Serena Auñón-Chancellor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Serena Auñón-Chancellor
Nascimento 4 de setembro de 1976 (42 anos)
Indianápolis, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos norte-americana
Carreira espacial
Astronauta da NASA
Tempo no espaço 196d 17h 49min
Missões Soyuz MS-09, Expedição 56, Expedição 57
Insígnia da missão Soyuz-MS-09-Mission-Patch.png ISS Expedition 56 Patch.png ISS Expedition 57 Patch.svg

Serena Maria Auñón-Chancellor (Indianápolis, 9 de abril de 1976) é uma médica, engenheira e astronauta norte-americana.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Engenheira formada pela Universidade George Washington e médica formada pela Universidade do Texas, onde também concluiu um mestrado em saúde pública, foi contratada pela NASA como cirurgiã de voo e passou nove meses na Rússia apoiando as operações médicas para os astronautas da Estação Espacial Internacional, servindo também na equipe de cirurgiões em terra das missões STS-127 e Expedição 22. Ela também serve como chefe-adjunta das operações médicas do projeto Orion, na NASA.[1] [2]

Em 2009 foi selecionada para o curso de astronautas da agência espacial americana concluindo a qualificação em 2011 como integrante do Grupo 20. Como parte do treinamento ela passou dois meses na Antártida como parte da expedição ANSMET, que explorou novas áreas do continente gelado onde outras equipes poderiam ir, recolhendo cerca de 1200 meteoritos do solo congelado durante a expedição. Em 2012 ela participou da missão de exploração submarina NEEMO 16 como piloto do submersível Deepworker 2000 em Key Largo, na Flórida,[3] e em 2015 como aquanauta na tripulação da NEEMO 20.[4]

Serena foi ao espaço em 6 de junho de 2018 como engenheira de voo da nave russa Soyuz MS-09 para uma missão de seis meses como integrante das Expedições 56 e 57 na Estação Espacial Internacional. Durante a missão, entre outras atividades científicas, ela operou o braço robótico Canadarm2 para desacoplar a nave não-tripulada Cygnus da ISS e fez experiências com células embrionárias para estudar como a microgravidade afeta seu crescimento.[5] Retornou à Terra após 196 dias no espaço junto com a tripulação da Soyuz, que aterrisou em segurança nas estepes do Casaquistão.

Ela é operadora licenciada de radioamadorismo com o sinal de chamada KG5TMT.[6]

Prêmio[editar | editar código-fonte]

Em 2009, ano de seu ingresso na NASA, Serena Auñón-Chancellor recebeu o prestigioso prêmio Julian E. Ward Memorial Award da Associação Médica Aeroespacial (AsMA) por sua contribuição científica e profissional para a saúde clínica das tripulações de voos espaciais e pelo desenvolvimento de estojos médicos para apoiar os lançamentos e aterrissagens das naves espaciais no Casaquistão. [2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NASA HQ (29 de Junho de 2009). «NASA Selects New Astronauts for Future Space Exploration». NASA. Consultado em 29 de Junho de 2009. Cópia arquivada em 1 de Agosto de 2009 
  2. a b Julian A. Ward Award Arquivado em 20-07-2011 no Wayback Machine.
  3. Squyres, Steve (17 de Junho de 2012). «NEEMO 16: EVA Divers and Subs». NASA. Consultado em 12 de Julho de 2012. Arquivado do original em 13 de dezembro de 2012 
  4. «crew of NEEMO 20». 20 de Julho de 2015 
  5. «ISS: Expedition 56». spacefacts. Consultado em 12 abril 2019 
  6. «via the ARRL: Radio Amateurs to Swap Spots on International Space Station (ISS) Crew». 3 de Junho de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]