Sergio Castro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2015)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Sergio Claudio de Castro (Rio de Janeiro, 1932 - 2012) foi um empresário brasileiro e carioca do ramo imobiliário, atuando na administração e corretagem de imóveis; tornou-se mais notório pelo sequestro de seu filho Serginho, em 1972, que ocorreu poucos meses antes do antológico sequestro do menino "Carlinhos", recebendo cobertura de toda a mídia brasileira.

Além disso, contratado pela Companhia Recreio dos Bandeirantes, e pelo Banco do Distrito Federal, em 1959, participou ativamente do desmembramento, loteamento e venda, sob a sua direção, de uma gleba inteira do bairro carioca do Recreio dos Bandeirantes.

Castro foi por quase 20 anos vice-presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis, sendo fundador daquele Conselho, juntamente com outros 25 notáveis da profissão e o já falecido senador Benjamin Farah (MDB-RJ). Foi também o primeiro Colunista imobiliário do Jornal carioca O Globo, escrevendo durante 8 anos a coluna Nos Bastidores da Locação, onde respondia cartas de leitores acerca do mercado imobiliário, solucionando dúvidas jurídicas, fórmula até hoje seguida por todos os jornais em seus respectivos cadernos imobiliários.

O empresário foi um dos dirigentes do Iate Clube do Rio de Janeiro, tendo sido seu vice-presidente durante alguns anos. É citado no livro "Who´s Who in Brazil" como influente personalidade carioca, e tido como grande entusiasta da revitalização do Centro da cidade do Rio de Janeiro, assim como de Santa Teresa e Gamboa. Sua empresa foi a primeira no Brasil a especializar-se na negociação de imóveis comerciais.

Com dois filhos, o empresário era também neto do empreendedor Antônio Eugênio Richard Júnior e sobrinho do famoso senador José Georgino Avelino, ambos já falecidos.

Uma curiosidade: Antônio Carlos Jobim compôs a música "Bebel" no verso de um formulário de sua empresa.

Sergio Castro faleceu em 14 de novembro de 2012, no Rio de Janeiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

OLIVEIRA, Leão Gondim de - "Os Sequestradores de Serginho" - Revista O Cruzeiro, 1972 - Número 19

DESCONHECIDO - "Sequestro: o culpado estava ao lado (sequestro de Serginho)" - Revista Manchete, 1972 - Número 1947

WHO'S WHO IN BRAZIL - Volume II, Editora SLP, 5ª Edição, 1973

JUNQUEIRA, Flávia - " Sessenta anos de muitas histórias " - Jornal Extra, 24 de agosto de 2008

? - "Sergio Castro: Uma referência no mercado imobiliário carioca" - Jornal O Globo, pág. 20, Obituário, 2ª Edição, 15-11-2012