Sergio Ramos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sergio Ramos
Sergio Ramos
Sergio Ramos pela Seleção Espanhola em 2017.
Informações pessoais
Nome completo Sergio Ramos García
Data de nasc. 30 de março de 1986 (34 anos)
Local de nasc. Sevilla, Espanha
Nacionalidade espanhol
Altura 1,84 m
destro
Informações profissionais
Clube atual Real Madrid
Número 4
Posição zagueiro e lateral-direito
Clubes de juventude
1996–2004 Sevilla
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2004–2005
2005–
Sevilla
Real Madrid
0049 0000(3)
0651 000(97)
Seleção nacional3
2002
2004
2004
2005–
Espanha Sub-17
Espanha Sub-19
Espanha Sub-21
Espanha
0001 0000(0)
0006 0000(0)
0006 0000(0)
0172 000(23)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 20 de setembro de 2020.
3 Partidas e gols da seleção nacional estão atualizados
até 6 de setembro de 2020.

Sergio Ramos García, ou simplesmente Sergio Ramos (Sevilha, 30 de março de 1986), é um futebolista espanhol que atua como zagueiro. Atualmente joga pelo Real Madrid e pela Seleção Espanhola, onde é capitão por ambos. Ele é frequentemente considerado como o melhor zagueiro de sua geração e um dos melhores zagueiros de todos os tempos.[1][2][3]

Depois de jogar pelas categorias de base do Sevilla e estrear como profissional em 2004, Ramos foi vendido para o Real Madrid no verão de 2005. Desde então, ele se tornou um dos pilares do time merengue, onde ganhou mais de 20 grandes títulos e se transformou em um dos artilheiros do Campeonato Espanhol jogando em uma posição defensiva. Os títulos incluem: quatro títulos da La Liga e quatro títulos da Liga dos Campeões da UEFA. Ele desempenhou um papel crucial na construção de todos os quatro títulos da Liga dos Campeões da UEFA, sendo nomeado para a Equipe do Ano da UEFA cada vez.

Internacionalmente, Ramos representou a Seleção Espanhola em quatro Copas do Mundo e três Eurocopas. Ele venceu a Copa do Mundo da FIFA 2010 e a Eurocopa em 2008 e 2012, sendo nomeado para o Time dos Sonhos da Copa do Mundo FIFA em 2010, e a Equipe Euro do Torneio em 2012. Ele fez sua primeira aparição na seleção aos 18 anos e em 2013, ele se tornou o jogador mais jovem do país a alcançar 100 partidas pela Seleção. Ele é o segundo jogador com mais títulos pela Espanha.

Ramos é considerado por muitos como um dos melhores zagueiros do mundo e também recebeu elogios por sua capacidade de passes e gols. Ao lado de Lionel Messi, ele é o único jogador a marcar em 15 temporadas consecutivas no Campeonato Espanhol. Ele foi nomeado para o FIFPro World XI nove vezes, um recorde para um defensor, e para a Equipe do Ano da UEFA oito vezes, também um recorde para um defensor. Além disso, ele foi eleito o melhor defensor do Campeonato Espanhol, em um recorde de cinco vezes.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Sevilla[editar | editar código-fonte]

Iniciou a carreira profissional com apenas dezessete anos atuando pelo Sevilla, em 2003, onde jogou ao lado de Jesús Navas e do falecido Antonio Puerta. Ele fez sua estreia em fevereiro de 2004, contra o Deportivo de La Coruña e marcou seu primeiro gol em março de 2004. Depois de apenas três temporadas no Sevilla, se transferiu para o Real Madrid em 2005 por € 30 milhões, tornando-se, assim, na contratação mais cara do Campeonato Espanhol, com apenas 19 anos de idade.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

No Real Madrid, Ramos recebeu a camisa número 4, anteriormente ocupado pelo capitão da equipe Fernando Hierro. Ele marcou seu primeiro gol no dia 6 de dezembro de 2005, contra o Olympiacos, pela Liga dos Campeões, em um jogo que o Real Madrid acabou perdendo por 3 a 2.

Durante suas primeiras temporadas, Ramos jogou como zagueiro, sendo também usado como volante de emergência na ocasião. No entanto, com as chegadas de Christoph Metzelder e Pepe, na temporada 2007–08, ele foi adaptado, com sucesso, a lateral-direita. Ele também passou a jogar como lateral-esquerdo, se necessário.

No dia 4 de maio de 2008, Ramos deu uma assistência para Gonzalo Higuaín aos 89 minutos na vitória contra o Osasuna por 2 a 1, a partida que selou o Real Madrid como campeão do Campeonato Espanhol. No último jogo da temporada, Ramos marcou dois gols em uma vitória de 5 a 2 em casa contra o Levante.

