é um aparelho que funciona até hoje.

Howard Rheingold (em seu livro Virtual Reality de 1992) diz que sua experiência no Sensorama, usando um curto filme de um passeio de bicicleta pelo Brooklyn, mesmo criado na década de 1950 continua sendo impressionante pelo fato de ter sido criado 40 anos antes. O Sensorama era capaz de exibir imagens em 3D Estereoscópico juntamente com som estéreo, inclinação do corpo e sensações de vento e aromas. Curiosamente, Heilig não conseguiu encontrar um financiador para seu projeto, tendo que deixá-lo de lado. O Sensorama é lembrado hoje como um dos primeiros exemplos de Realidade Virtual.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Rheingold, H. (1992). Virtual Reality, Simon & Schuster, New York, N.Y.
  • Robinett, W. (1994). “Interactivity and Individual Viewpoint in Shared Virtual Worlds: The Big Screen vs. Networked Personal Displays.” Computer Graphics, 28(2), 127

Ligações externas[editar | editar código-fonte]