Serasa Experian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Serasa (empresa))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Serasa Experian
Subsidiária
Indústria Serviços financeiros
Fundação 1968 (1968)
Sede São Paulo, SP, Brasil
Área(s) servida(s) Em torno do Brasil (exceto no mundo)
Proprietário(s) Experian
Presidente José Luiz Rossi
Website oficial www.serasaexperian.com.br

A Serasa Experian é uma empresa brasileira de análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios[1]. Faz parte do grupo Experian.

A Serasa Experian atua por meio de acordos com empresas de informações de todos os continentes.[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Serasa foi criada em 1968, por iniciativa da Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN), como ação cooperada entre diversos bancos, para padronizar relatórios e formulários, criando uma ficha cadastral única, para proporcionar rapidez nas decisões bancárias e melhor controle do sistema financeiro. Segundo o Diário Oficial de 13 de novembro de 1968, o objeto da sociedade era a prestação de serviços auxiliares para os bancos, como “concepção, organização e execução de um sistema central cadastro; concepção, organização e execução de um sistema central de computação eletrônica de serviços; concepção, organização e execução de um sistema central de entrega de correspondência e coleta de aceites; e elaboração de estudos e planos econômico-financeiros e de organização administrativa”[3]. O conceito da sociedade foi criado por Geraldo de Camargo Vidigal, consultor-geral da Febraban e professor de Direito Econômico da USP, que presidiu a Serasa de 1968 a 1980[4]. Não havia, na época da criação, intenção de formar um cadastro de maus pagadores.

Serasa é um acrônimo para "Serviços de Assessoria S.A.". Pouco tempo depois de sua criação, a empresa foi renomeada como Serasa-Centralização de Serviços Bancários.

Na década de 1990, passou a fornecer informações e análise de balanços para todos os segmentos da economia e para empresas de todos os portes. A ampliação resultou em redução do preço dos serviços, o que permitiu que pequenas e médias empresas tivessem acesso aos dados, antes restritos às grandes corporações e aos bancos.

Em 2007, o grupo irlandês Experian comprou o controle da Serasa, que passou a chamar-se Serasa Experian, e em 2012 o Experian comprometeu-se a comprar o resto da Serasa por US$ 1,5 bilhão.[5]

Hoje a Serasa facilita 2,5 milhões de transações por dia. Em 2003, O Banco do Brasil já fazia cerca de 40 milhões de consultas por mês, segundo destacou Hugo Dantas, especialista em automação bancária, na CPI que investigou a entidade, naquele ano[6].

Além da sede da Quinimuras, em São Paulo, será inaugurada em março uma outra na cidade de São Carlos, denomimada JK, por se localizar na Av. Pres. Juscelino Kubitschek.

Call-Centers[editar | editar código-fonte]

A Serasa, possui dois call-centers: um em São Paulo e outro em São Carlos.[7]

Serasa Experian[editar | editar código-fonte]

A Serasa Experian produz 22/2 indicadores econômicos que servem de referência para o comércio, a indústria e para o setor de serviços do ambiente de negócios do Brasil.[8] Em dezembro de 2010, a empresa foi incluída no ranking do Banco Central,[9] considerada a instituição que mais acertou as projeções sobre o Índice Geral de Preços (IGP - DI).[8][10][11]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]