No início da temporada seguinte, marcou o gol vital na disputa Supercopa da Espanha contra o Valencia, vencendo por 4 a 2 já que no primeiro jogo terminou 3 a 2 (6 a 5 no agregado) no final, apesar de ter jogado em grande parte, com apenas nove homens. Ramos foi nomeado no Time do ano da UEFA em 2008, e na equipe FIFPro em 2007-08. Ele também terminou em 21º Jogador Europeu do Ano em 2008.

Na temporada 2009–10, Sergio Ramos, apesar de ter se machucado durante a pré-temporada, recuperou a boa forma física que já havia sido exibida na temporada 2006–07 e chamou a atenção de todos. Ele jogou muitos jogos como zagueiro, devido à lesão de Pepe e preenchendo de forma brilhante. No dia 21 de fevereiro de 2010, completou 200 partidas pelo Real Madrid e 150 pelo Real Madrid no Campeonato Espanhol com vitória sobre o Villarreal. O Real Madrid ganhou 6 a 2 e depois do jogo ele falou sobre seus marcos históricos recentes, e que estava muito orgulhoso. No dia 25 de abril de 2012, nas semifinais da Liga dos Campeões, Sergio isolou na cobrança de pênalti, deixando a final para o adversário, Bayern de Munique.

Diante esse mesmo Bayern de Munique, Sergio Ramos saiu marcou duas vezes de cabeça na goleada por 4 a 0 na semifinal da Liga dos Campeões de 2013–14. Já na final, Sergio Ramos marcou o gol de empate aos 48 de segundo tempo, levando o jogo para a prorrogação em que o Real Madrid virou o placar para 4 a 1 contra o Atlético de Madrid.[4]

2015–16: Novo capitão[editar | editar código-fonte]

Sergio Ramos com o European Champion Clubs Cup, troféu dado ao clube campeão da Liga dos Campeões da UEFA.

No dia 17 de agosto de 2015, prolongou seu vínculo com o clube por mais cinco temporadas e se tornou capitão da equipe após a saída do então goleiro Iker Casillas para o Porto.[5] O espanhol marcou seu primeiro gol na temporada na derrota por 3 a 2 sobre o Sevilla, ele marcou o gol de cabeça e acabou se machucando no processo.[6]

Uma das participações mais marcantes de Ramos no início da temporada ocorreu na vitória do Real por 10 a 2 sobre o Rayo Vallecano, a maior vitória do clube no Campeonato Espanhol desde 1960.[7][8] Ele foi expulso pela vigésima vez atuando pelos blancos na vitória por 2 a 1 sobre o Las Palmas, tendo anteriormente marcado o primeiro gol da partida.[9] Após ficar suspenso, retornou aos gramados na vitória por 2 a 1 sobre o rival Barcelona, onde recebeu novamente um cartão vermelho, sendo este seu vigésimo primeiro no clube e o quarto no El Clásico.[9]

Levantou o troféu da Liga dos Campeões da UEFA de 2015–16 após os vikings vencerem o Atlético de Madrid na final, Ramos marcou o primeiro gol da partida dando vantagem ao clube, contudo, os colchoneros empataram no segundo tempo com Carrasco. A partida foi aos pênaltis após o fim da prorrogação sem gols, Ramos converteu sua cobrança e após erro de Juan Francisco e acerto de Cristiano Ronaldo, os blancos conquistaram seu décimo primeiro título da competição com ele sendo eleito o Man of the Match.[10] Em 2020, o árbitro da partida, Mark Clattenburg, revelou que o trio de arbitragem cometeu um erro ao não marcar impedimento no gol de Sergio Ramos, ele ainda afirmou que utilizou seu erro a favor do clube para justificar a penalidade máxima concedida ao Atlético, a penalidade foi desperdiçada por Antoine Griezmann e, por isso, apenas o erro a favor do Real interferiu no resultado da partida.[11]

Seleção Espanhola[editar | editar código-fonte]

Estreou pela Seleção Espanhola no dia 26 de março de 2005, contra a China.[12] Desde então já completou mais de 100 partidas pela La Roja, integrando os elencos campeões da Euro 2008, da Copa do Mundo FIFA de 2010 e da Euro 2012. Também participou das Copas do Mundo de 2006 2014[13] e 2018 além da Euro 2016.

No dia 8 de setembro de 2019, ao disputar o seu jogo de número 167 pela La Roja, igualou o recorde do ex-goleiro Iker Casillas como jogador com mais partidas.[14]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Última atualização em 20 de setembro de 2020.

