Serpa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados deste nome, veja Serpa (desambiguação).
Serpa
Brasão de Serpa Bandeira de Serpa
Serpa1.JPG
Vista geral de Serpa
Localização de Serpa
Gentílico Serpense
Área 1 110,86 km²
População 19 674 hab. (2011)
Densidade populacional 17,7  hab./km²
N.º de freguesias 5
Presidente da
câmara municipal
Tomé Pires (CDU)
Fundação do município
(ou foral)
1295
Região (NUTS II) Alentejo
Sub-região (NUTS III) Baixo Alentejo
Distrito Beja
Província Baixo Alentejo
Orago Nossa Senhora de Guadalupe
Feriado municipal Terça-Feira de após o Domingo de Páscoa
Código postal 7830
Sítio oficial cm-serpa.pt

geral@cm-serpa.pt

Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Serpa é uma cidade raiana portuguesa pertencente ao Distrito de Beja, região do Alentejo e sub-região do Baixo Alentejo, com cerca de 12 800 habitantes.[1]

É sede de um dos mais extensos municípios de Portugal, com 1 110,86 km² de área[2] e 19 674 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 5 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelo município da Vidigueira, a nordeste por Moura, a leste pela Espanha, a sul por Mértola e a oeste por Beja.

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
14 299 15 354 16 699 17 357 20 703 22 029 29 445 32 965 35 007 32 476 23 872 20 784 17 915 16 723 19 674

(Obs.: Número de habitantes que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

No censo de 1864, os lugares de Santa Ana, Santa Iria, Santo António Velho e São Brás surgem como freguesias autónomas. Por decreto de 13/01/1898, as freguesias de Pias e Vale de Vargo, que pertenciam ao concelho de Moura, passaram para o concelho de Serpa.

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 5 818 7 201 7 519 9 329 10 587 10 348 9 096 6 290 4 508 3 013 2 316 1 953
15-24 Anos 3 320 3 721 4 357 5 917 6 065 6 659 5 345 3 175 3 287 2 510 2 073 1 647
25-64 Anos 7 687 8 637 9 307 12 508 14 305 15 552 15 564 11 890 9 668 8 736 8 263 7 986
= ou > 65 Anos 820 1 098 1 069 1 560 1 853 2 116 2 471 2 595 3 321 3 656 4 071 4 037
> Id. desconh 13 30 66 30 50

(Obs.: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população presente no concelho à data em que eles se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente.)

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Serpa.
O concelho de Serpa está dividido em 5 freguesias:

0

0

Caracterização[editar | editar código-fonte]

Geografia e território[editar | editar código-fonte]

Aqueduto em Serpa

Situado no interior do Alentejo, o concelho de Serpa enquadra a vasta superfície de terras aplanadas, elemento característico do relevo de Portugal Meridional.

Os solos característicos da peneplanície onde se encontra Serpa são, globalmente, profundos, derivados de rochas eruptivas básicas, do complexo gabro-diorítico da região de Beja, rico em fósforo, contendo elevadas proporções de argila (barro) e, por isso, de elevada produtividade.

Analisando de forma mais pormenorizada pode-se, contudo, individualizar três espaços geomorfológicos distintos no concelho: o primeiro, correspondente às terras de barros, envolve a cidade e o seu termo imediato; o segundo, compreendendo os relevos ondulados, de solos pobres e xistosos da chamada serra de Serpa, situada a sul do concelho entre o rio Guadiana e o rio Chança, e o terceiro, definido pelo relevo residual formado por três cristas paralelas de calcário metamórfico, com orientação hiercínica NNW-SSE, que se estendem desde a fronteira, atingindo uma altitude máxima de 518 metros na Serra de Ficalho.

O rio Guadiana apresenta-se como o curso de água mais importante do concelho. Todavia, o seu leito encaixado profundamente na paisagem, cerca de 100 metros abaixo do nível médio do relevo, cria cabeços escarpados e de difícil acesso nas suas margens. A sua localização na extremidade oeste do concelho faz com que o seu papel de linha de água estruturante se esbata face ao dos seus principais afluentes que, de par com a ribeira do Enxoé, sulcam boa parte destas terras. Porém, enquanto via de circulação de produtos, o rio teve um papel fundamental na estruturação do povoamento proto-histórico do concelho.

No que diz respeito aos recursos naturais, embora a agricultura e setores complementares sejam a principal atividade, parece ser certo que as populações aqui existentes na antiguidade acederam aos minérios da região direta ou indiretamente.

