Serpente venenosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Cobras ou serpentes venenosas são espécies da subordem Serpentes que são capazes de produzir veneno, que é usado para matar presas, para defesa e para ajudar na digestão de suas presas.[1][2] O veneno é tipicamente administrado por injeção usando presas ocas ou ranhuradas, embora algumas cobras venenosas não possuam presas bem desenvolvidas.[3][4]

Evolução[editar | editar código-fonte]

A história evolutiva das cobras venenosas pode ser rastreada até 25 milhões de anos atrás.[5][6]

Presas[editar | editar código-fonte]

Tipos de presas de veneno em cobras[7]:

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Não existe um grupo taxonômico único ou especial para cobras venenosas que compreenda espécies de famílias diferentes. Cerca de um quarto de todas as espécies de cobras são identificadas como venenosas.[8][9]

Família Descrição
Atractaspididae (atractaspidides) Víboras de escavação, víboras de toupeira, cobras de estilete
Colubridae (colubrides) A maioria é inofensiva, mas outras possuem veneno potente e pelo menos cinco espécies, incluindo a Dispholidus typus, causaram fatalidades humanas.
Elapidae (elapides) Cobras marinhas, taipans, cobras marrons, cobras corais, kraits, catadores de morte, cobras tigres, mambas, cobra-rei e najas
Viperidae (viperides) As verdadeiras víboras, incluindo a víbora de Russell, as víboras Saw-scaled, as sopradas e as cobra-covinhas, incluindo cascavéis, lanceheads e copperheads e cottonmouths.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Poisonous Snake - an overview | ScienceDirect Topics». www.sciencedirect.com. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  2. «CDC - Types of Venomous Snakes - NIOSH Workplace Safety and Health Topic». www.cdc.gov (em inglês). 28 de junho de 2019. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  3. «Venomous Snake FAQs». ufwildlife.ifas.ufl.edu. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  4. «Venomous snake fangs inspire new microneedle drug-delivery system». New Atlas (em inglês). 1 de agosto de 2019. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  5. «On the Origin of Venom». Science (em inglês). 9 de janeiro de 2013. Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  6. «Evolution and venomous snakes: Diet distinguishes look-alikes on two continents». phys.org (em inglês). Consultado em 27 de janeiro de 2020 
  7. University, Flinders (10 de agosto de 2021). «"Dental Origami" – How Snakes Got Their Fangs». SciTechDaily (em inglês). Consultado em 12 de agosto de 2021 
  8. Weinstein, Scott A. (setembro de 2015). «Snake venoms: A brief treatise on etymology, origins of terminology, and definitions». Toxicon: Official Journal of the International Society on Toxinology. 103: 188–195. ISSN 1879-3150. PMID 26166305. doi:10.1016/j.toxicon.2015.07.005 
  9. Underwood, G. (1979). Lee, Chen-Yuan, ed. «Classification and Distribution of Venomous Snakes in the World». Berlin, Heidelberg: Springer. Handbook of Experimental Pharmacology (em inglês): 15–40. ISBN 978-3-642-66913-2. doi:10.1007/978-3-642-66913-2_2 
Ícone de esboço Este artigo sobre serpentes, integrado ao projeto de herpetologia, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.