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copas
nacionais
Competições
continentais
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Sevilla 2003–04 7 0 0 0 0 0 7 0
2004–05 31 2 5 0 5 1 41 3
2005–06 1 0 0 0 0 0 1 0
Total 39 2 5 0 5 1 49 3
Real Madrid 2005–06 33 4 6 1 7 1 46 6
2006–07 33 5 3 0 6 1 42 6
2007–08 33 5 5 1 7 0 45 6
2008–09 32 4 2 1 8 1 42 6
2009–10 33 4 0 0 7 0 40 4
2010–11 31 3 7 1 8 0 46 4
2011–12 34 3 6 0 11 1 51 4
2012–13 26 4 5 0 9 1 40 5
2013–14 32 4 8 0 11 3 51 7
2014–15 27 4 4 1 11 2 42 7
2015–16 23 2 0 0 10 1 33 3
2016–17 28 7 3 1 13 2 44 10
2017–18 26 4 3 0 13 1 42 5
2018–19 28 6 6 3 8 2 42 11
2019–20 35 11 6 0 5 2 44 13
2020–21 1 0 0 0 0 0 1 0
Total 455 70 62 9 134 18 651 97

Títulos[editar | editar código-fonte]

Real Madrid
Seleção Espanhola

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Artilharias[editar | editar código-fonte]

¹Junto com Gareth Bale (Real Madrid) e Gerardo Torrado (Cruz Azul)

Recordes e marcas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Sergio Ramos the best defender in the world, says France Football». AS.com (em inglês). 30 de outubro de 2016. Consultado em 20 de maio de 2020 
  2. «Quais foram os melhores zagueiros dos anos 2010?». blogdorafaelreis.blogosfera.uol.com.br. Consultado em 20 de maio de 2020 
  3. «Jornal lista os melhores jogadores do século XXI». futebolbrasil.com. Consultado em 20 de maio de 2020 
  4. «La Décima: de virada, Real goleia Atlético na prorrogação e leva taça». GloboEsporte.com. 24 de maio de 2014. Consultado em 24 de maio de 2014 
  5. Geral, Arquivo (17 de agosto de 2015). «Novo capitão, Sergio Ramos assina renovação com Real Madrid até 2020». JBr. Consultado em 20 de maio de 2020 
  6. «Sevilla 3-2 Real Madrid». BBC Sport (em inglês). 8 de novembro de 2015 
  7. «Real Madrid 10 x 2 Rayo Vallecano: Com placar histórico, time de Benítez se aproxima dos líderes | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 20 de maio de 2020 
  8. «Real Madrid arrasa Rayo por 10-2, a maior goleada desde 1960 - DN». www.dn.pt. Consultado em 20 de maio de 2020 
  9. a b sport, Guardian (26 de fevereiro de 2020). «Sergio Ramos and his 26 Real Madrid red cards: a retrospective». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  10. «Real Madrid x Atlético de Madrid - Liga dos Campeões 2015-2016». globoesporte.com. Consultado em 21 de maio de 2020 
  11. «Árbitro da final da Champions de 2016 admite erro decisivo a favor do Real Madrid: "Notamos no intervalo"». Globoesporte. Consultado em 21 de maio de 2020 
  12. «Los mejores momentos de Sergio Ramos en la selección» (em espanhol). Diário AS. 21 de março de 2013 
  13. «OFICIAL: Estos son los 23 que nos representarán en Brasil» (em espanhol). sefutbol. 31 de maio de 2006, 2014  Verifique data em: |data= (ajuda)
  14. Leandro Stein (8 de setembro de 2019). «Na noite em que Sergio Ramos igualou o recorde de Casillas, a Espanha pouco se esforçou para golear as Ilhas Faroe». Trivela 
  15. «Sergio Ramos, Mejor Defensa de la Liga BBVA». LPF. 2 de dezembro de 2013 
  16. «Sergio Ramos, 'Mejor Defensa de la Liga BBVA 2013-14'». LPF. 27 de outubro de 2014 
  17. «The 100 best footballers in the world 2016 – interactive» (em inglês). The Guardian 
  18. «Sergio Ramos» (em espanhol). Marca 
  19. «Sergio Ramos passa Casillas e se torna jogador com mais partidas pela seleção espanhola :: ogol.com.br» (em bretão) 
  20. «Sergio Ramos iguala recorde de Lionel Messi após mais um gol | Goal.com» 
  21. «Sergio Ramos bateu o recorde histórico de Clássicos | Real Madrid CF» 
  22. «Sergio Ramos se torna jogador mais 'sujo' da história da Champions» 
  23. «Sergio Ramos prolongou o contrato com o Real Madrid». Sítio oficial Real Madrid. 17 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Sergio Ramos