Não se reconhecendo nesta área jazidas de importância similar àquelas que se localizam um pouco mais a sul, podem, contudo, distinguir-se três regiões mineiras na margem esquerda do Guadiana: a primeira, abrangendo as serras de Ficalho, Adiça e Preguiça, integra minas de ferro, cobre, zinco e galenas argentíferas; a segunda, na região de Barrancos, compreende minas de cobre; a terceira, situada entre Mértola e o rio Chança, enquadra minas de chumbo, cobre e manganês.[8]

Clima[editar | editar código-fonte]

Com um clima mediterrânico, a tender para o semiárido, a região tem verões secos e quentes, com temperaturas médias de 25 ºC, em que a temperatura máxima pode ultrapassar os 40 ºC. O inverno apresenta temperaturas médias de 8 ºC, com temperaturas mínimas frequentemente negativas.[9] A temperatura média anual em Serpa é de 16.6 °C. A temperatura média do mês de Agosto é de 24.4 °C, sendo o mês mais quente do ano. A temperatura média de Janeiro é de 9.9 °C. Durante o ano é a temperatura mais baixa.[10]

A precipitação é fraca, apresentando uma média anual de 537 mm, concentrada nos meses de Novembro a Janeiro. A exposição solar é elevada, com valores médios anuais entre 3000 a 3100 horas.[9] No mês Julho, que é o mês mais seco, o valor de precipitação é de 2 mm. Com uma média de 78 mm, o mês de Dezembro é o mês de maior precipitação.[10]

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Serpa

Origem e afirmação[editar | editar código-fonte]

Muralhas do castelo

Serpa era já povoada antes do domínio dos Romanos, contudo foram estes que fomentaram o desenvolvimento do concelho, em especial a nível agrícola. Em 1166, Serpa foi conquistada aos mouros por D. Afonso Henriques, tendo sido perdida por várias vezes nas constantes lutas da Reconquista.

Foi definitivamente constituída como concelho por D. Dinis, que também mandou reconstruir o seu castelo e cercar Serpa por uma cintura de muralhas, em 1295.

Em 1513, Serpa recebe carta de foral de D. Manuel que, antes de ser rei, tinha sido senhor de Serpa. Este foral pouco fala da organização e da atividade política e social do concelho. Insiste principalmente na carga fiscal. De qualquer modo, a leitura do foral manuelino sugere que Serpa era, no início do século XVI, um povoado onde persistia a pastorícia como atividade de grande relevância, mas em que o artesanato e a atividade comercial atingem um alto nível desenvolvimento.

A sua localização, próxima da fronteira espanhola, acarretou graves problemas para o desenvolvimento deste concelho. Com as guerras da Restauração, Serpa ficou quase completamente destruída, nomeadamente a sua fortaleza.

Em 1674, o príncipe regente e futuro rei, D. Pedro II, confere à vila o título e os privilégios de "Vila Notável", justificados pelo número de moradores (mais de 1500), pela nobreza das gentes, saindo dela muitos homens insignes, tanto nas letras como nas armas, e pela posição militar estratégica que ocupava.

Serpa foi elevada à categoria de cidade através da lei n.º 71/2003 de 26 de Agosto.[11]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Na heráldica portuguesa encontram-se serpes, entre outros a de Serpa (em cuja descrição heráldica aparece a designação de "serpe") representada no brasão da cidade. A serpe, também conhecida pela muito usada designação inglesa wyvern (ou wivern, derivado da palavra francesa wivre - víbora), semelhante a um dragão, mas de dimensões distintas, é muito encontrado na heráldica medieval.

Economia[editar | editar código-fonte]

Campo de painéis fotovoltáicos em Serpa

Apesar de Serpa ser um centro administrativo, neste concelho predominam as atividades ligadas ao setor primário, seguidas das do secundário, com a indústria ligada à olaria e à cerâmica, e só depois as do setor terciário, com o pequeno comércio e serviços ligados ao turismo.

Serpa é conhecida pela a ótima produção de vinhos do Alentejo. Os vinhos da Herdade de Medeiros são um belo exemplo dessa produção, reconhecidos mundialmente, com um primeiro registo de vinha no ano de 1795.

A elevada percentagem de área agrícola do concelho (cerca de 59%) destina-se ao cultivo de cereais para grão, de prados temporários e de culturas forrageiras, industriais, de pousio, de olival e de pastagens permanentes. A pecuária regista, também, alguma importância, nomeadamente na criação de ovinos, aves e suínos.

A 27 de Abril de 2006, a GE Energy Financial Services, a PowerLight Corporation e a Catavento Lda. anunciaram que vão construir o maior projeto de energia solar fotovoltaica do mundo. A nova unidade de produção de energia solar de 11 megawatts inclui 52 000 módulos fotovoltaicos e foi construída num único local em Serpa, numa das áreas de maior exposição solar da Europa. Produzirá 40% mais que a segunda maior instalação do mundo, na Alemanha, devendo produzir energia suficiente para oito mil casas e também para prevenir a emissão de trinta mil toneladas de gases de efeito estufa por ano.[12]

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Em Serpa e nas freguesias do concelho, há que destacar os seguintes pratos tradicionais:[13]

Há ainda a salientar dois produtos naturais típicos da região: os espargos, que podem ser colhidos nos olivais da planície, e os cogumelos, apanhados na zona bravia da serra. Na fruta há que distinguir o melão, de sabor notável, dada a riqueza dos solos e as condições do clima. Na doçaria, destaca-se a tarte de requeijão.

Produtos regionais[14]

Acessibilidades e infraestruturas[editar | editar código-fonte]

A sede do concelho e dois dos aglomerados de maior dimensão (Vila Nova de São Bento/Vale de Vargo e Vila Verde de Ficalho) são atravessados, em termos de vias rodoviárias 502 0.svg, no sentido oeste-este pelo IP8 (coincidente com a EN260).

A ligação aos outros concelhos da margem esquerda do Guadiana é feita para norte, na direção de Moura, pela EN255 e, para sul, na direção de Mértola, pela EN265.[9]

Património[editar | editar código-fonte]

Castelo de Serpa

Associações culturais e recreativas[editar | editar código-fonte]

  • ARMA - Associação Regional de Música Tradicional do Alentejo
  • Associação Margem Esquerda do Guadiana
  • Associação Cultural e Juvenil de Serpa
  • Sulcena - Associação Cultural e Recreativa
  • Casa do Povo de Serpa
  • Confraria do Cante
  • Confraria do Queijo
  • Corpo Nacional de Escutas - agrupamento 377
  • Sociedade Filarmónica de Serpa
  • Sociedade Recreativa Luso União Serpense

Feiras, festas e romarias[editar | editar código-fonte]

  • Mercado mensal - realiza-se à 4ª terça-feira do mês.
  • Mercado Municipal - aberto de terça a sábado, das 06h30 às 13h00. Encerra segundas, domingos e feriados.
  • Feira Anual/Feira Histórica e Tradicional - realiza-se no fim de semana mais próximo de 24 de agosto.
  • Feira do Queijo do Alentejo - realizada anualmente pela Câmara Municipal de Serpa, sempre com início na última sexta-feira de fevereiro (com duração de 3 dias: sexta, sábado e domingo).
  • Festa de Nossa Senhora de Guadalupe - realiza-se na Páscoa. Tem início na sexta-feira da Paixão e termina na terça-feira seguinte, que é feriado municipal.
  • Festa de S. Pedro - realiza-se a 28 e 29 de junho.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Em 1995, a cidade de Serpa acolheu, durante vários meses, uma vasta equipa técnica e artística da NBP e da RTP, tendo sido lá gravada a telenovela Roseira Brava. Teve autoria de Tozé Martinho e direção de Nicolau Breyner, sendo o elenco composto por grandes atores, como Mariana Rey Monteiro, Marques D'Arede, Virgílio Castelo, Simone de Oliveira, Canto e Castro, Manuela Maria, Márcia Breia, Manuel Cavaco, Rogério Samora, Sofia Sá da Bandeira, Luís Esparteiro, Nuno Homem de Sá, Fátima Belo e a estreante Patrícia Tavares, entre outros.

Geminações[editar | editar código-fonte]

O concelho de Serpa é geminado com os seguintes municípios:[15]

Heráldica[editar | editar código-fonte]

SRP.png
Brasão: Escudo azul, com um castelo de prata aberto e iluminado a negro sobre uma serpe alada de prata, realçada também a negro. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com legenda a negro: "NOTÁVEL VILA DE SERPA".[16]
Pt-srp1.png
Bandeira: Esquartelada de branco e negro. Cordões e borlas de prata e negro. Haste e lança de ouro.[16]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Serpa

Referências

  1. INE (2011). Anuário Estatístico da Região Alentejo 2012 (PDF). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 33. ISBN 978-989-25-0214-4. ISSN 0872-5063. Consultado em 5 de maio de 2011 
  2. Instituto Geográfico Português (2011). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013 
  3. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Alentejo (PDF). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 101. ISBN 978-989-25-0182-6. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  4. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_ALENTEJO". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  8. «Território - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  9. a b c «Turismo - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  10. a b «Clima: Serpa - Gráfico climático, Gráfico de temperatura, Tabela climática - Climate-Data.org». pt.climate-data.org. Consultado em 11 de julho de 2017 
  11. «História - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  12. PÚBLICO, Lusa. «Maior central solar do mundo é inaugurada amanhã em Serpa». PÚBLICO. Consultado em 11 de julho de 2017 
  13. «Gastronomia - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  14. «Produtos Tradicionais - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  15. «Acordos de Geminação - Câmara Municipal de Serpa». www.cm-serpa.pt. Consultado em 11 de julho de 2017 
  16. a b «Ordenação heráldica do brasão e bandeira de Serpa». www.ngw.nl. Consultado em 11 de julho de 2017 


Concelhos do Distrito de Beja Mapa do distrito de Beja
Aljustrel
Almodôvar
Alvito
Barrancos
Beja
Castro Verde
Cuba
Ferreira do Alentejo
Mértola
Moura
Odemira
Ourique
Serpa
]Vidigueira
Aljustrel
Almodôvar
Alvito
Barrancos
Beja
Castro Verde
Cuba
Ferreira do Alentejo
Mértola
Moura
Odemira
Ourique
Serpa
Vidigueira

0

0